Sobre o “Capítulo 1 – Introdução” do Sutra de Lótus

O auto-conhecimento não é um processo através do qual se conclui “o quê” você é. Nem é um processo, mas um mergulho através do qual se descobre “quem” você é. O “o quê” representa o impermanente, o transitório. O “quem” abarca o presente, o passado e o futuro; o Carma, o Ser Universal, sua Verdadeira Identidade. Então, lá diz:

“A multidão dos quatro tipos de crentes, com alegria,
olha para você, humano, e para mim.
Por que o Honrado pelo Mundo emitiu tal resplandecente luz?
Discípulo do Buda, responda agora,
elimine nossas dúvidas, para que possamos exultar.
Que benefício está para ser ganho a partir da emissão dessa luz brilhante?
Que Lei maravilhosa o Buda alcançou quando ele tomou o assento do Dharma?
Ele deseja pregá-la agora?
Ou ele fará profecias?
As manifestações das terras Búdicas,
adornadas com muitas jóias e purificadas,
bem como a visão dos Budas não prenuncia pequenas coisas.
Manju, como seria de se esperar,
a assembléia dos quatro tipos de crentes, dragões e espíritos,
olha para você, humano, com esperança;
o que está para ser pregado?”

Leitor atento, humano, quem é você?

7 Comentários

  1. Emer said,

    13/04/2007 às 1:09

    Olá, parabéns pelo blog. Linkei.

  2. marcio said,

    15/10/2007 às 18:36

    gostaria de receber um arquivo com todos os capitulos e parabolas do sutra de lotus pois estou estudando com o que tenho muito obrigado

  3. muccamargo said,

    15/10/2007 às 19:07

    Prezado Marcio,

    Enviei os originais para uma editora. Em breve teremos o e-book, bem como a versão impressa dessa tradução do Sutra de Lótus feita por mim. Mas, você também pode copiar-colar os textos correspondentes. Foi assim que fiz para obter o original em inglês.

    um grande abraço.

  4. José Roberto said,

    18/06/2008 às 16:14

    Olá, sou praticante do Budismo como membro da Soka Gakkai, aqui no Brasil BSGI. Achei muito interessante disponibilizar a tradução do Sutra de Lótus, e gostaria de aproveitar para perguntar-lhe o que conhece e pode falar a respeito das escolas Nitiren, que recitam Nan Myoho Rengue Kyo, pois sempre tive curiosidade a respeito, e acredito que esteja perguntando à pessoa certa.
    Obrigado.

  5. muccamargo said,

    18/06/2008 às 17:16

    Olá José Roberto,

    A data de hoje é bastante sugestiva. Considero, pessoalmente, que o Budismo desembarcou no Brasil dia 18 de junho de 1908, com a primeira grande leva de imigrantes japoneses, há cem anos. Sou paulista e, depois de muito conviver com os já descendentes dos grandes homenageados de hoje, vim a conhecer o Budismo de Nitiren Daishonin em 1978. Comecei a levar a sério em 1987, tornando-me um estudioso também. Já estive no Japão em peregrinação. Ao aprofundar no estudo do Sutra de Lótus, tomei a decisão de abandonar as discussões doutrinárias. Com certeza, você deve saber do que estou falando. Pratico em paz, buscando a purificação das terras búdicas de todas as direções, “sem este ou aquele, e sem sentimentos de amor ou ódio” – palavras do Buda no CAP. 05 – Ervas Medicinais.

    (Nam) Myoho-Rengue-Kyo é a gema preciosa do Sutra de Lótus, é o seu próprio nome. Se o corpo inteiro do Tathagata encontra-se no Sutra de Lótus, então o seu título é o nome do Buda, não é?

    Pratique em paz!
    Muito obrigado por frequentar este espaço.

    Marcos Ubirajara.

  6. José Roberto said,

    19/06/2008 às 8:47

    Marcos, creio saber do que está falando, mas (ainda) não ter a dimensão disso. E confesso que minha pergunta foi motivada também por essa razão, e a sua resposta só fez aumentar a pulga atrás da orelha 🙂 Não pretendo defender ou questionar esta ou aquela escola, mas gostaria de ter mais subsídios quando, por exemplo, me deparo com questionamentos de pessoas não praticantes a respeito. Não sou radical a ponto de defender cegamente a organização apenas por causa da prática, e concordo plenamente com suas palavras. Mesmo assim, e por perceber serenidade e discernimento em suas colocações, o que me recomendaria para ter mais, como disse, subsídios? E, curiosamente, trabalhamos próximos, pois trabalho na USP também (vc trabalha no IPEN, certo?)
    Grande abraço e infinita boa sorte.

  7. muccamargo said,

    19/06/2008 às 9:16

    Olá José Roberto! Trabalhei no IPEN de 1976 a 1980, período em que fiz o mestrado. A prática do Budismo só deixa de ser “cega” quando associada ao estudo. Então, os subsídios de que necessita virão de uma prática sincera, baseada na fé, e do estudo bem orientado. Um mestre poderá lhe orientar no estudo, mas não poderá por a fé e a sinceridade em seu coração. Pense nisso. Tenho como fonte dos meus estudos o Sutra de Lótus, onde os ditos dourados do Buda soam como as palavras de um Pai zeloso. Estude-o, pois, está ao seu alcance. Este espaço do Cristal Perfeito foi criado para isso. Quanto às muitas contendas doutrinárias que sempre existiram, e continuarão existindo, não julgo os seus méritos e este não é o espaço delas. Para começar, recomendo a leitura do CAP. 14: Conduta Para a Prática Bem-Sucedida. Este capítulo do Sutra de Lótus é profundamente esclarecedor sobre como conduzir nossa prática de acordo com os ditames dourados do Honrado pelo Mundo. Por enquanto é só! Paz e conforto para sua vida.
    Marcos Ubirajara.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: