CAP. 23: Os Feitos Passados do Bodhisattva Rei da Medicina

Sutra de Lótus

Naquela ocasião, o Bodhisattva Rei da Constelação Flor falou ao Buda, dizendo: “Honrado pelo Mundo, como é que o Bodhisattva Rei da Medicina[1] transita através do mundo Saha? Honrado pelo Mundo, o Bodhisattva Rei da Medicina tem empreendido muitas centenas de milhares de miríades de kotis de nayutas de árduas práticas, tão difíceis de levar a cabo. Seria excelente, Honrado pelo Mundo, se vós concordásseis em explicar um pouco[2]. Ouvindo isto, todos os seres celestiais, dragões, yakshas, gandharvas, asuras, garudas, kinnaras, mahoragas, humanos, não-humanos, e assim por diante, e os Bodhisattvas que vieram de outras terras, bem como a assembléia de Ouvintes, alegrar-se-iam”.

O Buda então disse ao Bodhisattva Rei da Constelação Flor: “Certa vez, há muitos kalpas atrás, comparáveis em número aos grãos de areia de ilimitados Rios Ganges, existiu um Buda chamado Pura Virtude e Brilhante como o Sol e a Lua, Tathagata, Merecedor de Ofertas, de Conhecimento Correto e Universal, de Clareza e Conduta Perfeitas, um Bem-Aventurado que Compreende o Mundo, Senhor Supremo, Herói Disciplinado, Mestre de Seres Celestiais e Humanos, Buda, Honrado pelo Mundo. Aquele Buda tinha oitenta kotis de grandes Bodhisattvas Mahasattvas e uma grande assembléia de Ouvintes, iguais em número aos grãos de areia de setenta e dois Rios Ganges. A duração da sua vida como Buda foi de quarenta e dois mil kalpas. A duração da vida daqueles Bodhisattvas foi a mesma. Em sua terra não havia diferentes gêneros, seres infernais, espíritos famintos, animais ou asuras, e assim por diante, não existindo também dificuldades. O chão era liso e plano como a palma de uma mão, feito de vaidurya, adornado com árvores de jóias, coberto com cortinas de jóias e belos estandartes. Essa terra era rodeada por preciosos vasos e incensórios em toda a parte. Havia terraços feitos das sete gemas preciosas, um terraço para cada árvore, sendo as árvores separadas dos terraços por uma distância de um vôo de flecha. Sob cada árvore sentavam Bodhisattvas e Ouvintes. Sobre cada um dos terraços encontravam-se centenas de kotis de seres celestiais tocando músicas celestiais e cantando louvores ao Buda como um oferecimento”.

“Naquela ocasião, aquele Buda, em benefício do Bodhisattva Alegremente Visto por Todos os Seres, bem como em prol da multidão de Bodhisattvas e de Ouvintes, pregou o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa. O Bodhisattva Alegremente Visto por Todos os Seres comprazia-se no exercício das práticas ascéticas. Sob a Lei do Buda Pura Virtude e Brilhante como o Sol e a Lua, ele aplicou-se com vigor e pensamento único na busca da Budeidade durante doze mil anos completos. Então, ele obteve o samadhi da manifestação de todas as formas físicas”.

“Tendo obtido este samadhi, seu coração alegrou-se enormemente e ele imediatamente pensou: ‘Obtive o samadhi da manifestação de todas as formas físicas. Isto se deve ao poder adquirido por ter ouvido o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa. Farei agora um oferecimento ao Buda Pura Virtude e Brilhante como o Sol e a Lua, e para o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa’”.

“Ele então entrou naquele samadhi e, como um oferecimento ao Buda, fez chover flores de mandarava e mahamandarava do espaço. Um fino pó da dura madeira de sândalo negro também preencheu o céu, descendo como nuvens. Ele também fez chover incenso de sândalo do litoral, do qual seis ‘karshas’ são tão valiosas quanto todo o mundo Saha, como um oferecimento ao Buda”.

“Tendo feito esses oferecimentos, ele despertou do samadhi. Ele pensou para si mesmo: ‘Embora através dos poderes espirituais eu tenha feito esses oferecimentos ao Buda, isto não é tão bom quanto o oferecimento do meu próprio corpo’. Ele então engoliu incenso de muitos tipos como sândalo, kunduruka, turushka, prikka, aloés e incenso em resina. Ele também bebeu óleo de champaka e outras flores durante doze mil anos completos. Perfumou-se com óleos fragrantes e, na presença do Buda Pura Virtude e Brilhante como o Sol e a Lua, envolveu-se em mantos de jóias celestiais e derramou óleo fragrante sobre si. Então, através de poderes de penetrações espirituais, ele imolou-se. A luz resplandeceu por toda a parte através de mundos numerosos como os grãos de areia de oitenta kotis de Rios Ganges”.

“Todos os Budas presentes naqueles mundos, simultaneamente, louvaram-lhe, dizendo: ‘Excelente! excelente! Bom homem, isto é verdadeira diligência. Isto pode ser chamado um verdadeiro oferecimento da Lei para o Tathagata. Oferecimentos de flores, incenso, contas, incenso para queimar, e todos os tipos de oferecimentos não podem comparar-se a ele. Se alguém oferecesse mesmo que países, cidades, esposas e filhos; também não poderiam comparar-se a ele. Bom homem, isto é chamado suprema doação. Em meio a todos os gestos de doação, ele é o mais honrado e supremo, porque ele é um oferecimento do Dharma[3] para o Tathagata’. Tendo dito essas palavras, eles tornaram-se silenciosos”.

“Seu corpo queimou durante doze mil anos, após o que foi consumido”.

“Quando o Bodhisattva Alegremente Visto por Todos os Seres fez este oferecimento do Dharma e sua vida chegou ao fim, ele renasceu. Na terra do Buda Pura Virtude e Brilhante como o Sol e a Lua, na casa do Rei Pura Virtude, ele nasceu subitamente por transformação, sentado numa flor de lótus.

Ele imediatamente falou este verso para seu pai:

‘Vossa Majestade, saiba agora que eu,

praticando neste lugar,

atingi diretamente o samadhi da manifestação de todas as formas físicas[4].

Diligentemente, praticando com grande vigor,

renunciei ao corpo que eu estimava como um oferecimento ao Honrado pelo Mundo,

visando a busca da sabedoria suprema’”.

 

“Tendo dito este verso, ele disse ao seu pai: ‘O Buda Pura Virtude e Brilhante como o Sol e a Lua ainda está presente desde o passado. Anteriormente, após fazer um oferecimento ao Buda, obtive o dharani da compreensão da fala de todos os seres viventes. Além disso, ouvi o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa com os seus oitocentos mil miríades de kotis de nayutas de kankaras, vivars, akshobhyas, e assim por diante, de versos. Grande Rei, devo agora retornar e fazer oferecimentos para este Buda’”.

“Dito isto, ele sentou numa plataforma feita dos sete tesouros, içou-se no espaço a uma altura de sete árvores tala, foi à presença do Buda, curvou-se com a sua cabeça aos pés do Buda, juntou seus dez dedos, e disse este verso em louvor ao Buda:

‘Quão surpreendente e raro é seu semblante,

com sua luz resplandecendo nas dez direções!

Fiz oferecimentos anteriormente para vós,

os quais reitero novamente’.

 

Quando o Bodhisattva Alegremente Visto por Todos os seres disse este verso, ele então dirigiu-se novamente ao Buda, dizendo: ‘Honrado pelo Mundo! Honrado pelo Mundo! Você ainda está no mundo’!

O Buda Pura Virtude e Brilhante como o Sol e a Lua disse ao Bodhisattva Alegremente Visto por Todos os Seres: ‘Bom homem, o tempo do meu Parinirvana já chegou. O tempo para a minha passagem à extinção já chegou. Pode arrumar meu leito, porque esta noite entrarei no Parinirvana’.

Além disso, ele instruiu o Bodhisattva Alegremente Visto por Todos os Seres, dizendo: ‘Bom homem, confio-lhe, bem como a todos os Bodhisattvas e grandes discípulos, a Lei do Buda e também a Lei do Anuttara-Samyak-Sambodhi. Eu também lhe confio os mundos dos sete tesouros através dos três mil grandes sistemas de mil mundos, com suas árvores de jóias, terraços de jóias e os seres celestiais ali. Após a minha passagem à extinção, também lhe confiarei minhas relíquias. Você deve distribuí-las e vastamente fazer-lhes oferecimentos. Construa muitos milhares de torres votivas’”.

“Dessa forma, o Buda Pura Virtude e Brilhante como o Sol e a Lua, tendo instruído o Bodhisattva Alegremente Visto por Todos os Seres, na última hora da noite entrou no Nirvana”.

“Vendo o Buda passar à extinção, o Bodhisattva ficou sensivelmente entristecido e saudoso pelo Buda. Ele então construiu uma pira de incenso de sândalo do litoral como um oferecimento ao corpo daquele Buda e ateou-lhe fogo. Quando o fogo extinguiu-se, ele juntou as cinzas; fez oitenta e quatro mil urnas de jóias; construiu oitenta e quatro mil torres[5], altas como os três mundos, adornadas com cumes dos quais pendiam estandartes, dosséis e muitos sinos cravejados de jóias”.

“O Bodhisattva Alegremente Visto por Todos os Seres, depois disso, então pensou: ‘Embora eu tenha feito esses oferecimentos, meu coração ainda não está satisfeito. Devo agora fazer mais oferecimentos às relíquias do Buda’. Então, ele dirigiu-se aos dragões, yakshas, e assim por diante na grande assembléia, dizendo: ‘Prestem atenção todos vocês e unam-se num só pensamento, porque agora vou fazer oferecimentos às relíquias do Buda Pura Virtude e Brilhante como o Sol e a Lua’. Tendo dito aquilo, diante das oitenta e quatro mil torres, como um oferecimento, ele queimou seus braços, com seus adornos de uma centena de bênçãos, fazendo-o durante setenta e dois mil anos, desse modo fazendo com que muitas multidões buscassem tornarem-se Ouvintes e ilimitados asamkhyas de pessoas se decidissem pelo Anuttara-Samyak-Sambodhi, permitindo-lhes residir no samadhi da manifestação de todas as formas físicas”.

“Naquela ocasião, todos os Bodhisattvas, seres celestiais, humanos, asuras, e assim por diante, vendo-lhe sem os braços, ficaram lamentando com tristeza dizendo: ‘O Bodhisattva Alegremente Visto por Todos os Seres é nosso mestre. Ele nos tem ensinado e convertido, mas agora seus braços foram queimados e seu corpo mutilado’.

Então, o Bodhisattva Alegremente Visto por Todos os Seres fez este voto em meio à grande assembléia, dizendo: ‘Tendo renunciado a ambos os braços, certamente adquirirei o corpo dourado do Buda. Se isto for verdadeiro e não falso, ambos os braços serão agora restaurados para como eram antes’.

Após ele ter feito este voto, seus braços foram restaurados espontaneamente. Isto veio a ocorrer em razão da pureza e profundidade das bênçãos, virtudes e sabedoria deste Bodhisattva”.

“Os três mil grandes sistemas de mil mundos, então, tremeram de seis formas diferentes. Dos céus choveram flores de jóias e todos os seres humanos e celestiais ganharam o que nunca antes possuíram”.

O Buda disse ao Bodhisattva Rei da Constelação Flor: “O quê você pensa? Teria o Bodhisattva Alegremente Visto por Todos os Seres sido qualquer outro? Ele era justamente o presente Bodhisattva Rei da Medicina[6]. Ofereceu seu corpo, tal como é, um número de ilimitadas centenas de milhares de miríades de kotis de nayutas de vezes”.

 “Rei da Constelação Flor! Se uma pessoa que toma a decisão pela consecução do Anuttara-Samyak-Sambodhi puder queimar um dedo da mão ou do pé como um oferecimento à torre de um Buda, seus oferecimentos superarão os daqueles que usam como oferecimentos países, cidades, esposas e filhos, ou mesmo os três mil grandes sistemas de mil mundos com todas as suas montanhas, florestas, rios, lagos e objetos preciosos”.

 “Se, além disso, uma pessoa preencher todos os três mil grandes sistemas de mil mundos com os sete tesouros e oferecê-los ao Buda, aos grandes Bodhisattvas, Pratyekabudas e Arhats; os méritos e virtudes que aquela pessoa obteria não se igualariam ao daquela que recebe e ostenta mesmo que um simples verso de quatro linhas do Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa[7], pois as bênçãos desta última são longinquamente maiores”.

 “Rei da Constelação Flor! Assim como, por exemplo, em meio a todos os córregos, rios e corpos d’água o oceano é mais amplo e profundo; também, em meio a todos os Sutras pregados pelo Tathagata, o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa é o mais amplo e profundo.

Além disso, assim como em meio às Montanhas da Terra, a Montanha Negra, a Montanha do Pequeno Circulo de Ferro, a Montanha do Grande Circulo de Ferro, a Montanha dos Dez Tesouros, e toda a multidão de montanhas, o Monte Sumeru é o mais elevado; também, em meio a todos os Sutras, o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa é o mais elevado.

Além disso, assim como em meio às estrelas, o Deus da Lua é o mais brilhante; também, em meio aos milhares de miríades de kotis de Doutrinas Superiores, o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa brilha mais resplandecente.

E mais, assim como o Deus do Sol pode dispersar toda a escuridão; assim também este Sutra pode dispersar toda a escuridão da ignorância e das impurezas. 

Mais ainda, assim como em meio aos reis menores o Rei Sábio Girador-de-Roda é soberano; também, em meio aos Sutras, este Sutra é o mais honrado.

Ainda, assim como no Céu Trayastrimsha o Lord Shakra é rei; assim também, em meio aos Sutras, este Sutra é Rei.

E mais ainda, assim como o Grande Rei Brahma é pai de todos os seres viventes; assim também este Sutra é pai dos mais dignos sábios, daqueles que estão estudando, daqueles que já estudaram, bem como daqueles solidamente estabelecidos na intenção do Bodhisattva.

Enfim, assim como em meio às pessoas comuns, os Srotaapanna, Sakridagamin, Anagamin, Arhat e Pratyekabuda são superiores; também, em meio a todas as Doutrinas Superiores, quer sejam pregadas pelo Tathagata, por Bodhisattvas ou por Ouvintes, este Sutra é Superior. Aquele que pode receber e ostentar este Sutra, da mesma forma, é supremo em meio a todos os seres viventes.

Assim como em meio aos Ouvintes e Pratyekabudas, o Bodhisattva é superior; também, em meio a todos os Sutras Superiores, este Sutra é o mais elevado. Assim como o Buda é o Rei de todas as Leis; também este Sutra é o Rei de todos os Sutras”.

 “Rei da Constelação Flor! Este Sutra pode salvar todos os seres viventes. Este Sutra pode levar todos os seres viventes a libertarem-se de todo o sofrimento e aflição. Este Sutra pode beneficiar enormemente todos os seres viventes, cumprindo seus votos. Assim como uma fonte límpida e fresca pode saciar a sede de todos; assim como quando uma pessoa com frio encontra o fogo; assim como quando uma pessoa nua encontra roupa; assim como quando um mercador encontra o comprador; assim como quando uma criança encontra sua mãe; assim como quando um passageiro encontra uma embarcação; assim como quando uma pessoa doente encontra um médico; assim como quem na escuridão encontra uma lâmpada; assim como quando uma pessoa pobre encontra um tesouro; assim como quando um povo encontra um rei; assim como quando um comerciante encontra o mar; assim como a tocha dissipa a escuridão, o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa, da mesma forma, pode levar os seres viventes a viver sem qualquer sofrimento, doença e dor; ele pode desatar todos os laços do nascimento e da morte[8]”.

 “Se uma pessoa ouve o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa, copia-o ela mesma, ou emprega outros para copiá-lo, os limites dos méritos e virtudes que essa pessoa obterá não podem ser calculados ainda que por meio da sabedoria do Buda”.

 “Se uma pessoa copia este Sutra e faz-lhe oferecimentos de flores, incenso, contas, incenso para queimar, incenso em pó, incenso em pasta, estandartes e dosséis, vestimentas e chamas de vários tipos tais como a chama de velas, lamparinas comuns ou de óleos fragrantes, de óleo de champaka, de sumana, de patala, de varshika e de navamalika; os méritos e virtudes obtidos serão ilimitados”.

 “Na ocasião em que isto ocorrer, todos os Budas elogiarão esta pessoa à distância, dizendo: ‘Excelente, excelente, bom homem, que sob a Lei do Buda Shakyamuni você possa receber, ostentar, ler, recitar e ponderar a respeito deste Sutra, e prelecioná-lo para outros. Os méritos e virtudes que você obterá serão ilimitados e incomensuráveis. O fogo não poderá queimá-lo. A água não poderá afogá-lo. Seus méritos e virtudes são tais que se mil Budas juntos falassem deles, eles não poderiam esgotá-los. Você já está apto a destruir os ladrões de Mara, a arruinar as tropas do nascimento e da morte, e a demolir todos os inimigos remanescentes. Bom homem, cem mil Budas, com os seus poderes de penetrações espirituais o protegerão. Em todo o mundo, com seus deuses e humanos, não há ninguém como você, com exceção do Tathagata. Os Ouvintes e Pratyekabudas, e mesmo os Bodhisattvas, não podem igualar-se a você na sabedoria e concentração Dhyana’”.

 “Rei da Constelação Flor, tal é o poder dos méritos, virtudes e sabedoria alcançados por este Bodhisattva”.

 “Se uma pessoa ouvir este capítulo, ‘Os Feitos Passados do Bodhisattva Rei da Medicina’, e alegrar-se em concordância, louvando a sua benevolência, a boca daquela pessoa em sua presente vida exalará a fragrância de um lótus azul. Os poros do seu corpo exalarão o perfume do sândalo cabeça-de-boi. Os méritos e virtudes que ela obterá serão como descrito acima”.

 “Portanto, Rei da Constelação Flor, eu confio a você este capítulo: ‘Os Feitos Passados do Bodhisattva Rei da Medicina’. Após a minha passagem, nos últimos quinhentos anos, propague-o extensivamente no continente Jambudvipa. Não permita que ele se extinga, permitindo desse modo que demônios, entidades demoníacas, todos os dragões celestiais, yakshas, kumbhandas, e assim por diante, ocupem o seu caminho[9]”.

 “Rei da Constelação Flor, você deve usar o poder das penetrações espirituais para proteger este Sutra. Por quê ? Porque este Sutra é o excelente remédio[10]
para as doenças daqueles que vivem no Jambudvipa. Se uma pessoa doente vier a ouvir este Sutra, sua doença será curada imediatamente. Ela não envelhecerá ou morrerá”.

 “Rei da Constelação Flor, se você vir uma pessoa que receba e ostente este Sutra, você deve espalhar lótus azuis em meio a incenso em pó, cobrindo-a como um oferecimento. Tendo feito isto, você deve refletir: ‘Não muito tarde, esta pessoa certamente arrumará uma esteira, sentará no Lugar da Via, vencerá as tropas de Mara, ressoará a concha do Dharma, tocará o grande tambor do Dharma e salvará todos os seres viventes do mar da velhice, doença e morte’. Portanto, quando aqueles que buscam a via do Buda verem alguém que receba e mantenha este Sutra, devem, por aquela pessoa, nutrir um sentimento de reverência”.

Quando este capítulo, ‘Os Feitos Passados do Bodhisattva Rei da Medicina’ foi pregado, oitenta e quatro mil Bodhisattvas obtiveram o dharani da compreensão da fala de todos os seres viventes.

De dentro da Torre de Tesouro, o Tathagata Muitos Tesouros louvou o Bodhisattva Rei da Constelação Flor, dizendo: “Excelente, excelente, Rei da Constelação Flor! Você tem alcançado tão inconcebíveis méritos e virtudes que você é capaz de questionar o Buda Shakyamuni acerca de assuntos tais como este, e assim beneficiar  ilimitados seres viventes[11]”.

 


[1] O presente é o futuro do passado. Sendo assim, todos os Budas pretéritos encontram-se aqui, no absoluto repouso de seu parinirvana, um estado de absoluta pureza. Assim eu ouvi: “Esse Doutor Márucos é Yakuo Bossatsu, Rei da Medicina, que opera com esse e muitos outros nomes em razão de seu samadhi de poder manifestar-se em quaisquer corpos, sempre em benefício de todos os seres”. Homenagem aos Budas pretéritos.

[2] Esta é a questão central deste capítulo, pois o Bodhisattva Rei da Medicina, em retribuição aos débitos de gratidão por ter ouvido o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa, imolou-se perante o Buda Pura Virtude e Brilhante como o Sol e a Lua como um oferecimento.

[3] Dharma neste contexto significa “o Corpo da Lei”.

[4] Este samadhi lhe permitiu nascer por transformação.

[5] Essas oitenta e quatro mil urnas contendo as cinzas do Buda, juntamente com as oitenta e quatro mil torres que as abrigam, constituem os oitenta e quatro mil caracteres do Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa. No Capítulo Onze – O Aparecimento da Torre de Tesouro, o Buda afirma: “Dentro desta Torre de Tesouro encontra-se o corpo completo do Tathagata”, significando que o Sutra de Lótus completo encontra-se dentro de cada um dos seus caracteres. Ainda naquele capítulo o Buda diz: “… onde quer que o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa seja pregado, a Torre de Tesouro contendo seu corpo completo (do Tathagata) emerge da terra diante daquele que está pregando e exprime louvores, dizendo: ‘Excelente! Excelente! ’”.

[6] Aquele que no passado, como Bodhisattva Alegremente Visto Por Todos os Seres, sob a Lei do Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa exposta pelo Buda Pura Virtude e Brilhante como o Sol e da Lua, foi capaz de alcançar o samadhi em que se pode manifestar quaisquer formas físicas. Evidentemente, seu nome faz referência àquele capaz de manifestar, regenerar ou reconstituir quaisquer formas físicas por transformação: Rei da Medicina.

[7] Porque o “corpo completo do Buda” está contido em cada caractere do Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa.

[8] O samadhi em que se pode manifestar quaisquer formas físicas obtido pelo Bodhisattva Rei da Medicina, por si só, constitui um remédio para todos os males advindos da matéria como a dor, a doença, a velhice, a morte, e muitos outros sofrimentos relacionados com as formas físicas. Quanto mais não deve ser louvado o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa, capaz de libertar os seres de todos os sofrimentos, tanto os da matéria como os do espírito, rompendo o ciclo do nascimento e da morte.

[9] Eis uma das mais severas admoestações do Buda no que se refere à propagação do Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa na era posterior. Neste caso, o Buda faz uma alusão específica a este capítulo sobre os feitos passados do Bodhisattva Rei da Medicina em retribuição à gratidão pela obtenção do samadhi em que se podem manifestar todas as formas físicas, que foi inteiramente devida ao fato do Bodhisattva Alegremente Visto Por Todos os Seres (presente Bodhisattva Rei da Medicina) ter ouvido o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa.

[10] Referindo-se ao Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa como o excelente remédio que cura as pessoas que o ouvem de todas as doenças. Deve-se atentar para o significado da palavra “medicina” neste contexto: significa remédio, poder de cura e não propriamente uma prática profissional.

[11] O fato do Bodhisattva Rei da Constelação Flor ser louvado pelo Tathagata Muitos Tesouros, que se encontrava no interior da sua torre do tesouro, confere méritos distintivos a este Bodhisattva, pela questão que ele colocou, e a este capítulo no contexto do Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa, por “beneficiar ilimitados seres viventes”.

N.T. As notas e comentários introduzidos nesta tradução do Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa para a língua portuguesa falada no Brasil são da autoria e inteira responsabilidade de seu tradutor Marcos Ubirajara de Carvalho e Camargo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: