A Iluminação dos Aprendizes e Adeptos

Naquela ocasião, o Buda, desejando reforçar este significado, falou versos, dizendo:

“Quanto àqueles dois mil Ouvintes,
postados agora diante de mim,
eu confiro uma profecia da sua futura consecução do Estado de Buda.
Os Budas, para os quais eles farão oferecimentos,
serão em número como disse acima.
Protegendo e ostentando seus repositórios da Lei,
eles posteriormente atingirão a Correta Iluminação.
Cada um deles, através das dez direções,
terá o mesmo nome,
e o mesmo tempo de permanência em seus Tronos da Lei.

Em razão de terem se certificado da Sabedoria Suprema,
eles serão chamados ‘Aspecto do Tesouro’.
Suas terras e seus discípulos,
e a duração das suas Leis Correta e Adulterada,
serão idênticas, sem nenhuma diferença.
Todos eles usarão poderes espirituais para salvar seres viventes através das dez direções.
Seus renomes serão difundidos por toda a parte,
bem como gradualmente entrarão no Nirvana”.

Naquela ocasião, as duas mil pessoas, tanto os aprendizes como os adeptos, ouvindo o Buda conceder-lhes profecias, saltaram de alegria e falaram versos, dizendo:

“Oh! Honrado pelo Mundo,
Lâmpada Brilhante da Sabedoria,
ouvindo o som dessas profecias,
nossos corações encheram-se de alegria,
como se aspergidos com o doce orvalho”.

Excerto do CAP. 09: A Concessão de Profecias aos Aprendizes e Adeptos, pág. 198.

Rahula, O Primogênito

Então, o Honrado pelo Mundo, desejando reforçar este significado, falou esses versos:

“Quando eu era um príncipe da coroa,
Rahula era meu filho mais velho.
Agora que realizei a Via do Buda,
ele recebeu a Lei e é meu filho na Lei.
Numa era futura,
ele verá ilimitados milhões de Budas,
e será o filho mais velho de cada um deles,
buscando a Via do Buda concentradamente,
em pensamento único.
As práticas secretas de Rahula,
somente eu posso conhecer.
Ele manifesta-se como meu filho mais velho,
mostrando-se assim para os seres viventes.
Suas ilimitadas miríades de milhões de méritos não podem ser contadas.
Ele persevera seguramente na Lei do Buda,
e dessa forma busca a Via Insuperável”.

Excerto do CAP. 09: A Concessão de Profecias aos Aprendizes e Adeptos, pág. 197.

Buda com Rahula
O Buda com Rahula

Fonte das Imagens: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Para Alta Resolução.

Polonnaruwa (Nordeste do Sri Lanka)

Enquanto Anuradhapura evoca a austeridade dos primórdios do Budismo Singalês, a mais recente localidade de Polonnaruwa, maravilhosamente situada no Lago Topawewa, oferece uma visão inigualável da escultura e da arquitetura do Budismo medieval. Lá o visitante poderá ver o imenso leito do parinirvana do Buda e a escultura em pedra de 25 pés (7,5 metros) de Ananda na cabeceira do Mestre. Lá também se encontra o colossal Buda em meditação, e as famosas figuras esculpidas do Rei-Sábio Parakramabahu admirando o lago e em contemplação de um manuscrito.

Igualmente fascinantes são os monumentos do início do século 13 situados no “Grande Quadrilátero”. Esses monumentos incluem a clássica torre piramidal de tijolos (Sat Mahal Pasada), o “Templo da Relíquia do Dente” incrustrado na pedra esculpida (que não deve ser confundido com o Templo do Dente em Kandy) e as colunas onduladas modelando a haste do lótus de Nissanka Lata Mandapaya.

Demala Maha Seya
Sat Mahal Pasada

Templo da Rel�quia do Dente
Templo da Relíquia do Dente

Fonte das Imagens: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Assim como Anuradhapura foi abandonada por volta do século 8, Polonnaruwa foi finalmente conquistada pelos Tamils no século 15. A arte de Polonnaruwa representa o final do flortescimento da arte do Budismo Singalês, ainda incomparavelmente preservado em terras interiores.

Ananda, O Guardião da Lei

Naquela ocasião, o Honrado pelo Mundo, desejando reforçar este princípio, falou em versos, dizendo:

“Agora, em meio à Sangha,
eu digo que Ananda, que ostenta a Lei,
fará oferecimentos a todos os Budas,
e posteriormente realizará a Correta Iluminação.
Seu nome será Buda Rei do Autocontrole e das Penetrações
com a Sabedoria Vasta como as Montanhas e Mares.
Seu país será puro,
chamado ‘Estandarte da Vitória Sempre Içado’.
Ele ensinará e converterá Bodhisattvas incontáveis em número.

Este Buda possuirá uma grande e magnífica virtude,
e seu nome será conhecido através das dez direções.
A duração de sua vida terá uma extensão ilimitada,
em razão da sua compaixão pelos seres viventes.
A sua Lei Correta perdurará pelo dobro do tempo da sua vida,
e a sua Lei Adulterada pelo dobro do tempo desta última.
Incontáveis seres viventes,
em número como as areias do Ganges,
plantarão a relação causal da Via do Buda com a Lei deste Buda”.

Naquela ocasião, os oito mil Bodhisattvas na assembléia, recentemente convertidos ao Anuttara-Samyak-Sambodhi, todos tiveram este pensamento: “Nunca ouvimos nem mesmo grandes Bodhisattvas receberem profecias como essas. Por que razão os Ouvintes receberam tais profecias”?

Então, o Honrado pelo Mundo, sabendo dos pensamentos que iam na mente dos Bodhisattvas, falou-lhes, dizendo: “Bons homens, Ananda e Eu, na presença do Buda Rei do Vazio, simultaneamente concebemos a idéia do Anuttara-Samyak-Sambodhi. Ananda sempre deleitou-se na erudição, enquanto eu fui sempre diligente e vigoroso na prática[1]. Por essa razão, eu já realizei o Anuttara-Samyak-Sambodhi, enquanto Ananda protege e ostenta a minha Lei. Ele protegerá também o repositório da Lei de todos os Budas do futuro, ensinando, convertendo e conduzindo multidões de Bodhisattvas à realização. Uma vez que o seu voto passado era este, ele obteve portanto esta profecia”.


[1] Embora Ananda tenha sido superado na prática pelo Buda que desenvolveu constantemente esforços diligentes, tornou-se um importante guardião da Lei pelo vasto conhecimento que adquiriu, fazendo jus a esta profecia. Nesta passagem revela-se um dos mais importantes ensinos do Verdadeiro Budismo, o qual é reforçado quando da exposição do Capítulo 20 – O Bodhisattva Sem Desprezo. Esse Bodhisattva Sem Desprezo foi um Monge que não se dedicava ao estudo dos sutras, tendo durante a sua vida reverenciado como Budas todas as pessoas que encontrava. Dessa forma, atingiu rapidamente a Via do Buda. Em termos relativos, pode-se depreender desta passagem que estudar e expor este Sutra de Lótus ainda é uma tarefa fácil. Difícil é colocá-lo em prática como o fez o Bodhisattva Sem Desprezo, que era o próprio Buda Shakyamuni quando cumpria seus votos de Bodhisattva.

Excerto do CAP. 09: A Concessão de Profecias aos Aprendizes e Adeptos, pág. 194.

Ananda

Ananda no Primeiro Conselho Budista.

Fonte das Imagens: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Imagem em alta resolução.

As Águas do Vasto Oceano

Os meios hábeis do Buda são como um profundo e vasto oceano.

Lá desaguam as correntezas do sofrimento,
as correntezas do desejo,
as correntezas da violência,
as correntezas da ira,
as correntezas do delírio de uma paz e alegria ilusórias.

Lá nas suas profundezas, em meio ao lodo,
germina a pérola do Grande Veículo,
o imenso tronco de sândalo da Grande Árvore Bodhi.

Para aqueles de pouca sabedoria,
são águas tormentosas de Samsara.
Mas, para aqueles instruídos no Lótus da Lei Maravilhosa,
são águas que lhes permitirão se conduzirem à outra margem.

São as mesmas águas, e possuem um mesmo sabor.
Para singrá-las, os sábios declamarão louvores ao Provedor da Coragem:

Namu Avalokitesvara Bodhisattva!
Namu Guanshiyin Bossatsu!
Namu Kanzeon Bossatsu!
Homenagem ao Bodhisattva Contemplador dos Sons do Mundo!
Namu Myoho Rengue Kyo!

Marcos Ubirajara, em 22/04/2008, às 23:00 hs.

Leitura Recomendada: CAP. 25: O Portal Universal do Bodhisattva Guanshiyin.

As Águas do Vasto Oceano
Foto de Dôra. Local: sítio da Dôra em 20/04/2008.

A Parábola da Pérola de Valor Inestimável

Naquela ocasião, Ajnatakaundinya e os outros, desejando reforçar o significado das suas palavras, falaram em versos, dizendo:

“Ouvindo o supremo som da profecia de paz e tranqüilidade,
alegramo-nos ganhando o que nunca possuíramos,
e curvamo-nos diante do Buda da sabedoria imensurável.
Agora, na presença do Honrado pelo Mundo,
arrependemo-nos das nossas faltas e erros.
Dentre as ilimitadas jóias do Buda,
havíamos ganhado não mais que uma pequena porção do Nirvana,
e, como pessoas ignorantes, insensatas,
contentamo-nos com aquilo.

É como uma pessoa pobre,
que vai à casa de um amigo íntimo,
uma casa muito rica e luxuosa,
abarrotada de preciosidades.
Pegando uma pérola de valor inestimável,
o amigo a introduz no forro da roupa daquele pobre homem e parte silenciosamente, sem nada dizer,
enquanto o pobre homem dorme inconsciente.
Quando o homem acorda,
ele viaja para uma outra terra,
onde, à procura de comida e roupas para sobreviver,
ele sofre passando por muitas dificuldades e,
satisfazendo-se com o pouco que consegue obter,
não alimenta desejo por nada melhor.
Ele está inconsciente de que dentro da sua roupa há uma pérola de valor inestimável.
O amigo que lhe deu a pérola,
mais tarde encontra-se com o pobre homem novamente,
e repreendendo-o duramente,
mostra-lhe a pérola que ele introduziu em sua roupa.
Vendo a pérola, o coração do pobre homem encheu-se de grande alegria.
Tornando-se rico e afortunado,
ele satisfez os cinco objetos de desejo.

Nós, também, somos como aquele homem.
Durante a longa noite,
o Honrado pelo Mundo constantemente compadeceu-se cuidando, ensinando, convertendo e induzindo-nos a plantar os votos supremos.
Mas, em razão de ter-nos faltado sabedoria,
tornamo-nos inconscientes e ignorantes,
e obtendo uma pequena porção do Nirvana,
satisfizemo-nos e nada mais procuramos.

Agora o Buda despertou-nos,
dizendo que isto não é verdadeiramente a extinção.
Quando obtivermos a suprema sabedoria do Buda,
aquela sim é a verdadeira extinção.
Agora, tendo ouvido o Buda acerca dessas profecias e dotações de adornos,
e essas profecias sendo concedidas em sucessão,
exultamo-nos no corpo e na mente”.

Excerto do CAP. 08: A Concessão de Profecias aos Quinhentos Discípulos, pág. 190.

Anuradhapura

A Anuradhapura de hoje é um imenso parque contendo as ruínas do Grande Monastério (Mahavihara) estabelecido em 250 A.C. nos arredores da antiga capital Singalesa. Anuradhapura está ligada à Mihintale através de uma trilha de peregrinação de 13 km, lugar onde o missionário Mahinda fez sua primeira pregação, e onde uma torre excavada pode ser visitada. Desenterradas no início do século passado, após mais de um milênio de crescimento desenfreado da nossa era, as torres de Anuradhapura, as ruínas de monatérios, esculturas, reservatórios e uma descendente da árvore Bodhi original, revelam uma intensa percepção do Budismo antigo. Dominando o local encontram-se duas grandes torres com as características cúpulas em forma de bolha Singalesas. O Thuparama, embora bem restaurado, provavelmente seja o mais antigo monumento quer seja na India ou no Sri Lanka.

Ruwanwelisaya

A torre Ruwanweli Dagoba, também muito bem restaurada, está revestida com um estuque branco que diferencia a arquitetura de torres Singalesa das mais bem ornamentadas em estilo Indiano.

Dagoba

Fonte das Imagens: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Em Anuradhapura, uma maravilhosa convergência entre o moderno e o arcaico pode ser percebida. Nos dias de lua-cheia nos meses de maio e junho, os festivais de Wesak e de Poson celebram, respectivamente, o nascimento do Buda, sua iluminação e parinirvana, e a introdução do Budismo no Sri Lanka. Em tais festivais, Anuradhapura é invadida por centenas de milhares de devotos. Para o visitante de nossos dias, um dos grandes prazeres está em percorrer Anuradhapura numa bicicleta alugada.

Os Discípulos Originais do Buda Shakyamuni

“Quanto às minhas próprias e vossas causas e condições anteriores,
eu agora direi: todos vocês, ouçam bem!”.

(CAP. 06: Concessão de Profecias)

“Monges, cada um de nós, Shramaneras, instruiu e converteu seres viventes em número de ilimitadas centenas de milhares de miríades de milhões de areias do rio Ganges, os quais ouvindo de nós a Lei, despertaram para o Anuttara-Samyak-Sambodhi”.

“Dentre esses seres viventes, há aqueles que residem no estado de Ouvintes. Eu constantemente instruo-os e converto-os para o Anuttara-Samyak-Sambodhi. Todas aquelas pessoas, através desta Lei, gradualmente entrarão na Via do Buda. Por quê? Porque a sabedoria do Tathagata é difícil de aceitar e difícil de compreender”.

“Os seres viventes, ilimitados em número como as areias do rio Ganges, que eu converti naquele tempo são vocês, vocês mesmos, Monges, e são também aqueles que se tornarão discípulos Ouvintes no futuro, após a minha extinção”.

“Após a minha extinção, além disso, haverá discípulos que não ouvirão este Sutra, que não conhecerão ou serão cientes da conduta do Bodhisattva, mas que por consecução do seu próprio mérito e virtude atingirão a idéia da extinção e entrarão no Nirvana. Eu serei um Buda numa outra terra, com um outro nome. Embora essas pessoas sejam capazes de intuir a idéia da extinção e de entrar no Nirvana, em outras terras, eles buscarão a sabedoria do Buda e ouvirão este Sutra, e saberão que somente através do Veículo do Buda é que a extinção poderá ser alcançada. Não há nenhum outro veículo, exceto aqueles ensinados como meios hábeis por outros Tathagatas”.

Excerto do CAP. 07: A Parábola da Cidade Fantasma, pág. 168.

Discpulos Originais
Foto de Marcos Ubirajara. Local: sítio da Dôra em 21/04/2008.

O Grande Benefício de um Pai

Oi Pai

tudo bem?..,

Hoje (18/04/2008), estou tendo em mãos oficialmente o livro do Sutra de Lótus. Agradeço pelos seus dizeres (dedicatória) e vamos andar juntos nesse tapete liso e plano de lótus azuis.

Não há como descrever a emoção que tive com o livro pronto nas minhas mãos, pois acesso à internet, e-mails de que o livro havia ficado pronto é uma coisa, pegá-lo é outra sensação. Tenho muito orgulho do senhor, como pai, mestre e companheiro.

Estou com muita saudade e espero encontrá-lo logo.

Tenha muita sorte com as suas empreitadas e se cuida.

abraço,

André Felipe Lopes de Carvalho e Camargo

Veja-o em Um Olhar sem Distinções

Nota: Isto acontece aos 36 (trinta e seis) anos da morte de meu pai Theóphilo Fortunato de Camargo, falecido em 18/04/1972. Em sua memória, minhas orações pelos profundos débitos de gratidão.

Buda Shakyamuni, O Buda da Direção Nordeste

“Quanto às minhas próprias e vossas causas e condições anteriores,
eu agora direi: todos vocês, ouçam bem!”.

(CAP. 06: Concessão de Profecias)

“Monges, digo-lhes que esses discípulos do Buda, os dezesseis Shramaneras, todos agora atingiram o Anuttara-Samyak-Sambodhi, e nas terras das dez direções, estão presentemente pregando a Lei. Eles têm como seus séqüitos ilimitadas centenas de milhares de milhões de Bodhisattvas e Ouvintes”.

“Dois tornaram-se Budas no Leste: um é chamado Akshobhya, na Terra da Felicidade; e o outro é chamado Pico Sumeru. Dois tornaram-se Budas no Sudeste: um é chamado Som do Leão; o outro é chamado Marca do Leão. Dois tornaram-se Budas no Sul: um é chamado Morador do Espaço; o outro é chamado Extinção Eterna. Dois tornaram-se Budas no Sudoeste: um é chamado Marca Real; o outro é chamado Marca do Brahma. Dois tornaram-se Budas no Oeste: um é chamado Amitayus; o outro é chamado Salvador de todos os Mundos do Sofrimento e da Angústia. Dois tornaram-se Budas no Noroeste: um é chamado Fragrância da Tamalapatrachandana e das Penetrações Espirituais; o outro é chamado Marca do Sumeru. Dois tornaram-se Budas no Norte: um é chamado Nuvem da Emancipação; e o outro é chamado Rei da Nuvem da Emancipação. No Nordeste há um Buda chamado Destruidor de Todos os Temores Mundanos; e o outro Buda, o décimo sexto, sou eu mesmo, Buda Shakyamuni, aqui no mundo Saha, onde alcancei o Anuttara-Samyak-Sambodhi”.

Excerto do CAP. 07: A Parábola da Cidade Fantasma, pág. 167.

Buda Shakyamuni
Fonte das Imagens: Wikipédia, a enciclopédia livre.

« Older entries

%d blogueiros gostam disto: