Pérolas do Universo – Fascículo I

“É difícil nascer como humano;
mais difícil ainda é encontrar o Buda quando ele aparece no mundo.
É como no caso de uma tartaruga cega que,
em meio ao oceano, consiga acertar o furo de um tronco de madeira flutuante.
Eu agora ofereço comida e rogo que alcançarei a insuperável recompensa,
que destruirei as amarras da ilusão,
e que ela (a ilusão) não será mais forte.
Não procuro aqui obter um corpo celestial.
Mesmo que o tivesse ganhado, minha mente não estaria satisfeita.
O Tathagata aceita este meu oferecimento.
Nada poderia me satisfazer mais.
É como no caso de uma erva daninha mal-cheirosa,
mas que exala uma fragrância de madeira de sândalo.
Eu sou aquela erva daninha.”

Cunda, Capítulo II.

Leia mais em Pérolas do Universo – Fascículo I.



Conteúdo deste Fascículo:

A Cena do Mahaparinirvana do Buda

A Parábola da Terra Fértil

Oferecimentos de Alimentos

A Erva Daninha

O Sol Búdico e as Nuvens de Samsara

O Magnífico Campo de Prosperidade

O Maná do Dharma e o Castelo de Tesouros

O Repositório Secreto

As Quatro Inversões do Dharma

A Parábola da Água-Marinha

O Eu Búdico

O Segredo da Longa Vida

O Verdadeiro Discípulo

A Parábola do Pai Rigoroso

Paramartha-satya: A Verdade da Realidade Transcendente

O Todo-Maravilhoso dos Três Tesouros

Os Seis Sabores

Compreendendo a Eternidade do Tathagata

O Fogo da Sabedoria

Passos Para a Paz e Felicidade dos Seres

A Real e Profunda Intenção do Buda

O Universo do Físico e o do Bodhisattva

O Bodhisattva Emancipa Completamente a Sua Mente

“Como o Bodhisattva emancipa completamente a sua mente? Ele acaba eternamente com os estados mentais da cobiça, da ira e da ignorância. Isto é como o Bodhisattva emancipa a sua mente. Como o Bodhisattva se emancipa completamente no seu conhecimento? O Bodhisattva-Mahasattva conhece todas as coisas e é sem obstruções. Isto é como Bodhisattva se emancipa no conhecimento. Através da emancipação no conhecimento, ele agora sabe o que outrora não sabia.”

Sutra do Nirvana, Capítulo 31, sobre o Bodhisattva Rei Altamente-Virtuoso 5.

O Bodhisattva é Fiel a Um Pensamento Único

“Como o Bodhisattva é fiel a um pensamento único? O Bodhisattva sabe que todos os seres retornam ao Caminho Único. O Caminho Único é o Mahayana. Todos os Budas e Bodhisattvas, para o benefício dos seres, o desdobram em três. Por essa razão, o Bodhisattva segue obediente e não transgride.”

Sutra do Nirvana, Capítulo 31, sobre o Bodhisattva Rei Altamente-Virtuoso 5.

O Bodhisattva Aproxima-se das Quatro Coisas

“Como o Bodhisattva aproxima-se das quatro coisas? Existem as quatro mentes ilimitadas [‘catvari-apramanani’]. Quais são as quatro? Elas são: 1) Grande Amor-Benevolente, 2) Grande Compaixão, 3) Grande Alegria Simpática, e 4) Grande Equanimidade. Através desses quatro pensamentos, ele evoca o Bodhichitta nas mentes de um inumerável, ilimitado número de seres. Por essa razão, o Bodhisattva, com a mente plena, tenta aproximar-se disto.”

Sutra do Nirvana, Capítulo 31, sobre o Bodhisattva Rei Altamente-Virtuoso 5.


O Bodhisattva Protege Uma Coisa

“Em que sentido o Bodhisattva protege uma coisa? Isto é o Bodhichitta [isto é, a mente da Iluminação – a decisão de alcançar o Bodhi]. O Bodhisattva-Mahasattva sempre protege esse Bodhichitta exatamente como as pessoas do mundo fazem com os seus filhos únicos. Também, é como com um homem de um olho só que protege o seu único olho. É como quando as pessoas protegem o homem que os está guiando através do deserto. É o mesmo com o Bodhisattva que protege seu Bodhichitta. Assim protegendo o Bodhichitta, ele encontra a Iluminação Insuperável. Quando a Iluminação Insuperável for alcançada, realizam-se o Eterno, o Êxtase, o Eu, e o Puro. Este é o Insuperável Mahaparinirvana. Assim o Bodhisattva protege o Dharma Único.”

Sutra do Nirvana, Capítulo 31, sobre o Bodhisattva Rei Altamente-Virtuoso 5.

O Bodhisattva Pratica Cinco Coisas

“Como o Bodhisattva pratica as cinco coisas? Essas são os cinco Samadhis, a saber: 1) o Samadhi do conhecimento, 2) o Samadhi do silêncio, 3) o Samadhi da amenidade do corpo e da mente, 4) o Samadhi da não-felicidade, e 5) o Samadhi Surangama (da Iluminação Insuperável). Se alguém pratica esses cinco Samadhis, aproxima-se do Mahaparinirvana. Por isso, o Bodhisattva pratica-os com uma mente plena.”

Sutra do Nirvana, Capítulo 31, sobre o Bodhisattva Rei Altamente-Virtuoso 5.

O Bodhisattva Realiza Seis Coisas

“Como o Bodhisattva realiza seis coisas? Essas seis coisas se referem a seis pensamentos. Quais são os seis? Eles são: 1) o pensamento do Buda, 2) o pensamento do Dharma, 3) o pensamento da Sangha, 4) o pensamento do céu, 5) o pensamento da doação, e 6) o pensamento dos preceitos morais. Essas são as seis coisas que o Bodhisattva realiza.”

Sutra do Nirvana, Capítulo 31, sobre o Bodhisattva Rei Altamente-Virtuoso 5.

O Bodhisattva Aparta-se de Cinco Coisas

“Como o Bodhisattva aparta-se das cinco coisas? Elas são as cinco visões distorcidas [‘panca-drstayah’: as cinco visões heréticas]. Quais são as cinco? Elas são: 1) a visão distorcida com relação à existência carnal (corpórea) dos humanos [‘satkaya-drsti’: a visão herética de que existe uma entidade imutável no ‘eu carnal’ que pode ser chamada de um ‘eu eterno’ e considerada como própria de alguém], 2) a visão unilateral do ‘é’ ou ‘não-é’ [‘antagraha-drsti’: a visão unilateral ou herética do ‘é’ ou ‘não-é’ com relação à existência fenomenal, ou a visão do ‘é’ ou ‘não-é’ com relação à noção erroneamente aceita do Eu], 3) a visão maléfica que nega a causalidade [‘mithya-drsti’: a visão maléfica que nega a lei da causalidade em relação ao que existe], 4) a visão distorcida do apego às opiniões pessoais unilaterais [‘silavrata-paramarsa’: a visão herética da vida que nega os preceitos morais e as proibições, e que considera o que está errado como verdadeiro e correto], 5) adesão às visões distorcidas e consideração disto como correto [‘drsti-paramarsa’: a visão herética do mundo através da qual alguém se apega à ‘satkaya-drsti’, à ‘antagraha-drsti’, e à ‘mithya-drsti’, e considera isso como verdadeiro]. Dessas cinco visões distorcidas surgem as 62 visões maléficas da vida. Devido a isto, não há cessação do nascimento e da morte. Portanto, o Bodhisattva se protege de tal forma que essas (visões) não se aproximem [dele].”

Sutra do Nirvana, Capítulo 31, sobre o Bodhisattva Rei Altamente-Virtuoso 5.

O Bodhisattva Extirpa Cinco Coisas

“Oh bom homem! Como o Bodhisattva extirpa cinco coisas? Essas cinco coisas são: 1) matéria [‘rupa’], 2) sentimento [‘vedana’], 3) percepção [‘samjna’], 4) volição [‘samskara’], e 5) consciência [‘vijnana’] – ou seja, os cinco skandhas. Por que dizemos skandha? Ele (o skandha) leva os seres a repetir nascimentos e mortes, de forma que eles não podem cortar o pesado fardo. Há dispersão e rejuntamento em conexão com os Três Tempos (presente, passado e futuro). Por mais que se tente, não se pode alcançar o verdadeiro significado. Em razão de tudo isto, dizemos skandha.

O Bodhisattva-Mahasattva vê o ‘skandha-matéria’, mas ele não vê a sua forma. Por que não? Embora possamos buscar obter a matéria em suas dez formas, não podemos chegar à sua natureza. Temos a intenção de explicar isso para o bem do mundo e dizemos ‘skandha’.

Existem 108 tipos de sentimentos. Olhamos dentro do ‘skandha-sentimento’. Mas, não há nenhuma forma de sentir. Por que não? Embora (sejam) 108, não há forma permanente, real. Portanto, o Bodhisattva não vê o skandha do sentimento. O mesmo se aplica aos skandhas da percepção, volição e consciência.

O Bodhisattva-Mahasattva vê profundamente nos cinco skandhas a fonte de todos os males das impurezas. Assim, ele coloca em ação os meios para erradicá-los.”

Sutra do Nirvana, Capítulo 31, sobre o Bodhisattva Rei Altamente-Virtuoso 5.

Sutra do Nirvana – Cap. 30 – Bodhisattva Rei Altamente-Virtuoso 4

“Oh bom homem! Você diz que se alguém ouve uma linha ou uma letra do meu [Sutra do] Grande Nirvana, atinge o Insuperável Bodhi. Mas isto indica que você não compreende completamente o significado. Ouça atenciosamente! Agora tornarei claro para você. Se qualquer bom homem ou boa mulher, ao ouvir uma letra ou linha do [Sutra do] Grande Nirvana, não alimentar a noção de uma letra ou linha, de tê-lo ouvido, do olhar do Buda, de um elemento do seu sermão; isso é uma forma da não-forma. Devido à não-forma, atinge-se o Insuperável Bodhi.”

Leia mais no Sutra do Nirvana, Capítulo 30, Sobre o Bodhisattva Rei Altamente-Virtuoso 4.

Destaques deste Capítulo:

A Primeira Grande Virtude

Os Quatro Tipos de Pureza do Grande Nirvana

A Segunda Grande Virtude

O Corpo e a Mente do Bodhisattva

O Ouvido Prístino do Bodhisattva

O Olho Prístino do Bodhisattva-Mahasattva

O Que o Bodhisattva Agora Sabe

A Terceira Grande Virtude

O Amor Benevolente do Bodhisattva

A Quarta Grande Virtude

Raízes da Iluminação Insuperável

O Sentido da Autodeterminação

O Campo de Prosperidade Segundo o Bodhisattva

A Purificação das Terras-Búdicas

Cortar o Que Ainda Resta Para Ser Cortado

Conseqüências Cármicas Remanescentes

Carma Remanescente

Existência Remanescente

A Via do Corpo Puro

Compreendendo as Relações Causais

Apartando-se dos Inimigos

Apartando-se dos Dois Aspectos da Existência

A Terra Pura de Todos os Budas

A Quinta Grande Virtude

A Sexta Grande Virtude

O Samadhi Diamante

A Gema Mais Soberba

Como a Chuva Primaveril

O Poder da Transformação

A Voz, a Cor e o Caminho

Por que Dizemos Samadhi Diamante

« Older entries

%d blogueiros gostam disto: