Os Líderes dos Mundos

Sutra Guirlanda de Flores
Avatamsaka Sutra

Havia grandes seres reluzentes, tão numerosos quanto os átomos em Dez Mundos Búdicos, circundando-lhe. Seus nomes eram: Universalmente Meritório (Samantabhadra), Luz da Suprema Tocha da Virtude Universal, Estandarte do Leão da Luz Universal, Luz Sutil do Fulgor das Joias Universais, Estandarte do Oceano de Qualidades dos Sons Universais, Domínio (Reino) da Iluminação do Esplendor do Conhecimento Universal, Estandarte das Flores de um Diadema (Nó, Topete no topo da cabeça) das Joias Universais, Voz Agradável do Despertar Universal, Luz da Inesgotável Virtude da Pureza Universal, Marca da Luz Universal, Grande Brilho da Luz da Lua Refletida no Oceano, Tesouro Imaculado da Luz dos Oceanos de Sons como Nuvens, Nascido da Sabedoria e Adornado com Virtude, Grande Luz da Virtude Soberana, Admirável Diadema (Topete, Nó sobre a cabeça) do Lotus, Estandarte do Sol das Nuvens do Conhecimento Universal, Altamente Perseverante com Coragem Indestrutível, Estandarte da Luz das Chamas Fragrantes, Profundo e Belo Som da Grande Virtude Iluminada, Nascido da Sabedoria com a Luz da Grande Virtude. Esses e outros eram líderes, tantos quanto os átomos que há em Dez Mundos Búdicos.

Todos esses seres reluzentes haviam acumulado no passado as raízes da benevolência juntamente com o Buda Vairocana, e todos eram nascidos dos oceanos das raízes de benevolência do Buda. Eles já haviam aperfeiçoado os vários meios de transcendência, e seus olhos da sabedoria eram completamente límpidos. Eles observavam todos os tempos (presente, passado e futuro) com imparcialidade. Eram completamente purificados em todos os estados da concentração. Sua eloquência era oceânica, extensiva e inesgotável. Eles possuíam as qualidades do Estado de Buda, eram dignos e honoráveis. Eles conheciam as faculdades dos seres sencientes, e falavam-lhes de acordo com o potencial e necessidade (de cada um). Eles penetraram a matriz do Cosmos, seu conhecimento era não-discriminatório; eles experimentaram a libertação dos Budas, excedentemente profunda e imensamente vasta. Eram capazes de entrar em um estágio, de acordo com expediente técnico, e ainda manter as virtudes de todos os estágios, amparados pelo oceano de todos os votos, sempre acompanhados pela sabedoria, através do futuro. Eles haviam compreendido completamente o raramente atingido, vasto e secreto domínio de todos os Budas. Eram familiarizados com os ensinamentos igualitários de todos os Budas; eles já estavam pisando no solo do Buda da Luz Universal. Eles adentraram os portais dos ilimitados oceanos das concentrações. Eles manifestaram corpos em todos os lugares e participaram das atividades mundanas. Seu poder de memória era enorme, e abarcavam o oceano de todos os ensinamentos. Com inteligência, eloquência, e habilidade, eles giraram a Roda (da Lei), que nunca retorna. O vasto oceano das qualidades virtuosas de todos os Budas penetrou-lhes inteiramente os corpos. Eles foram de bom grado a todas as terras nas quais havia Budas. Já haviam feito oferecimentos a todos os Budas, ao longo de ilimitadas eras, alegre e incansavelmente. Em todos os lugares, quando os Budas atingiram a iluminação, eles estavam sempre lá, aproximando-se e associando-se com eles, sem nunca desistir. Sempre, através dos votos da benevolência e sabedoria universal, fizeram com que o corpo da sabedoria de todos os seres sencientes fosse preenchido. Eles haviam aperfeiçoado essas inumeráveis virtudes.


Livro Um – Os Adornos Maravilhosos dos Líderes dos Mundos

 

O Supremo e Correto Despertar

Sutra Guirlanda de Flores
Avatamsaka Sutra

Naquela ocasião, o Buda, o Honrado pelo Mundo, neste cenário, atingiu o Supremo e Correto Despertar de todas as coisas. Seu conhecimento penetrou todos os tempos (presente, passado e futuro) com completa equanimidade; seu corpo preencheu todos os mundos; sua voz anuiu universalmente com todas as terras nas dez direções. Como o espaço, que contém todas as formas, ele não fez discriminações dentre todos os objetos. E, como o espaço que se estende a todos os lugares, ele penetrou todas as terras com equanimidade. Seu corpo tornou-se onipresente para sempre, em todos os lugares da iluminação. Em meio à multidão de seres reluzentes, sua surpreendente luz brilhava com esplendor, como o sol emergente, iluminando o mundo. O Oceano de miríades de virtudes que ele praticou em todos os tempos estava completamente puro, e ele constantemente demonstrava a produção de todas as terras Búdicas, suas ilimitadas formas e esferas de luz se estendendo igualmente e imparcialmente para todo o cosmos.

Ele expôs todas as verdades, como grandes nuvens em expansão. Cada uma das pontas dos fios de seu cabelo era capaz de conter todos os mundos sem interferência, manifestando em cada um daqueles mundos imensuráveis poderes espirituais, a ensinar e civilizar todos os seres sencientes. Seu corpo estendia-se através das dez direções, entretanto, sem ir ou vir. Seu conhecimento penetrou todas as formas e percebeu a vacuidade das coisas. Todas as exibições miraculosas dos Budas do passado, presente e futuro, eram todas vistas na sua luz, e todos os adornos de inconcebíveis eras eram revelados.


Livro Um – Os Adornos Maravilhosos dos Líderes dos Mundos

 

O Cenário da Iluminação

Sutra Guirlanda de Flores
Avatamsaka Sutra

Assim eu ouvi:

 

Naquela ocasião, o Buda se encontrava na região de Magadha, em estado de pureza, no lugar da iluminação, tendo acabado de perceber o verdadeiro despertar. O chão era sólido e firme, feito de diamante, adornado com discos de joias raras e miríades de flores preciosas, com cristais puros e limpos. Um Oceano de Características de variadas cores se estendia sobre uma extensão infinita. Havia estandartes de gemas preciosas, constantemente emitindo uma luz brilhante e produzindo lindos sons. Redes de miríades de gemas e guirlandas de flores exoticamente perfumadas estavam suspensas em todo redor. As mais finas joias apareciam espontaneamente, chovendo torrencialmente incontáveis gemas e belas flores sobre a Terra. Havia fileiras de árvores de joias, seus ramos e folhagens brilhantes e exuberantes. Através do poder espiritual do Buda, ele fez com que todos os adornos dessa visão da iluminação se refletissen naquele lugar.

A árvore da iluminação era alta e exuberante. Seu tronco era de diamante, seus galhos principais eram de pedras semi-preciosas, seus ramos e ramagens eram de variados elementos preciosos. As folhas, espalhadas em todas as direções, proviam sombra, como nuvens. A floração era de várias cores, e a ramagem espalhava a sua sombra. Também, os frutos eram joias contendo um ardente esplendor. Estavam juntos com as flores em grandes arranjos. A circunferência inteira da árvore emanava luz; dentro dos raios de luz choviam pedras preciosas, e dentro de cada gema estavam seres iluminantes, em grandes multidões, como nuvens, aparecendo simultaneamente.

Também, em virtude do extraordinário poder espiritual do Buda, a árvore da iluminação constantemente emitia sons sublimes falando diversas verdades sem cessar.

O aposento do Palácio no qual o Buda estava situado era espaçoso e belamente adornado. Ele se estendia através das dez direções. Era feito de joias de variadas cores e adornado com todos os tipos de flores preciosas. Dos vários adornos emanavam luzes como nuvens; o conjunto de seus reflexos de dentro do Palácio formavam estandartes.

Uma ilimitada multidão de seres reluzentes (Iluminantes), a congregação no lugar da iluminação, estavam todos reunidos ali: através da capacidade para manifestar as luzes e inconcebíveis sons dos Budas, eles formavam redes de finas joias, das quais emergiam todos os domínios da ação dos poderes espirituais dos Budas, e nas quais estavam refletidas imagens das moradas de todos os seres.

Também, pela virtude da força do poder espiritual do Buda, eles abarcavam todo o cosmo num simples pensamento.

Seus Tronos de Leão eram altos, amplos, e maravilhosos. As bases eram feitas de joias, seus assentos de flores de lótus, seus encostos de puras e raras gemas. Eles eram adornados com variadas flores de todas as cores, sua cobertura, aposentos, escadarias e portas eram adornados com as imagens de todas as coisas. Os ramos e frutos das árvores de joias circundavam-nos, em arranjos intercalados.

Nuvens da radiância das joias se refletiam mutuamente: os Budas das dez direções invocaram pérolas régias (reais), e joias raras nos nós (topetes nos topos da cabeça, diademas) de todos os seres reluzentes emanavam luzes, as quais vinham e iluminavam-lhes.

Além disso, amparados pelo poder espiritual de todos os Budas, eles expunham a vasta perspectiva daqueles iluminados, seu som sutil a propagar-se longinquamente, não havendo lugar que não chegassem.


Livro Um – Os Adornos Maravilhosos dos Líderes dos Mundos

 

%d blogueiros gostam disto: