CAP. 17: Distinção dos Méritos e Virtudes

Sutra de Lótus

Naquela ocasião, quando a assembléia ouviu o Buda descrever o número de kalpas da duração da sua vida, ilimitados, incomensuráveis asamkhyas de seres viventes obtiveram um grande benefício. O Honrado pelo Mundo então disse ao Bodhisattva Mahasattva Maitreya: “Ajita! Quando falei da grande extensão da duração da vida do Tathagata, seres viventes numerosos como os grãos de areia de seiscentas e oito miríades de kotis de nayutas de Rios Ganges obtiveram a Consciência do Não-nascimento de todos os Fenômenos”.

“Também, um número mil vezes maior de Bodhisattvas Mahasattvas obtiveram o dharani-portal da audição e apreensão.

Também, Bodhisattvas Mahasattvas numerosos como as partículas de pó de um pequeno sistema de mundos obtiveram a eloqüência do deleite na pregação sem obstruções.

Também, Bodhisattvas Mahasattvas numerosos como as partículas de pó de um pequeno sistema de mundos obtiveram o dharani das cem mil miríades de kotis de ilimitadas repetições (do aprendizado).

Também, Bodhisattvas Mahasattvas numerosos como as partículas de pó de um grande sistema de mundos tornaram-se capazes de girar a irreversível Roda-da-Lei.

Também, Bodhisattvas Mahasattvas numerosos como as partículas de pó de um sistema de mundos de tamanho médio tornaram-se aptos a girar a pura Roda-da-Lei.

Também, Bodhisattvas Mahasattvas numerosos como as partículas de pó de um pequeno sistema de mundos tornaram-se destinados a alcançar o Anuttara-Samyak-Sambodhi após oito existências.

Também, Bodhisattvas Mahasattvas numerosos como as partículas de pó de quatro mundos de quatro continentes tornaram-se destinados a alcançar o Anuttara-Samyak-Sambodhi após quatro existências.

Também, Bodhisattvas Mahasattvas numerosos como as partículas de pó de três mundos de quatro continentes tornaram-se destinados a alcançar o Anuttara-Samyak-Sambodhi após três existências.

Também, Bodhisattvas Mahasattvas numerosos como as partículas de pó de dois mundos de quatro continentes tornaram-se destinados a alcançar o Anuttara-Samyak-Sambodhi após duas existências.

Também, Bodhisattvas Mahasattvas numerosos como as partículas de pó de um mundo de quatro continentes tornaram-se destinados a alcançar o Anuttara-Samyak-Sambodhi após uma única existência.

Também, seres viventes numerosos como as partículas de pó de oito sistemas de mundos tomaram a decisão pela consecução do Anuttara-Samyak-Sambodhi[1]”.

Quando o Buda proclamou esses grandes benefícios da Lei, que aqueles Bodhisattvas Mahasattvas obtiveram, começou a cair uma chuva de flores de mandarava e de mahamandarava do espaço, pairando sobre os Budas sentados em seus tronos de leão, sob ilimitadas centenas de milhares de miríades de milhões de árvores de jóias, bem como sobre o Buda Shakyamuni e o Tathagata Muitos Tesouros, que havia entrado no Nirvana há muito tempo[2], que se encontravam sentados no trono de leão dentro da torre dos sete tesouros. As flores também pairaram sobre os grandes Bodhisattvas e sobre a assembléia dos quatro tipos de crentes.

Caiu também uma chuva de incenso de madeira de sândalo e aloés altamente refinados. Tambores celestiais ressoaram no espaço, e seus sons maravilhosos penetraram ampla e longinquamente. Também caiu uma chuva de milhares de tipos de trajes celestiais adornados com contas, bem como colares de pérolas verdadeiras, e vários tipos de pérolas, que cobriu as nove direções. Um outro oferecimento a todos na grande assembléia foi a queima de caríssimos incensos numa infinidade de incensórios, de tal forma que suas essências naturalmente permearam a grande assembléia e suas vizinhanças.

Acima de cada Buda encontravam-se Bodhisattvas segurando estandartes e dosséis numa procissão que alcançava os Céus Brahma. Todos os Bodhisattvas, com seus sons maravilhosos, entoavam ilimitados cânticos em louvor a todos os Budas.

Naquela ocasião o Bodhisattva Maitreya levantou-se do seu assento, descobriu seu ombro direito, juntou as palmas das suas mãos e disse ao Buda:

“O Buda prega uma Lei rara,

como nós nunca ouvimos antes.

O Honrado pelo Mundo possui grande poder,

sendo a duração da sua vida ilimitada.

Os incontáveis discípulos do Buda,

ouvindo o Honrado pelo Mundo fazer distinções,

e falar sobre aqueles que obterão os benefícios da Lei,

encheram-se de alegria.

Alguns se estabeleceram no estágio de não-regressão.

Alguns obtiveram dharanis.

Outros obtiveram o deleite na pregação sem obstruções,

ou miríades de milhões de dharanis das repetições.

Dentre os muitos Bodhisattvas,

numerosos como as partículas de pó de um grande sistema de mundos,

todos obtiveram a habilidade para girar a irreversível Roda-da-Lei.

Também, Bodhisattvas numerosos como as partículas de pó de um médio sistema de mundos,

obtiveram todos a habilidade para girar a pura Roda-da-Lei.

Também, Bodhisattvas numerosos como as partículas de pó de um pequeno sistema de mundos,

tornaram-se destinados a obter a Via do Buda após mais oito existências.

Também, Bodhisattvas numerosos como as partículas de pó de quatro, três ou dois mundos de quatro continentes,

atingirão o Estado de Buda após um respectivo número de existências.

Além disso, Bodhisattvas numerosos como as partículas de pó de um mundo de quatro continentes,

obterão a Sabedoria que Abarca Todos os Fenômenos após mais uma existência.

Seres viventes tais como estes,

ouvindo sobre a vasta extensão da vida do Buda,

obtém ilimitadas, puras e irrepreensíveis recompensas como retribuição.

Também os seres viventes,

numerosos como as partículas de pó de oito mundos,

ouvindo o Buda pregar sobre a duração da sua vida,

todos se decidiram pelo Ideal Supremo[3].

O Honrado pelo Mundo prega ilimitadas, inconcebíveis Leis,

trazendo muitos benefícios, tão imensos quanto o espaço em si.

Chovem flores celestiais de mandarava e mahamandarava.

De incontáveis terras Búdicas chegam Shakras e Brahmas,

numerosos como as areias do Ganges.

Incensos de madeira de Sândalo e Aloés penetram o ar,

caindo em profusão como nuvens de pássaros voando dos céus,

e espalhando-se como um oferecimento aos Budas.

No espaço vazio, tambores celestiais ressoam magnificentes sons espontaneamente,

enquanto dezenas de milhões de trajes celestiais caem rodopiando e girando.

Maravilhosos incensórios cravejados de jóias queimam preciosos incensos,

os quais penetram naturalmente toda a vizinhança,

como um oferecimento ao Honrado pelo Mundo.

A grande assembléia de Bodhisattvas segura estandartes e dosséis feitos dos sete tesouros,

altos e esplendorosos, de um milhão de variedades,

numa procissão que alcança os céus Brahma.

E, diante de cada Buda,

encontram-se içadas bandeiras e estandartes da vitória, cravejados de jóias,

bem como miríades de miríades de versos são cantados para elogiar e louvar o Tathagata.

Todas essas muitas coisas jamais foram vistas antes.

Ouvindo sobre a ilimitada duração da vida do Buda,

todos se encheram de alegria.

O nome do Buda penetra as dez direções.

Ele beneficia vastamente os seres viventes,

e todos aqueles que cultivam boas raízes são incentivados a decidir pelo Ideal Supremo”.

Naquela ocasião o Buda disse ao Bodhisattva Mahasattva Maitreya: “Ajita! Se houver seres viventes que, ouvindo que a duração da vida do Buda é tão longa quanto dita acima, possam dar lugar mesmo que a um simples pensamento de fé e compreensão, os méritos e virtudes que eles obterão serão imensuráveis e ilimitados. Se um bom homem ou uma boa mulher, em prol do Anuttara-Samyak-Sambodhi, estivessem praticando os cinco paramitas (dana-paramita, shila-paramita, kshanti-paramita, virya-paramita e o dhyana-paramita; exceto o (sexto) prajna-paramita ) através de oitenta miríades de milhões de nayutas de kalpas, os méritos e virtudes que ele ou ela obteriam, se comparados com os daquelas pessoas acima, não viriam a ser uma centésima parte daqueles, nem uma milésima parte, nem uma centésima milésima milionésima parte, e nem poderiam ser reduzidos através de cálculos ou analogias. Para um bom homem ou boa mulher que possuam méritos e virtudes como aqueles primeiros, recuar do Anuttara-Samyak-Sambodhi seria simplesmente impossível[4]”.

Naquela ocasião, o Honrado pelo Mundo, desejando enfatizar este significado, falou versos, dizendo:

“Se alguém desejasse buscar a sabedoria do Buda através de oitenta miríades de milhões de nayutas de kalpas,

praticando os cinco paramitas ao longo de todos aqueles kalpas,

fazendo oferecimentos aos Budas,

aos discípulos Pratyekabudas,

e às multidões de Bodhisattvas;

suas doações poderiam ser comidas e bebidas finas e raras,

finas indumentárias pessoais e para aposentos;

essa pessoa poderia doar moradas feitas de pura madeira de sândalo e adornadas com jardins e bosques.

Doações como estas, variadas e refinadas,

aquela pessoa poderia dedicar à Via do Buda.

Além disso,

ela poderia observar puramente os preceitos proibitivos,

sem falha ou omissão,

buscando a via insuperável,

louvada por todos os Budas.

Ainda, ela poderia praticar a paciência,

estabelecendo-se no Estado de Complacência,

e mesmo que a maldade lhe acontecesse,

seu pensamento não seria perturbado.

Também, se aqueles que obtiveram o Dharma,

mas que guardam uma arrogância desmedida,

ridicularizassem-lhe e atormentassem-lhe,

ela seria capaz de suportá-los.

Ela poderia ser diligente e vigorosa,

sempre firme em sua resolução,

ao longo de ilimitados milhões de kalpas,

com pensamento único e sem lassidão.

E por incontáveis kalpas,

ela poderia residir num lugar tranqüilo,

sempre depurando seus pensamentos, em vigília,

quer estivesse sentada ou caminhando.

Em razão dessas causas e relações,

ela então alcançaria a concentração dhyana,

tal que por oitenta milhões de miríades de kalpas,

seu pensamento seria seguro e sem confusão.

Abençoada por este pensamento único,

ela buscaria a via insuperável, dizendo:

‘Posso alcançar a Sabedoria que Abarca Todos os Fenômenos e ultrapassar os limites das concentrações dhyana’.

Esta pessoa, ao longo de centenas de milhares de milhões de kalpas,

poderia praticar tais virtudes meritórias como ditas acima[5].

Mas, se houver um bom homem ou uma boa mulher que,

ouvindo-me pregar sobre a duração da minha vida,

der lugar mesmo que a um simples pensamento de fé,

suas bênçãos excederão aquelas da pessoa acima descrita.

Qualquer pessoa que esteja completamente livre de dúvidas ou pesares e que,

com um profundo sentimento,

compreender por não mais que um instante,

obterá bênçãos tais como estas.

Se houver Bodhisattvas que tenham praticado a Via durante ilimitados kalpas,

e que me ouçam pregar sobre a duração da minha vida,

eles serão capazes de compreendê-la e aceitá-la[6].

Pessoas tais como estas receberão esse Sutra acima do topo de suas cabeças, jurando:

‘No futuro, poderemos obter longas vidas e salvar seres viventes.

Assim como hoje o Honrado pelo Mundo,

Rei dos Shakyas,

no Bodhimanda emite o seu rugido de leão pregando o Dharma sem medo,

alguns de nós, nas vidas que virão,

seremos reverenciados por todos e,

enquanto sentados no Bodhimanda,

pregaremos sobre a duração de nossas vidas do mesmo modo’.

Existirão aqueles que compreenderão profundamente,

que serão puros e fortes,

com muito aprendizado e dharanis,

que exporão as palavras do Buda de acordo com a doutrina.

Pessoas tais como essas não terão dúvidas sobre este assunto”.

“Além disso, Ajita, se alguém ouvir a respeito da longa duração da extensão da vida do Buda e compreender a importância dessas palavras, os méritos e virtudes que tal pessoa obterá serão sem fronteiras ou limites, porque possibilitarão àquela pessoa ascender à suprema sabedoria do Tathagata. Quanto mais não será o caso para aquele que possa ouvir este Sutra extensivamente; induzir outros a ouvir; mantê-lo para si; induzir outros a mantê-lo; copiá-lo em si; induzir outros a copiá-lo; ou usar flores, incenso, contas, estandartes, bandeiras, dosséis de seda, óleos fragrantes ou velas para fazer oferecimentos a este Sutra. Os méritos e virtudes de tal pessoa serão ilimitados e infinitos, porque possibilitarão àquela pessoa ascender à Sabedoria que Abarca Todos os Fenômenos[7]”.

“Ajita! Se um bom homem ou uma boa mulher ouvirem a respeito da longa duração da extensão da vida do Buda, e com um profundo sentimento compreender e entender, ele ou ela, então, verão o Buda sempre presente no Monte Gridhrakuta juntamente com os grandes Bodhisattvas e a assembléia de Ouvintes circundando-o enquanto ele prega a Lei. Ele ou ela também verão o solo do mundo Saha transformar-se em lápis-lazúli. Eles o verão liso e plano, com as oito estradas maiores delimitadas com ouro de Jambunada e ladeadas com árvores de jóias. No espaço adjacente às estradas, existirão pavilhões e torres feitas de jóias, onde as multidões de Bodhisattvas residirão. A contemplação deste caminho é indicativa de profunda fé e compreensão”.

“Além disso, após a passagem do Tathagata à extinção, se uma pessoa ouvir este Sutra e não difamá-lo, mas ao invés disso regozijar-se com ele, saiba que isto indica que ela já possui profunda fé e compreensão. Quanto mais não será o caso para aquele que o lê, o recita, o recebe e o mantém. Esta pessoa carrega o Tathagata no topo da sua cabeça”.

“Ajita! Este bom homem ou boa mulher não necessitam construir torres votivas ou templos para mim, nem construir aposentos para a Sangha, nem fazer os quatro tipos de oferecimentos à Sangha. Por que não? Este bom homem ou boa mulher, recebendo, ostentando, lendo e recitando este Sutra, já construíram torres votivas, erigiram aposentos para a Sangha e fizeram oferecimentos à Sangha. Eles construíram torres votivas feitas dos sete tesouros para as relíquias do Buda. As torres votivas que construíram são altas e amplas, alcançando os céus Brahma, e são decoradas com estandartes e dosséis que delas pendem. Eles também ofereceram muitos sinos cravejados de jóias, flores, incenso, contas, incenso granulado, em pasta e para queimar, bem como muitos tambores, músicas instrumentais, trompas, flautas, conchas, várias danças e cantos de louvor com sons maravilhosos. Eles já fizeram tais oferecimentos ao longo de ilimitados milhares de miríades de milhões de kalpas”.

“Ajita! Se, após a minha passagem à extinção, uma pessoa, ouvindo este Sutra, puder recebê-lo e ostentá-lo, copiá-lo, ou induzir outros a copiá-lo…, desse modo ela construirá aposentos à Sangha e fará trinta e dois salões de sândalo vermelho, adornados, medindo oito árvores tala na altura, largura e profundidade, com centenas de milhares de Monges residindo dentro deles, repletos de jardins, bosques, lagos para banho, trilhas, grutas para meditação dhyana, indumentárias, comidas, bebidas, aposentos, remédios e músicas instrumentais. Tais aposentos para a Sangha, salões e pavilhões, feitos aos milhares de miríades de milhões, serão incontáveis em número e se manifestarão como um oferecimento diante de mim e da Sangha de Monges. Portanto, eu digo que após o Tathagata ter entrado em extinção, se uma pessoa receber, ostentar, ler, recitar ou expor este Sutra para outros, se ela copiá-lo, induzir outros a copiá-lo, ou a fazer oferecimentos a este Sutra, ela não necessitará, além disso, construir torres votivas, monastérios, ou aposentos para a Sangha, nem necessitará fazer oferecimentos à Sangha. Quanto mais isso não se aplicará a uma pessoa que possa ostentar este Sutra e ao mesmo tempo praticar a doação, observando preceitos, possuindo a paciência, o vigor, o pensamento único e a sabedoria[8]. Sua virtude será suprema, ilimitada e incomensurável. Assim como o espaço ao norte, ao leste, ao sul, ao oeste, no centro, no zenith e no nadir é ilimitado e infinito; assim também os méritos e virtudes dessa pessoa serão ilimitados e infinitos, e ela rapidamente atingirá a Sabedoria que Abarca Todos os Fenômenos[9]”.

“Uma pessoa pode ler, recitar, receber, e manter este Sutra, explicá-lo aos outros, copiá-lo, ou induzir os outros a copiá-lo, e pode, além disso, construir torres votivas ou aposentos para a Sangha. Ela pode fazer oferecimentos e louvar a Sangha de Ouvintes, e louvar os méritos e virtudes dos Bodhisattvas através de centenas de milhares de miríades de milhões de modos. Além disso, ela pode explicar os significados contidos no Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa para outros, de acordo com as suas várias causas e condições. E mais, ela pode observar puramente os preceitos, viver em harmonia com as pessoas, ser paciente e sem ódio, e ter uma sólida decisão e determinação. Ela pode sempre valorizar a meditação dhyana, obtendo a profunda concentração. Ela pode ser vigorosa e heróica, desenvolvendo-se em todas as boas doutrinas. Ela pode possuir faculdades apuradas e sabedoria, e ser hábil na resposta às questões”.

“Ajita! Se houver um bom homem ou uma boa mulher que, após a minha passagem à extinção, seja apto a receber, manter, ler e recitar este Sutra, e que também seja capaz de acumular essas outras boas ações e virtudes meritórias ditas acima, tal pessoa já está em direção ao Bodhimanda, ela já está próxima do Anuttara-Samyak-Sambodhi, e está sentada sob a árvore da Via. Ajita! Onde quer que tal bom homem ou boa mulher se encontre, se ele ou ela estiverem sentados, em pé ou caminhando, uma torre votiva deveria ser construída naquele local, e todos os seres celestiais e humanos deveriam fazer oferecimentos para eles como se fosse uma torre votiva do Buda[10]”.

Naquela ocasião, o Honrado pelo Mundo, desejando enfatizar este significado, falou versos, dizendo:

“Se uma pessoa, após a minha passagem à extinção,

puder reverentemente manter este Sutra,

suas bênçãos serão ilimitadas,

como acima descrevi[11].

Porque então, ela completará todas as formas de oferecimentos,

e construirá torres votivas às relíquias adornadas com os sete tesouros,

torres altas e amplas, alcançando os Céus Brahma,

ornamentadas com milhões e milhões de sinos cravejados de jóias,

emitindo sons maravilhosos ao vento.

E também, ao longo de ilimitados kalpas,

aquela pessoa fará oferecimentos, a esta torre,

de flores, incenso, contas,

trajes celestiais e todas as variedades de música.

Ela queimará óleos fragrantes em lamparinas,

reluzindo brilhantemente todo o seu redor.

Numa era de maldade, durante o crepúsculo da Lei,

aquela pessoa poderá manter este Sutra,

e poderá então, como mencionado acima,

realizar todos aqueles oferecimentos.

Se uma pessoa puder manter este Sutra,

será como se, na presença do próprio Buda,

ela usasse sândalo cabeça-de-boi para construir aposentos para a Sangha,

como um oferecimento a eles.

Esses trinta e dois salões,

medindo oito árvores tala na altura,

repletos de finas iguarias, indumentárias e aposentos,

onde centenas de milhares possam se acomodar,

serão amplamente adornados com jardins,

bosques, lagos para banho,

trilhas e grutas para a meditação dhyana.

Ela poderá, com fé e compreensão,

receber, manter, ler, recitar e escrever,

ou requisitar a outros escreverem,

e fazer oferecimentos a este Sutra,

espalhando flores, incenso e pós perfumados,

e constantemente queimar óleos fragrantes em lamparinas,

feitos de sumana, champaka e atimuktaka.

Aquele que fizer tais oferecimentos obterá ilimitados méritos e virtudes.

Assim como o espaço vazio é infinito,

assim serão suas bênçãos[12].

Muito maior é o mérito daquele que mantém este Sutra,

mas que também pratica a doação, observa preceitos,

que é paciente e deleita-se no samadhi dhyana,

que nunca é odioso ou mal-falado,

e que é reverente nas torres e templos,

humilde para com os Monges, livre de arrogância,

e sempre meditando sobre a sabedoria.

Essa pessoa poderá refrear a ira quando indagado sobre questões difíceis,

e será complacente quando fizer explanações.

Aquele que puder desenvolver tais práticas terá ilimitados méritos e virtudes[13].

Se virmos um Mestre da Lei dotado de virtudes como estas,

deveríamos espalhar flores celestiais e oferecer-lhe trajes celestiais,

curvarmos com as nossas cabeças aos seus pés,

e considerá-lo como se fosse um Buda.

Deveríamos ainda pensar:

‘Tão logo ele chegue ao Bodhimanda,

atingirá a sabedoria sem falhas e incondicional,

e beneficiará amplamente seres celestiais e humanos’.

Onde quer que tal pessoa esteja,

andando, sentada ou reclinada,

ou pregando mesmo que um simples verso,

deveríamos construir uma torre,

maravilhosamente fina e adornada,

e fazer-lhe todos os tipos de oferecimentos.

O discípulo do Buda, residindo neste lugar,

o considerará como se fosse o Buda,

sempre perseverando nisto,

andando, sentando ou reclinando”.


[1] Por que tais imensuráveis benefícios? Ora, a duração da vida do Buda tal como exposta, estando sempre aqui sem nunca extinguir-se, revela a inerência do estado de Buda na vida de todos os seres de todos os mundos em todas as direções. Esse profundo ensino beneficia indistinta e amplamente incontáveis seres viventes, bem como Bodhisattvas Mahasattvas.

[2] Por que o Tathagata Muitos Tesouros entrou no Nirvana há muito tempo? Porque ele representa a realidade objetiva. Ele é o Buda do estado de Bodhisattva; portanto, é ainda um Buda transitório. No capítulo sobre “A Duração da Vida do Tathagata” o Buda afirma: “…quando originalmente pratiquei a Via do Bodhisattva”, há muito tempo. Isto me faz crer que o Buda Muitos Tesouros seja o Buda da sua iluminação original, quando o Buda Shakyamuni originalmente praticou a via do Bodhisattva. Por essa razão que este Buda Muitos Tesouros, ou Buda Taho, vem do infinito passado testemunhar a verdade da iluminação do Buda Shakyamuni no infinito passado, quando da pregação do Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa, e o faz sempre em benefício dessa Verdade exclamando: Excelente! Excelente!

[3] Ser um adepto do Budismo e seguir os seus preceitos ainda é uma opção pelo Pequeno Veículo. A decisão de “vir a ser Buda”, isto sim, é uma opção pelo Grande Veículo, uma decisão para a consecução do Anuttara-Samyak-Sambodhi. O Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa tem este único objetivo: despertar nas pessoas o Ideal Supremo, conduzindo-as pela Via Insuperável rumo ao Anuttara-Samyak-Sambodhi. (07/12/05 – 05h30min)

[4] Significando que os benefícios auferidos através da fé na eternidade da vida do Buda conduzirão uma pessoa infalivelmente à iluminação. Significa ainda que os benefícios da fé (na eternidade da vida do Buda) superam em muito os benefícios da prática. Esta é uma clara distinção dos méritos e virtudes deste Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa.

[5] O Buda esclarece que aqueles que perseveram nos ensinos provisórios, incluindo os contidos na primeira parte deste Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa, como as rigorosas regras monásticas para as práticas dos Bodhisattvas descritas no Capítulo 14 – Conduta para a Prática Bem-Sucedida, obterão benefícios menores do que os dos bons homens e boas mulheres que o ouçam descrever sobre “A duração da Vida do Tathagata” e com resoluta fé, livres de quaisquer dúvidas ou hesitações, acreditem ainda que por um momento. Esta revelação da duração da vida do Buda, todavia, está exclusivamente contida nos ensinos essenciais do Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa, aparecendo pela primeira vez no Capítulo 16 – A Duração da Vida do Tathagata. Por essa razão esse Capítulo é tão importante, sendo a própria descrição original da longuíssima vida do Buda. Neste ensino está a profunda doutrina da possessão mútua (ou do Itinen Sanzen), qual seja a inerência do estado de Buda em todos os seres de todos os mundos das dez direções.

[6] Referindo-se aos Bodhisattvas da Terra do Capítulo 15 – Emergindo da Terra.

[7] Nesta passagem o Buda faz uma distinção entre os imensuráveis benefícios auferidos “se alguém ouvir a respeito da longa duração da extensão da vida do Buda e compreender a importância dessas palavras”; e os auferidos por alguém que, além disso, “possa ouvir este Sutra extensivamente; induzir outros a ouvir; mantê-lo para si; induzir outros a mantê-lo; copiá-lo em si; induzir outros a copiá-lo; ou usar flores, incenso, contas, estandartes, bandeiras, dosséis de seda, óleos fragrantes ou velas para fazer oferecimentos a este Sutra”. Essa distinção é fundamental porque o Buda a faz entre aquele que abraça parte do sutra (que ouve, acredita e entende a longa duração da vida do Tathagata) e aquele que o abraça na íntegra (“que possa ouvir este Sutra extensivamente”), levando a cabo práticas de Bodhisattva (“induzir outros a ouvir; mantê-lo para si; induzir outros a mantê-lo; copiá-lo em si; induzir outros a copiá-lo, etc.”.).

[8] Estes são os 6(seis) paramitas.

[9] Aqui o Buda faz novamente a distinção para pessoas que, além de abraçar o sutra ainda praticam os 6(seis) paramitas, dizendo que atingirão rapidamente a sabedoria que abarca todos os fenômenos.

[10] A estes o Buda refere-se como já portadores da sabedoria que abarca todos os fenômenos, ou já iluminados para essa sabedoria, chamando-lhes, mais adiante, de Mestres da Lei.

[11] Primeira distinção dos benefícios. Refere-se a escolher este Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa dentre os demais ensinos.

[12] Segunda distinção dos benefícios. Refere-se a quem elege o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa dentre os outros ensinos e ainda o propaga e lhe faz oferecimentos.

[13] Terceira distinção dos benefícios. Refere-se aos que elegem o Sutra de Lótus dentre os outros ensinos, o promovem, fazem-lhe oferecimentos e se conduzem exemplarmente como descrito.

N.T. As notas e comentários introduzidos nesta tradução do Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa para a língua portuguesa falada no Brasil são da autoria e inteira responsabilidade de seu tradutor Marcos Ubirajara de Carvalho e Camargo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: