O Poder das Penetrações Espirituais

Se você leu: “O Despertar do Grande Coração Compassivo

Leia, então, e ouça:

Jorge da Capadócia

Com Racionais Mc’s

Autoria: Jorge Ben

Jorge sentou praça
na cavalaria
E eu estou feliz porque eu também
sou da sua companhia

Eu estou vestido com as roupas
e as armas de Jorge.
Para que meus inimigos tenham pés
e não me alcancem.
Para que meus inimigos tenham mãos
e não me toquem.
Para que meus inimigos tenham olhos
e não me vejam.
E nem mesmo um pensamento eles possam ter
para me fazerem mal

Armas de fogo
meu corpo não alcançarão
Facas e espadas se quebrem
sem o meu corpo tocar.
Cordas e correntes arrebentem
sem o meu corpo amarrar.

Pois eu estou vestido com as roupas
e as armas de Jorge

Jorge é de Capadócia
Salve Jorge!
Salve Jorge!

Jorge é de Capadócia
Salve jorge!
Salve jorge!

E perceberá o quê temos falado o tempo todo, sem nenhum tempo, quase, para falar.

O Despertar do Grande Coração Compassivo

Om Namo Ratnatraya
Om Namo Aryavalokiteshvaraya Bodhisattvaya Mahasattvaya Maha Karuna Kaya!

“Se houver Monges, Monjas, Leigos, Leigas, rapazes e moças de pureza que queiram recitar e continuar a recitar este mantra, devem primeiro despertar um grande sentimento (coração) misericordioso e compassivo para com todos os seres viventes, e seguir-me fazendo estes votos:

Namo Grande Compassivo Avalokiteshvara, que eu possa rapidamente conhecer todos os Dharmas;

Namo Grande Compassivo Avalokiteshvara, que eu possa em breve obter os Olhos Da Sabedoria;

Namo Grande Compassivo Avalokiteshvara, que eu possa rapidamente atravessar todos os seres viventes (à margem da libertação);

Namo Grande Compassivo Avalokiteshvara, que eu possa em breve obter virtuosos meios habilidosos (para esclarecer vários seres viventes);

Namo Grande Compassivo Avalokiteshvara, que eu possa rapidamente embarcar no Barco da Prajna (Sabedoria);

Namo Grande Compassivo Avalokiteshvara, que eu possa em breve transcender o oceano do sofrimento;

Namo Grande Compassivo Avalokiteshvara, que eu possa rapidamente alcançar os Preceitos, Samadhi e a Via;

Namo Grande Compassivo Avalokiteshvara, que eu possa em breve ascender à montanha do Nirvana;

Namo Grande Compassivo Avalokiteshvara, que eu possa rapidamente residir na casa da não-ação;

Namo Grande Compassivo Avalokiteshvara, que eu possa em breve unir-me com o Corpo da Natureza-do-Dharma.

 

Se eu for rumo à montanha dos punhais, a montanha dos punhais se desfará por si própria;

Se eu for rumo ao óleo fervente, o óleo fervente secará por si próprio;

Se eu for rumo aos infernos, os infernos desaparecerão por si mesmos;

Se eu for rumo aos espíritos famintos, os espíritos famintos torna-se-ão satisfeitos por si mesmos;

Se eu for rumo aos Asuras, seus maus pensamentos serão contidos por si mesmos;

Se eu for rumo aos animais, eles atingirão grande sabedoria por si mesmos.”

“Após fazer esses votos, recite meu nome (Namo Avalokiteshvara Bodhisattva) com o mais profundo sentimento, e também recite em pensamento único o nome do meu Mestre – Tathagata Amitaba (Namo Amitaba), e então recite esse mantra, cinco vezes ou mais no dia, para remover os graves pecados dos nascimentos e mortes de centenas de milhares de bilhões de kalpas do corpo.”

O Bodhisattva Avalokiteshvara então disse ao Buda: “Bhagavan, se humanos ou deuses recitarem e ostentarem as frases do Dharani da Grande Compaixão, quando eles estiverem para morrer, todos os Budas das dez direções virão para recebê-los com suas mãos, e eles renascerão em alguma Terra-Búdica de acordo com os seus desejos.”


Om Namo Vipashina Buddha
Om Namo Avalokiteshvara Bodhisattva Dharani Sutra

 

O Desejo do Bodhisattva Avalokiteshvara

Om Namo Ratnatraya
Om Namo Aryavalokiteshvaraya Bodhisattvaya Mahasattvaya Maha Karuna Kaya!

Após o Buda ter dito isso, o Bodhisattva Avalokiteshvara levantou-se de seu assento, ajeitou suas vestes, juntou as palmas das mãos em reverência ao Buda, e disse:

“Bhagavan, eu tenho um Mantra do Dharani do Grande Coração Compassivo e agora desejo proclamá-lo para o conforto e satisfação de todos os seres viventes; para a cura de todas as doenças; para que os seres viventes atinjam a longevidade; para que os seres viventes conquistem a riqueza; para a extinção de todo o mau karma e pecados graves; para que se afastem de todos os obstáculos e desastres; para que adquiram méritos de todos os Dharmas Brancos (Puros, Imaculados); para o amadurecimento das raízes das virtudes; para a superação de todos os temores; para a plena satisfação de todos os bons desejos. Bhagavan, por favor, seja misericordioso e permita-me falar.”

O Buda disse: “Homem virtuoso, você tem grande benevolência e grande compaixão, no sentido de confortar e satisfazer todos os seres viventes, você deseja falar o Mantra Sagrado, é o momento adequado agora, por favor, proclame-o logo, o Tathagata condescende e se compraz, bem como todos os outros Budas.”

O Bodisattva Avalokiteshvara então disse ao Buda: “Bhagavan, lembro-me que há incontáveis bilhões de kalpas atrás, um Buda, cujo nome era Tathagata Rei da Quietude dos Mil Raios (Thousand Rays King Stillness Thus Come One), apareceu no mundo. Em virtude de sua misericórdia e carinho para comigo e todos os seres viventes, aquele Buda, Honrado pelo Mundo, falou esse Dharani do Vasto, Perfeito, Desobstruído e Grande Coração Compassivo, afagou minha cabeça com suas mãos de ouro e disse: ‘Homem virtuoso, você deve deter esse mantra-coração para conferir grande benefício e felicidade para todos os seres viventes na futura era da maldade’. Naquela ocasião eu estava apenas no primeiro estágio (Bhumi) do Bodhisattva, mas tão logo ouvi esse mantra, superei o oitavo estágio (Bhumi). Naquela ocasião, em razão da alegria em meu coração, fiz um voto: ‘Se serei capaz de conferir benefícios e felicidade para todos os seres viventes no futuro, permita-me possuir mil mãos e mil olhos imediatamente’. Instantaneamente após o voto, adquiri todas as mil mãos e mil olhos em meu corpo, e então, as terras dos mundos das dez direções agitaram-se de seis modos, milhares de Budas das dez direções emitiram sua luz para o meu corpo e iluminaram incontáveis mundos nas dez direções. Desde então, de incontáveis Budas e congregações, repetidamente ouvi, aceitei e atendi a esse Dharani, e muitas alegrias também repetidamente surgiram em meu coração, e tornaram-me muito entusiasmado. Portanto, transcendi nascimentos e mortes imperceptíveis de incontáveis bilhões de kalpas. Desde então, tenho sempre recitado e ostentado este mantra, e nunca o esqueci. Em razão de ostentar este mantra, sempre nasci através da criação miraculosa (nirmana) de um lótus diante dos Budas, e nunca nasci de qualquer útero.”


Om Namo Vipashina Buddha
Om Namo Avalokiteshvara Bodhisattva Dharani Sutra

 

A Súplica da Grande Assembleia

Om Namo Ratnatraya
Om Namo Aryavalokiteshvaraya Bodhisattvaya Mahasattvaya Maha Karuna Kaya!

Ao testemunhar essa cena rara, o Bodhisattva Rei Dharani (que Une e Sustenta) ficou admirado como nunca, e assim levantou-se de seu assento, juntou as palmas das mãos e indagou ao Buda através de um Gatha:

“Quem levou ao cabo a Correta-Iluminação neste dia,

emitindo universalmente essa grande luz brilhante?

Todos os mundos das dez direções estão dourados, da cor do ouro,

assim como os Três Mil Grandes Sistemas de Mil Mundos.

Quem atingiu a suprema libertação neste dia,

manifestando o raro grande poder divino?

Inumeráveis Terras Búdicas tremem e se agitam,

bem como os Palácios dos Dragões e Deuses.

Agora, toda a congregação está perplexa,

sem saber quem cujo poder causou isto.

Teria sido um Buda, Bodhisattva, ou um grande Ouvinte,

ou talvez um Regente Brahma, Mara, Divindades Celestiais, ou Shakra?

Rogamos à Grande Compaixão do Honrado pelo Mundo (Bhagavan), a dizer-nos a causa deste grande poder transcendental.”

O Buda disse ao Bodhisattva Rei Dharani: “Bom homem, saibam todos vocês que nesta congregação há um Bodhisattva-Mahasattva chamado Avalokiteshvara, o Irrepreensível (Sem Restrições). Ele atingiu a Grande Benevolência e Grande Compaixão há incontáveis kalpas, e ele notabiliza-se em praticar incontáveis Portais do Dharani. No sentido de apaziguar e deleitar todos os seres viventes, ele secretamente emite esses grandes poderes espirituais.


Om Namo Vipashina Buddha
Om Namo Avalokiteshvara Bodhisattva Dharani Sutra

 

A Cena da Pregação do Sutra Dharani

Om Namo Ratnatraya
Om Namo Aryavalokiteshvaraya Bodhisattvaya Mahasattvaya Maha Karuna Kaya!

Assim eu ouvi:

Certa vez o Buda Shakyamuni esteve na Montanha Potala[1], no Bodhimandala adornado de joias do palácio do Bodhisattva Avalokiteshvara, sentado num precioso Trono-de-Leão adornado em pureza por incontáveis e multicoloridas joias. Centenas de preciosos estandartes estavam suspensos ao seu redor.

Naquela ocasião, em virtude de que o Tathagata, que estava sentado em seu trono, pretendia proclamar o ensinamento do Dharani da Total-Retenção (que Une e Sustenta), Ele estava junto com inumeráveis Bodhisattvas-Mahasattvas, cujos nomes eram: Bodhisattva Rei Dharani (que Une e Sustenta), Bodhisattva Rei Adornado com Joias, Bodhisattva Bhaisajya-Guru-Vaidurya-Prabhasa (o Mestre da Medicina de Esplendor de Lápis-lazúli), Bodhisattva Bhaisajya-Samudgata (Medicina Superior), Bodhisattva Avalokiteshvara (Contemplador dos Sons do Mundo), Bodhisattva Maha-Sthamaprapta (Grande Força), Bodhisattva Avatamsaka (da Guirlanda de Flores), Bodhisattva Vyuharaja (do Grande Adorno), Bodhisattva do Tesouro de Joias, Bodhisattva do Tesouro da Virtude, Bodhisattva Vajragarba (Tesouro do Diamante), Bodhisattva Akasagarba (Tesouro do Espaço Vazio), Bodhisattva Maitreya, Bodhisattva Samantabhadra (Virtude Universal – Universalmente Meritório), Bodhisattva Manjushri (Auspícios Maravilhosos) e outros como estes. Tais Bodhisattvas-Mahasattvas são todos Grandes Príncipes do Dharma ungidos em sua cabeça (Abhisheka).

Com o Buda também se encontravam inumeráveis grandes Shravakas (Ouvintes), todos Arhats praticantes do Décimo Estágio, liderados por Mahakashyapa;

Com Ele também estavam inumeráveis deuses dos Céus-Brahma, liderados por Sinza-Brahma (San Cha);

Junto a ele também se encontravam inumeráveis Deuses dos Céus do Reino do Desejo, liderados pelo Regente Divino Kubhagha (Gopaka);

Também se encontravam juntos a Ele os Deuses-Guardiões de inumeráveis mundos das quatro direções, liderados por Dhritarastra;

Lá também se encontravam inumeráveis deuses, dragões, Yakshas, Gandharvas, Asuras, Garudas, Kinnaras, Mahoragas, seres humanos e não-humanos (Amanusyas), liderados pelo Grande Rei Dragão Virtude Celestial;

Todas as inumeráveis deusas dos Céus do Reino do Desejo também lá estavam, lideradas pela Deusa do Olho Imaculado;

Junto a Ele também se encontravam inumeráveis Sunyatas (Deuses do Espaço Vazio), Deuses dos Rios e Oceanos, Deuses das Fontes e Nascentes, Deuses dos Córregos e Lagos, Deuses das Ervas Medicinais, Deuses das Florestas, das Moradas, da Água, do Fogo, da Terra, do Vento, do Chão, das Montanhas, das Pedras, dos Palácios e outros;

Todos eles vieram e juntaram-se na Assembleia.

Naquela ocasião, em meio à grande assembleia, o Bodhisattva Avalokiteshvara, através de seu impressionante poder espiritual, emitiu sua luz divina, após o que todos os mundos nas dez direções, abarcando os três mil grandes sistemas de mil mundos, iluminaram-se e tornaram-se dourados, da cor do ouro. Os Palácios Celestiais, os Palácios dos Dragões, e os Palácios de todos os deuses tremeram. Rios, oceanos, as Montanhas do Círculo de Ferro (Cakravada-parvata), o Monte Sumeru, as Montanhas da Terra e a Montanha Negra também se agitaram. O brilho do sol, da lua, das pérolas e gemas, do fogo e das estrelas (constelações) também se desvaneceu.


[1] O nome “Potala” é possivelmente derivado de Monte Potalaka, a morada mitológica de Avalokiteshvara Bodhisattva. A respeito do Palácio Potala, a residência do Dalai Lama, leia também sobre a cidade sagrada de Lhasa em Lugares Sagrados do Budismo.


Om Namo Vipashina Buddha
Om Namo Avalokiteshvara Bodhisattva Dharani Sutra

 

Sutra Dharani da Grande Compaixão

Om Namo Ratnatraya
Om Namo Aryavalokiteshvaraya Bodhisattvaya Mahasattvaya Maha Karuna Kaya!

Apresentação

(Também conhecido como:)

Grande Sutra Dharani da Maha Karuna

Sutra Dharani Karunikacitta

Sutra Dharani Nilakantha

(O Título Completo é:)

Sutra Dharani do Vasto, Perfeito, Desobstruído e Grande Coração Compassivo do Bodhisattva Avalokiteshvara[1], o Bodhisattva das Mil Mãos e Mil Olhos.
(Chinês: Qian Shou Qian Yan Guan Shi Yin Pu Sa Guang Da Yuan Man Wu Ai Da Bei Xin Tuo Luo Ni Jing)

(Tripitaka No. 1060)

Traduzido ao Chinês durante a Dinastia Tang pelo Shramana Bhagavat-Dharma da Índia Ocidental.

 


[1] O Bodhisattva Avalokiteshvara também é conhecido como: Contemplador dos Sons do Mundo / Guan Shi Yin / Guan Zi Zai Bodhisattva.


Om Namo Vipashina Buddha
Om Namo Avalokiteshvara Bodhisattva Dharani Sutra

 

Nas Próximas Eleições 2014, Diga NÃO ao ERRO!

erroErro em direito é um vício no processo de formação da vontade[1], em forma de noção falsa ou imperfeita sobre alguma coisa ou alguma pessoa. É importante ressaltar que no erro o indivíduo engana-se sozinho. Ele não é vítima de artifício ou expediente astucioso por parte de outrem. Se o for, configura-se dolo[2].


 

[1] Temos aqui o ‘skandha’ decorrente do ‘contato – matéria, forma’, ‘sentimento’, ‘percepção’, e ‘volição – compulsão’; todos concorrentes para a formação da ‘consciência’. Antes de ‘errar’, consulte a ‘consciência’.

[2] Dolo ocorre quando o indivíduo age de má-fé, sabendo das consequências que possam vir a ocorrer, e o pratica para de alguma forma beneficiar-se de algo.

%d blogueiros gostam disto: