Meditando sobre a Natureza de Buda

Se a possuímos, então não pode haver nascimento e morte. Esse “eu”, como todos os fenômenos, existe ou deixa de existir em virtude de causas e relações presentes e temporárias, e é um produto da retribuição. Pelo próprio aspecto transitório dos fenômenos, as causas e relações que lhes originaram mudarão a cada instante, a dissolverem o “eu” no Grande Vazio, e a esvaziarem o sentido de todos os apegos, essas miragens e formações mentais que nos atormentam.

Mais sobre isso você encontrará no Sutra de Lótus – Capitulo 16 – A Duração da Vida do Tathagata, e conclusivamente no Capítulo 17 – Distinção dos Méritos e Virtudes.

Em 08 de janeiro de 2022 – 21:39 horário de Brasília.

Por muccamargo

Físico, Mestre em Tecnologia Nuclear USP/SP-Brasil, Consultor de Geoprocessamento, Estudioso do Budismo desde 1987.

Deixar um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: