O Âmago do Dharma Maravilhoso

Então o Buda disse a Ajatasatru: “Oh grande Rei! Agora lhe falarei sobre o âmago do Dharma Maravilhoso. Ouça-me atentamente com todo seu pensamento! Os mortais comuns devem sempre meditar sobre 20 coisas: 1) este corpo é vazio e não há nada lá que seja imaculado, 2) não há raiz saudável nele, 3) não há nenhum ajuste no nascimento e na morte, 4) cai-se num poço profundo e não há lugar onde não se possa ter medo, 5) através de quais meios pode-se ver a Naturez-de-Buda?, 6) como se pode praticar meditação e ver a Natureza-de-Buda?, 7) nascimento e morte são sempre causa de sofrimento e lá não há o Eterno, o Êxtase, o Eu, e o Puro, 8 ) não é possível separar-se das oito situações inoportunas, 9) sempre se é perseguido por inimigos, 10) não há um dharma que possa livrar-se de todas as coisas que existem, 11) não há alguém emancipado dos três reinos do infortúnio, 12) várias visões distorcidas acompanham (uma pessoa), 13) nenhum barco está à mão para passar alguém através das águas dos cinco pecados mortais, 14) nascimento e morte se sucedem indefinidamente e nenhum limite para isso é alcançado, 15) quando nenhum karma é criado, não há retribuição a seguir, 16) nenhuma fruição surge para outros por aquilo que alguém tenha feito para si mesmo, 17) sem a causa da felicidade, não pode haver o resultado (efeito) da felicidade, 18) uma vez que a semente do karma seja plantada, o resultado não será perdido, 19) a ignorância evoca a vida e por ela se morre, 20) o que se tem ao longo dos três tempos do passado, do presente e do futuro é indolência.

Oh grande Rei! Os mortais comuns devem sempre meditar sobre essas vinte coisas. Tendo meditado assim, a pessoa não virá mais a desejar nascimento e morte. Se nenhum desejo existe de nascimento e morte, ganhar-se-á o samatha-vipasyana [tranqüilidade e insight (introspecção)]. Então, de uma maneira ordenada, a pessoa meditará sobre o que se obtém em relação ao nascimento, vida e extinção. Assim, ela segue com o dhyana, sabedoria, esforços e preceitos (shila). Tendo meditado sobre o nascimento, vida e extinção; se vem a saber o que se obtém com a mente sujeita aos preceitos morais. Abstendo-se do mal até o fim, não pode haver medo da morte ou dos três reinos do infortúnio. Qualquer pessoa cuja mente não está atenta para essas 20 coisas possui uma mente indolente, e não haverá fim do mal que ainda não está feito.”

Excerto do Sutra do Nirvana, CAP. 25 – Sobre Ações Puras 5.

%d blogueiros gostam disto: