Itinen Sanzen

“Se alguém desejasse buscar a sabedoria do Buda através de oitenta miríades de milhões de nayutas de kalpas,

praticando os cinco paramitas ao longo de todos aqueles kalpas,

fazendo oferecimentos aos Budas,

aos discípulos Pratyekabudas,

e às multidões de Bodhisattvas;

suas doações poderiam ser comidas e bebidas finas e raras,

finas indumentárias pessoais e para aposentos;

essa pessoa poderia doar moradas feitas de pura madeira de sândalo e adornadas com jardins e bosques.

Doações como estas, variadas e refinadas,

aquela pessoa poderia dedicar à Via do Buda.

 

Além disso,

ela poderia observar puramente os preceitos proibitivos,

sem falha ou omissão,

buscando a via insuperável,

louvada por todos os Budas.

Ainda, ela poderia praticar a paciência,

estabelecendo-se no Estado de Complacência,

e mesmo que a maldade lhe acontecesse,

seu pensamento não seria perturbado.

Também, se aqueles que obtiveram o Dharma,

mas que guardam uma arrogância desmedida,

ridicularizassem-lhe e atormentassem-lhe,

ela seria capaz de suportá-los.

Ela poderia ser diligente e vigorosa,

sempre firme em sua resolução,

ao longo de ilimitados milhões de kalpas,

com pensamento único e sem lassidão.

E por incontáveis kalpas,

ela poderia residir num lugar tranqüilo,

sempre depurando seus pensamentos, em vigília,

quer estivesse sentada ou caminhando.

 

Em razão dessas causas e relações,

ela então alcançaria a concentração dhyana,

tal que por oitenta milhões de miríades de kalpas,

seu pensamento seria seguro e sem confusão.

Abençoada por este pensamento único,

ela buscaria a via insuperável, dizendo:

‘Posso alcançar a Sabedoria que Abarca Todos os Fenômenos e ultrapassar os limites das concentrações dhyana’.

Esta pessoa, ao longo de centenas de milhares de milhões de kalpas,

poderia praticar tais virtudes meritórias como ditas acima[1].

 

Mas, se houver um bom homem ou uma boa mulher que,

ouvindo-me pregar sobre a duração da minha vida,

der lugar mesmo que a um simples pensamento de fé,

suas bênçãos excederão aquelas da pessoa acima descrita.

Qualquer pessoa que esteja completamente livre de dúvidas ou pesares e que,

com um profundo sentimento,

compreender por não mais que um instante,

obterá bênçãos tais como estas.

 


[1] O Buda esclarece que aqueles que perseveram nos ensinos provisórios, incluindo os contidos na primeira parte deste Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa, como as rigorosas regras monásticas para as práticas dos Bodhisattvas descritas no Capítulo 14 – Conduta para a Prática Bem-Sucedida, obterão benefícios menores do que os dos bons homens e boas mulheres que o ouçam descrever sobre “A duração da Vida do Tathagata” e com resoluta fé, livres de quaisquer dúvidas ou hesitações, acreditem ainda que por um momento. Esta revelação da duração da vida do Buda, todavia, está exclusivamente contida nos ensinos essenciais do Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa, aparecendo pela primeira vez no Capítulo 16 – A Duração da Vida do Tathagata. Por essa razão esse Capítulo é tão importante, sendo a própria descrição original da longuíssima vida do Buda. Neste ensino está a profunda doutrina da possessão mútua (ou do Itinen Sanzen), qual seja a inerência do estado de Buda em todos os seres de todos os mundos das dez direções. E mais, Itinen Sanzen quer dizer “Três Mil Mundos Numa Existência Momentânea da Vida”. Essa passagem nos ensina que todos os benefícios auferidos por todas as boas práticas possíveis de serem levadas ao cabo, ao longo de incontáveis kalpas, nos três mil grandes sistemas de mil mundos; cabem numa existência momentânea da vida, num simples pensamento de fé. Em 27/08/2008.

Excerto do CAP. 17: Distinção dos Méritos e Virtudes, pág. 305.

12 Comentários

  1. sheila said,

    27/08/2008 às 7:41

    Eh linda a filosofia budista, porém inalcançável aos leigos. kalpa? bodhisatva? Fiquei confusa. Muito obrigada por escrever este artigo, este ensino mostrando que os benefícios de um leve instante de fé pura, vale mais que milhares de boas ações.

  2. muccamargo said,

    27/08/2008 às 9:33

    Olá Sheila,
    você mesma diz “os benefícios de um leve instante de fé pura, vale mais que milhares de boas ações”. Está vendo como você compreendeu? Quanto aos termos, kalpa é uma medida de tempo que, para compreensão dos ensinos, não interessa quanto vale. Por quê? Ora, fala-se em incontáveis kalpas, milhões de miríades de kalpas; portanto, para todos os efeitos, significa um tempo ilimitado e infinito. Bodhisattva é aquele que aspira a Budeidade, mas também é aquele que realiza a aspiração do Buda, ou seja, salvar todos os seres. Não se deixe limitar pela estranheza dos termos. Eu é que agradeço a sua educação e espírito de procura.
    Marcos Ubirajara.

  3. Naijia said,

    19/12/2008 às 22:49

    Fantástico!
    Sinto, cada vez mais, vontade de saber, explorar. É fascinante.
    Obrigada.

  4. muccamargo said,

    20/12/2008 às 8:16

    Olá Naijia!

    Que bom que você sinta assim, uma crescente vontade de saber. Se o que fazemos serve para estimular pessoas na busca do conhecimento, estamos realizados.
    Eu é que agradeço sua visita!

    Marcos Ubirajara.

  5. Cassio Machado said,

    27/12/2008 às 10:42

    Primeiramente, BOM DIA…
    Venho agradecer esta fonte maravilhosa de estudo para que pessoas iniciantes, assim como eu , possam conhecer mais e mais o Budismos que é fascinante por excelencia, mesmo o principio de itinen sanzen , que geralmente é titulado como algo complexo ficou claro,ainda que não completo,porém capaz de gerar duvidas o que na minha opnião é fundamental para o Estudo,uma vez que impulsiona cada vez mas a procura, fazendo com que o estudo seja uma das principais características do Budismo,pois bem mais uma vez agradeço pelos materiais aqui encontrados e que possamos obter nosso estado de buda com bastante perseverança e acima de tudo MUITA FÉ.

    • muccamargo said,

      27/12/2008 às 11:34

      Olá Cassio,

      Muito bem observado que essa abordagem não é “completa”, e nem pretendia ser. Mas, esse singelo aspecto do Itinen Sanzen é fundamental para a sua incorporação em nossas vidas. O aspecto da , que desperta as nossas naturezas de Budas. Muito obrigado pela contribuição que a sua observação traz. Muito bom dia!

      Marcos Ubirajara.

  6. gil said,

    18/03/2010 às 10:57

    muito bom, ter textos antigos disponiveis a todos e um grande passo par o crescimento do budismo e bem estar da umanidade.
    obrigado

  7. Maria Helena Alves said,

    25/06/2011 às 15:07

    O Princípio Budista Itinen Sanzen, exposto por Tientai, filósofo chinês, e que é a base da prática Budista é o seguinte:
    Cada pessoa possui dez estados de vida. Os dez estados têm em si a possessão mútua, isto é, qualquer um dos dez estados possui em si os outro nove estados. Por isso, tanto alguém em estado de Buda possui os outros nove estados, quanto alguém em estado inferior possui entre os outros o estado de Buda. Isso é a possessão mútua. Que equivale a cem mundos. Uma única atitude, num único momento da vida, interage com a possessão mútua dos cem mundos, nas dez direções, resultando em mil mundos, pelas três existências (passado, presente e futuro), concluindo em três mil mundos num instante momentâneo da vida, exposto por Tiêntai. Esse é o Itinen Sanzen. Que é a base do ensino Budista.

    • 26/06/2011 às 21:44

      Prezada Maria Helena,

      muito obrigado pela sua contribuição. Concordo que o princípio do Itnen Sazen é a base de algumas escolas Budistas. É verdade! Mas, no que se baseia a possessão mútua? Baseia-se na Eternidade da vida do Buda. Baseia-se, portanto, na inerência da Natureza de Buda em todos os fenômenos. Então, no trecho acima, o Honrado pelo Mundo diz:

      “Mas, se houver um bom homem ou uma boa mulher que,
      ouvindo-me pregar sobre a duração da minha vida,
      der lugar mesmo que a um simples pensamento de fé,
      suas bênçãos excederão aquelas da pessoa acima descrita.”

      Isto está para além do entendimento dos dez estados, e está para além das existências nos três tempos. Transcende as três existências. E vale a pena aprofundar.

      Mais uma vez, obrigado pela contribuição. Apareça sempre!

      Marcos Ubirajara.

  8. renesom said,

    19/10/2011 às 22:11

    ola ,tudo bem? sou budista e estou a procura do livro abertura dos olhos, nitiren daishonin , arquivo em pdf ou qualquer outro formato.

    se poder me ajudar , desde já agradeço.

    • muccamargo said,

      19/10/2011 às 23:31

      Olá Renesom!

      Você encontrará o livro aqui: http://nichiren-shu.org/books/kaimoku.html
      É a versão em inglês. Desconheço se há tradução para o português, exceto o resumo que se encontra nas “Escrituras de Nitiren Daishonin” da Editora Brasil Seikyo (São Paulo).

      Espero ter ajudado.

      Marcos Ubirajara.

  9. Marco Amorim said,

    06/05/2015 às 20:35

    Sr. Marcos Ubirajara.
    Saudações,

    o Senhor de fato é um Bodishativa da terra.
    Sou praticante do Budismo Nitiren , hoje já desligado de qualquer instituição.
    Foi uma honra lê sua tradução do Sutra de Lotus. Não os 28 capítulos, somente os de números 2 e 16. Já conhecia a tradução em português de Portugal. Esta li os 28 capítulos várias vezes. Suas anotações de roda pé são bastante pertinentes e esclarecedoras.
    Qualquer um que ler , memorizar , ensinar ou propagar uma única linha que seja deste sutra atingirá está desempenhando o papel do Buda.
    Grato,
    Marco Amorim.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: