Ouvir o Inaudito

“Como é que vamos ouvir o que não ouvimos? Isto se refere às profundezas da doutrina hermeticamente-guardada. Todos os seres possuem a Natureza-de-Buda. Não há nenhuma discriminação entre Buda, Dharma e Sangha. A natureza e características dos Três Tesouros são o Eterno, o Êxtase, o Eu, e o Puro. Todos os Budas, até o final, não entram no Nirvana, e são Eternos e Imutáveis. O Nirvana do Tathagata é: não ‘é’ e não ‘não-é’, não é algo que é criado e nem o que não é criado, nem algo falho [impuro, corrompido] e nem algo sem-falhas [imaculado], não é matéria e nem não-matéria, não é nome e nem não-nome, não é fenômeno e nem não-fenômeno, não ‘é’ e nem ‘não-é’, não é substância e nem não-substância, não é causa e nem efeito, não é oposto e nem não-oposto, não é brilho e nem escuridão, não é aparecimento e nem não-aparecimento, não é eterno e nem não-eterno, não é ruptura e nem não-ruptura, não é começo e nem não-começo, nem passado, nem futuro, e nem presente, nem skandha e nem não-skandha, nem esfera [dos sentidos] e nem não-esfera, nem reino [dos sentidos] e nem não-reino, nem doze elos do surgimento interdependente e nem não-doze elos do surgimento interdependente. Todos esses itens categóricos são de uma natureza profunda e bela na implicação. Pode-se ouvir o que não foi ouvido antes. Também, há ainda coisas que não encontram ouvidos, que são os sutras do tirthikas; isto é, os quatro Vedas, os vyakaranas, os sutras dos Vaisesikas e Kapilas, os trabalhos referentes aos encantamentos, artes médicas, trabalhos das mãos (leitura), dos eclipses do sol e da lua, mudanças nos ciclos das constelações (zodíaco), livros e profecias. Em nenhum destes ouvimos nada do que é secreto. Agora, chegamos a ver isto neste sutra. Também, existem os onze tipos de sutras dos quais o Vaipulya é excluído. E não vemos coisas profundas e secretas estabelecidas lá. Mas chegamos a conhecê-las a partir deste sutra. Oh bom homem! Este é o porquê dizemos que ouvimos aquilo que não ouvimos antes.”

Excerto do Sutra do Nirvana, CAP. 27 – Sobre o Bodhisattva Rei Altamente-Virtuoso.

%d blogueiros gostam disto: