O Búfalo Selvagem

Búfalo Selvagem

O Búfalo Selvagem está no ranking dos animais mais perigosos do mundo. Click na imagem para site de origem.

Ele seguiu em frente. Veio para uma vasta floresta onde um rebanho de búfalos vivia com seus guardiões (pastores). Um desses búfalos era um animal muito poderoso. Tinha um temperamento horrível. Ele mal tolerava a presença dos seus guardiões, e na aproximação de um estranho ele tornava-se agressivo. Quando um estranho se aproximava, ele atacava-lhe com seus chifres, e muitas vezes feria-lhe gravemente. Às vezes o matava.

Os pastores viram o Bem-Aventurado passando, serenamente, e alertaram:

“Cuidado, viajante. Não se aproxime. Há um búfalo perverso aqui.”

Mas ele não deu atenção à advertência. Ele foi direto para o ponto onde o búfalo estava a pastar.

De repente, o búfalo levantou sua cabeça e fungou ruidosamente; então, baixando os seus chifres, correu em direção ao Mestre. Os pastores estremeceram. “Nossos avisos não foram ouvidos”, eles lamentaram; “ele não nos ouviu”. Mas, subitamente, o animal parou; ajoelhou-se diante do Mestre e começou a lamber seus pés. Havia uma expressão de súplica em seus olhos.

O Mestre acariciou delicadamente o búfalo. Falou-lhe numa voz terna.

“Diga para si mesmo que todas as coisas terrenas são transitórias, que a paz se encontra somente no Nirvana. Não chore. Creia em mim, creia em minha generosidade, em minha compaixão, e sua condição mudará. Você não renascerá em meio aos animais e, com o tempo, você alcançará o céu e a morada em meio aos Deuses.”

Daquele dia em diante, o búfalo tornou-se extremamente dócil. E os pastores, que haviam expressado a sua admiração pelo Mestre, e que haviam dado-lhe como esmolas tudo o que podiam dispor, foram instruídos na lei, e tornaram-se conhecidos pela sua piedade, mesmo em meio aos mais piedosos.

A vida do Buda, tr. para o francês por A. Ferdinand Herold [1922], tr. para o inglês por Paul C. Blum [1927], rev. por Bruno Hare [2007], tr. para português brasileiro por Marcos U. C. Camargo [2011].

Fonte: Sacred-Texts em http://www.sacred-texts.com/bud/lob/index.htm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: