Os Mestres Originais do Sutra de Lótus

“Quanto às minhas próprias e vossas causas e condições anteriores, eu agora direi: todos vocês, ouçam bem!”. (CAP. 06: Concessão de Profecias) “Após oitenta e quatro mil kalpas terem passado, o Buda Vitória da Sabedoria da Grande Penetração despertou do seu Samadhi, aproximou-se do trono da Lei e serenamente tomou assento. Ele dirigiu-se à grande… Continuar lendo Os Mestres Originais do Sutra de Lótus

Avalie isto:

A Pregação Original do Sutra de Lótus

“Quanto às minhas próprias e vossas causas e condições anteriores, eu agora direi: todos vocês, ouçam bem!”. (CAP. 06: Concessão de Profecias) “Naquela ocasião, os dezesseis príncipes que tinham deixado o lar, todos como jovens virgens, tornaram-se Shramaneras. Todos passaram a possuir aguçadas faculdades e uma clara sabedoria. Eles já haviam feito oferecimentos a centenas… Continuar lendo A Pregação Original do Sutra de Lótus

Avalie isto:

Kathmandu – Svayambhunath e Bodhnath

Para comemorar a sua visita missionária, diz-se que o imperador Ashoka construiu inumeráveis Torres Votivas no Nepal. Há dois exemplos de torres bem restauradas, que podem ser atribuídas ao período Ashoka. São as notáveis Torres de Svayambhunath e Bodhnath em Kathmandu. Ambas compartilham feições singulares da arquitetura do Nepal. Acima da torre convencional de Bodhnath,… Continuar lendo Kathmandu – Svayambhunath e Bodhnath

Avalie isto:

A Lei da Causação

“Quanto às minhas próprias e vossas causas e condições anteriores, eu agora direi: todos vocês, ouçam bem!”. (CAP. 06: Concessão de Profecias) “Naquela ocasião, o Tathagata Vitória da Sabedoria da Grande Penetração, tendo recebido a súplica dos Reis do Céu Brahma das dez direções, bem como dos dezesseis príncipes, girou três vezes a Roda da… Continuar lendo A Lei da Causação

Avalie isto:

A Súplica dos Reis do Céu Brahma

“Quanto às minhas próprias e vossas causas e condições anteriores, eu agora direi: todos vocês, ouçam bem!”. (CAP. 06: Concessão de Profecias) “Então, os Reis do Céu Brahma curvaram-se com suas cabeças aos pés do Buda, circundando-o uma centena de milhares de vezes, e espalharam flores celestiais sobre ele. As flores formaram uma pilha tão… Continuar lendo A Súplica dos Reis do Céu Brahma

Avalie isto:

A Súplica dos Filhos do Buda

“Quanto às minhas próprias e vossas causas e condições anteriores, eu agora direi: todos vocês, ouçam bem!”. (CAP. 06: Concessão de Profecias) Quando os dezesseis filhos encerraram a sua louvação ao Buda, eles então lhe suplicaram que girasse a roda da Lei, dizendo: ‘Honrado pelo Mundo, pregue a Lei, leve-nos à paz, mostre-nos a compaixão,… Continuar lendo A Súplica dos Filhos do Buda

Avalie isto:

A Louvação dos Filhos do Buda

“Quanto às minhas próprias e vossas causas e condições anteriores, eu agora direi: todos vocês, ouçam bem!”. (CAP. 06: Concessão de Profecias) “Antes que aquele Buda deixasse sua casa ele teve dezesseis filhos, o primeiro deles chamava-se Sabedoria Acumulada. Cada um deles possuía uma variedade de finos brinquedos preciosos e incomuns. Quando eles ouviram que… Continuar lendo A Louvação dos Filhos do Buda

Avalie isto:

O Buda do Tempo Sem Começo

“Quanto às minhas próprias e vossas causas e condições anteriores, eu agora direi: todos vocês, ouçam bem!”. (CAP. 06: Concessão de Profecias) Naquela ocasião, o Honrado pelo Mundo, desejando enfatizar o significado de suas palavras, falou em versos, dizendo: “Eu recordo que numa era passada, ilimitados, incontáveis kalpas atrás, existiu um Buda, duplamente honrado, chamado… Continuar lendo O Buda do Tempo Sem Começo

Avalie isto:

Kapilavastu e Lumbini

Siddhartha Gautama, aquele que seria o futuro Buda, nasceu em Lumbini, próxima à capital dos Shakyas em Kapilavastu, na região sul do Nepal conhecida como “terai”. Fa-hsien, um peregrino chinês do século 5, descreveu Kapilavastu como um “grande cenário de desolação”, habitado por alguns poucos monges, um punhado de famílias, e perigosos animais tais como… Continuar lendo Kapilavastu e Lumbini

Avalie isto:

O Doce Sabor da Chuva Universal

Nas montanhas, rios e vales íngremes, nos profundos recessos, lá crescem as gramas, árvores e ervas, tanto as grandes como as pequenas, as sementes, brotos e plantas, a cana-de-açúcar e a uva do vinho; todas são nutridas pela chuva, e nunca falham em tornarem-se ricas.   Quando o solo ressequido é embebido, as ervas e… Continuar lendo O Doce Sabor da Chuva Universal

Avalie isto: