Cem Anos da Imigração Japonesa no Brasil

Carta aos Imigrantes Japoneses

Sou brasileiro, afro-descendente e, vejam, Budista. Acredito muito que o budismo mudará o Brasil e, por essa razão, dou tanta importância para o centenário do desembarque do budismo em terras brasileiras, através dos muitos japoneses que aqui aportaram em 18 de junho de 1908 com a chegada do navio Kasato Maru no porto de Santos-SP.


Em conseqüência das causas e relações recentemente estabelecidas com os muitos descendentes de segunda, terceira e até quarta geração daqueles pioneiros, vim a conhecer o Budismo em 1978; ou seja, setenta anos após a chegada do Kasato Maru. No Budismo, relações recentes podem restabelecer profundas relações de um passado distante, muitas vezes, fazendo-nos lembrar dos nossos votos pretéritos. Assim, coube-me levar ao cabo a primeira tradução brasileira do Sutra de Lótus em sua íntegra, reputado como o mais elevado dos ensinos do Buda Shakyamuni. Essa tradução transformou-se no livro que pode ser acessado e lido neste espaço de forma gratuita, ou na forma impressa mediante a publicação que veio à luz neste ano de 2008, exatos cem anos após a chegada dos pioneiros. Evidentemente, isto se dá em benefício de incontáveis seres viventes no presente, projetando-se tais benefícios para o futuro desse país da esperança, como um Lótus em profusão.


Desnecessário dizer que, para mim, essa data comemorativa se reveste da maior importância. Gostaria, dessa forma, de render as minhas mais sinceras homenagens ao povo japonês.

Namu-Myoho-Rengue-Kyo.

Flor de Lótus
Foto de Dôra no Orto Botanico de Florença-Itália, em 14/06/2008.

Veja no link abaixo a relação dos imigrantes do Kasato Maru.

KASATO MARU – ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO.

2 Comentários

  1. mariana said,

    11/10/2011 às 1:16

    Ola, parabéns que lindo mesmo seu trabalho….
    e quando acende uma luz , ilumina não só o seu , mais o caminho de todos os que buscam!!!!
    Só uma pergunta sou praticante a quase 10 anos , do Budismo Nitirem
    ( SGI) e recitamos Nam Myoho rengue kyo, por que vc recita namu??
    obrigado , inté Mariana

    • muccamargo said,

      11/10/2011 às 11:43

      Bom dia Mariana!

      Encontra-se as grafias “Namu” ou “Namo” para essa palavra, a qual deriva de “Namah”, significando devotar-se, curvar-se, fazer reverência. Na escola da Nitiren Shoshu, da qual teve origem o movimento da Soka Gakkai, a vogal final é suprimida em tempo de recitação, o que resulta em “Nam-Myoho-Rengue-Kyo”. Também já recitei assim.

      Tenha um ótimo dia e apareça sempre.

      Marcos Ubirajara.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: