Em Última Análise, Não Há Um Eu

Sutra:

Então Subhuti disse ao Buda: “Honrado pelo Mundo, se um bom homem, ou uma boa mulher, devota seu coração ao Anuttara-Samyak-Sambodhi, como ele deve viver, como ele deve subjugar o seu coração?”

O Buda disse a Subhuti: “Um bom homem, ou uma boa mulher, que tenha devotado o seu coração ao Anuttara-Samyak-Sambodhi deve pensar assim: ‘Eu devo levar todos os seres viventes à travessia para a extinção. No entanto, mesmo quando todos os seres viventes tenham sido levados à travessia para a extinção, não haverá de fato um único ser vivente que tenha sido levado à travessia para a extinção’. E por quê? Subhuti, se um Bodhisattva tem uma marca do eu, uma marca dos outros, uma marca dos seres viventes ou a marca de uma vida, então ele não é um Bodhisattva. Por que razão? Subhuti, de fato não há um dharma de devoção do coração ao Anuttara-Samyak-Sambodhi.”

“Subhuti, o que você pensa? Enquanto o Tathagata estava com o Buda Tocha Ardente, havia qualquer dharma do Anuttara-Samyak-Sambodhi atingido?”

“Não, Honrado pelo Mundo. (De acordo) como eu entendo o que o Buda tem dito, enquanto o Buda estava com o Buda Tocha Ardente não havia Anuttara-Samyak-Sambodhi atingido”.

Comentário:

Quando Subhuti ouviu o Buda louvar o inconcebível mérito e virtude do sutra e a retribuição igualmente inconcebível resultante de receber, ostentar, recitar e falar o sutra para outros, ele indagou: “como podem todos os bons homens e boas mulheres que tenham devotado seus corações à Insuperável, Própria e Plena, Iluminação Correta capacitarem seus corações a não residir em lugar algum? Como eles podem apartarem-se das marcas e subjugar seus corações?”

Numa seção anterior do texto, Subhuti havia indagado a mesma questão ao Buda. Naquele momento, Subhuti estava de fato indagando como ele próprio poderia devotar o seu coração ao Anuttara-Samyak-Sambodhi. Era para o seu próprio benefício. Agora ele está indagando como todos os seres viventes em toda a parte podem devotar seus corações ao Anuttara-Samyak-Sambodhi, como podem domar seus corações, e onde seus corações devem residir.

O Buda respondeu que as pessoas que tenham devotado seus corações à Insuperável, Própria e Plena, Iluminação Correta devem levar todos os seres viventes à travessia para a extinção – resgatar e libertar todos os seres viventes tal que possam realizar a Via do Buda. Mas, o Buda ainda salienta: após ter-lhes levado à travessia para a extinção, um Bodhisattva não deve reconhecer quaisquer seres viventes como tendo sido levados à travessia. Ele não tem qualquer apego. Se um Bodhisattva diz: “Eu sou capaz de levar os seres viventes à travessia para a extinção”, ele tem a marca do eu. Se ele diz: “eu posso levar outros à travessia”, ele tem a marca dos outros. Com um ‘eu’ a levar ‘outros’ à travessia, a marca dos seres viventes surge. Uma vez que há distinção entre a iluminação própria de alguém e a iluminação dos outros, então há a marca de uma vida. Todavia, não há alguém que leve os seres à travessia, nem há quaisquer seres viventes que sejam levados à travessia, nem há uma ação de levá-los. Não se deve então estar apegado a tais marcas. Se há apego, então não apenas não se atingiu a vacuidade dos dharmas, como não se atingiu também a vacuidade das pessoas, e não se é um Bodhisattva.

Sutra Diamante – Capítulo 17 – Em Última Análise, Não Há Um Eu.

Original

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: