A Parábola da Pérola de Valor Inestimável

Naquela ocasião, Ajnatakaundinya e os outros, desejando reforçar o significado das suas palavras, falaram em versos, dizendo:

“Ouvindo o supremo som da profecia de paz e tranqüilidade,
alegramo-nos ganhando o que nunca possuíramos,
e curvamo-nos diante do Buda da sabedoria imensurável.
Agora, na presença do Honrado pelo Mundo,
arrependemo-nos das nossas faltas e erros.
Dentre as ilimitadas jóias do Buda,
havíamos ganhado não mais que uma pequena porção do Nirvana,
e, como pessoas ignorantes, insensatas,
contentamo-nos com aquilo.

É como uma pessoa pobre,
que vai à casa de um amigo íntimo,
uma casa muito rica e luxuosa,
abarrotada de preciosidades.
Pegando uma pérola de valor inestimável,
o amigo a introduz no forro da roupa daquele pobre homem e parte silenciosamente, sem nada dizer,
enquanto o pobre homem dorme inconsciente.
Quando o homem acorda,
ele viaja para uma outra terra,
onde, à procura de comida e roupas para sobreviver,
ele sofre passando por muitas dificuldades e,
satisfazendo-se com o pouco que consegue obter,
não alimenta desejo por nada melhor.
Ele está inconsciente de que dentro da sua roupa há uma pérola de valor inestimável.
O amigo que lhe deu a pérola,
mais tarde encontra-se com o pobre homem novamente,
e repreendendo-o duramente,
mostra-lhe a pérola que ele introduziu em sua roupa.
Vendo a pérola, o coração do pobre homem encheu-se de grande alegria.
Tornando-se rico e afortunado,
ele satisfez os cinco objetos de desejo.

Nós, também, somos como aquele homem.
Durante a longa noite,
o Honrado pelo Mundo constantemente compadeceu-se cuidando, ensinando, convertendo e induzindo-nos a plantar os votos supremos.
Mas, em razão de ter-nos faltado sabedoria,
tornamo-nos inconscientes e ignorantes,
e obtendo uma pequena porção do Nirvana,
satisfizemo-nos e nada mais procuramos.

Agora o Buda despertou-nos,
dizendo que isto não é verdadeiramente a extinção.
Quando obtivermos a suprema sabedoria do Buda,
aquela sim é a verdadeira extinção.
Agora, tendo ouvido o Buda acerca dessas profecias e dotações de adornos,
e essas profecias sendo concedidas em sucessão,
exultamo-nos no corpo e na mente”.

Excerto do CAP. 08: A Concessão de Profecias aos Quinhentos Discípulos, pág. 190.

Por muccamargo

Físico, Mestre em Tecnologia Nuclear USP/SP-Brasil, Consultor de Geoprocessamento, Estudioso do Budismo desde 1987.

2 comentários

  1. Os ensinamentos de Buda são eternos. Buda é esprito iluminado que veio a terra em missão, ele nao precisa estar aqui neste mundo de sofrimentos, mas se dispos a este fardo para deixar-nos meios melhores de viver.

    1. Sim, Andréia. Concordo, mas sou mais “otimista”. Ele está sempre aqui. São palavras do próprio Buda neste sutra. Lá diz:

      “Quando os seres viventes tornam-se fiéis e dóceis,
      fortes e de pensamentos condescendentes,
      e em mente única desejam ver o Buda,
      sem poupar as suas próprias vidas, naquele momento,
      eu e a Sangha, em assembléia,
      apareceremos juntos no Pico da Águia,
      onde eu digo para os seres viventes que estou sempre aqui e nunca cesso de ser.”

      CAP. 16: A Duração da Vida do Tathagata.

      Obrigado pela visita.

      Marcos Ubirajara.

Deixar um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s