A Natureza de Buda Dentro de Nós

“Oh bom homem! Por exemplo, existe aqui um homem que está no meio de um grande oceano. Muito longe, inumeráveis centenas de milhares de yojanas de distância, ele vê um grande galeão, a torre do leme e o convés. Ele olha e pensa para si: ‘Aquilo é uma torre do leme ou é o céu?’ Ele olha por um longo tempo, seu pensamento torna-se fixo e ele vem a concluir que aquilo é uma torre do leme. O mesmo é o caso com o Bodhisattva dos dez estágios de residência, que vê dentro de si a natureza do Tathagata.

Por exemplo, há um príncipe aqui que é fisicamente fraco, que passou a noite jogando e agora está acordando. Ele tenta, mas não consegue ver claramente. O caso é como este. O Bodhisattva dos dez estágios de residência vê dessa maneira a natureza do Tathagata dentro de si. E, semelhantemente, o que ele vê não é claro.

Também, além disso, oh bom homem! Por exemplo, um oficial do governo, obrigado pela sua rotina típica de trabalho, chega em casa tarde da noite. Ocorre um ‘flash’ momentâneo de luz e ele vê um grupo de vacas. Então ele pensa: ‘Isso é um grupo de vacas, uma nuvem, ou um cavalo?’ Ele olha por um bom tempo e chega à conclusão de que são vacas. E ainda assim ele não pode se assegurar. O Bodhisattva dos dez estágios de residência vê a natureza do Tathagata dentro de si e, no entanto, não pode vê-la claramente. A situação é como esta.

Também, além disso, oh bom homem! Um Monge que observa os preceitos procura alguma água na qual não existam vermes. E, no entanto, ele vê um verme e pensa para si: ‘Essa coisa que se move na água é um verme ou um grão de pó?’ Ele encara aquilo por um bom tempo. Mesmo após ele ter compreendido que era um grão de pó, ele não está seguro. É assim. O mesmo é o caso com o Bodhisattva dos dez estágios de residência, que vê assim a natureza do Tathagata dentro de si. Nada é muito claro.

Também, além disso, oh bom homem! Por exemplo, um homem vê uma criança na escuridão, à distância. Ele pensa: ‘Isso é uma vaca, um homem, ou um pássaro?’ Ele fica contemplando aquilo por um bom tempo. Ele agora vê que aquilo é uma criança e, no entanto, ele não pode vê-la claramente. É assim. O mesmo se aplica ao Bodhisattva que está nos dez estágios de residência e que vê dentro de si a natureza do Tathagata. Nada é completamente claro.

Também, além disso, oh bom homem! Existe uma pessoa que, na escuridão da noite, vê a imagem de um Bodhisattva e pensa: ‘Isto pode ser a imagem de um Bodhisattva, do Mahesvara, do Grande Brahma ou de alguém num traje monástico?’ A pessoa contempla aquilo por um bom tempo e conclui que é a forma de um Bodhisattva e, no entanto, ela não o vê muito claramente. O mesmo é o caso com o Bodhisattva dos dez estágios de residência que vê dentro de si a natureza do Tathagata. Nada parece ser muito claro.

Oh bom homem! A Natureza-de-Buda que temos é a mais profunda e a mais difícil de ver. Somente o Buda pode vê-la bem. Ela não está ao alcance de Sravakas e Pratyekabudas. Oh bom homem! Assim o sábio deve ver e compreender a natureza do Tathagata.”

Excerto do Sutra do Nirvana, CAP. 12: Sobre a Natureza do Tathagata.

%d blogueiros gostam disto: