O Mahasattva e Todos os Seres Viventes

Deve-se subjugar seus pensamentos, pensando: “devo fazer com que todos os seres viventes entrem no Nirvana não-residual e sejam conduzidos à extinção. Todos os seres viventes podem ser divididos em Doze Categorias. Das doze, que são discutidas em detalhes no Sutra Surangama, dez são listadas no texto deste sutra. Aquelas não listadas correspondem a “aqueles não totalmente com forma” e “aqueles não totalmente sem forma”. Aqueles não totalmente com forma incluem seres viventes que basicamente possuem forma, mas que a mantém apenas através de relações parasitárias com outros seres viventes, tais como a medusa transparente que não tem olhos e usa o camarão para atuar como sua faculdade visual. Aqueles não totalmente sem forma incluem seres viventes que basicamente não possuem forma, mas que voluntariamente aparecem quando evocados através de mantras, tais como espíritos e fantasmas mântricos.

As quatro primeiras das Doze Categorias são:

  1. Nascidos de ovos devido ao pensamento,
  2. Nascidos do útero devido à emoção,
  3. Nascidos da umidade devido a um processo de união, e
  4. Nascidos pela transformação devido a um processo de separação.

Nos processos que envolvem o pensamento, a emoção, união e separação, a dúvida é criada. Com o surgimento da dúvida, o karma é formado; com a existência do karma, sujeita-se à retribuição, cada um segundo a sua espécie. Cada um e todos os nascimentos dependem das condições causais que determinam a retribuição a ser recebida.

Seres que nascem de ovos devido ao pensamento. Um exemplo por analogia é a galinha chocando seus ovos de manhã à noite, pensando: “Meus pintinhos devem surgir em breve. Saiam, saiam, pintinhos”. Ela assim pensa por um longo tempo até que finalmente ela os encontra para fora das suas cascas. Os ovos quebram-se em pintinhos, oriundos do pensamento.

Seres que nascem do útero devido à emoção. O útero existe em razão do amor e da emoção que ocorre entre o macho e a fêmea. O intercurso desse amor e emoção resulta, sob certas condições, na gravidez no útero.

Seres que nascem da umidade devido à união. A união do karma com o calor produz, sob certas condições, criaturas nascidas da umidade, como bactérias, virus e semelhantes.

Seres que nascem pela transformação devido à separação. Quando uma formação cármica separa-se de algo velho e torna-se algo novo, existe o nascimento pela transformação, como por exemplo a metamorphose de uma borboleta.

Seres com forma se refere a seres tais como essências (substâncias) auspiciosas (favoráveis) e desfavoráveis que resultam de fenômenos astrológicos. Tais seres tomam forma, mas a forma não é permanente.

Seres sem forma se refere a seres nos Quatro Céus da Amorfia (sem forma): o Céu do Vazio Ilimitado, o Céu da Consciência Ilimitada, o Céu do Nada Absoluto, e o Céu de Nem Pensamento e Nem Não-Pensamento.

Seres com pensamento se refere a fantasmas, espíritos e essências, bem como boas manifestações como Bodhisattvas, ou as más como aberrações estranhas.

Seres sem pensamento se refere àqueles que se transformaram em terra, árvores, metais ou rochas. Um exemplo através da analogia é uma montanha em Hong Kong chamada “Olhando à Procura de Seu Marido”. Tal nome é em virtude de que no passado existiu uma mulher que escalava a montanha diariamente com sua criança a fim de olhar para o mar à procura de seu marido que havia partido para a guerra e nunca retornou. Em razão de ter sustentado aquele pensamento solitário por um longo tempo, a mulher finalmente se transformou em pedra. No alto da montanha ainda pode ser vista a figura de uma mulher em pedra segurando a sua criança como se olhasse para o mar.

Seres não totalmente com pensamento se refere a seres viventes que são involuntariamente nascidos na forma de uma outra criatura devido ao poder do pensamento daquela criatura, tais como a larva da mariposa de amoreira cujo corpo é transformado no de uma vespa através do poder do pensamento de uma “única vespa”. A vespa prepara o seu ninho e coloca dentro dele alguma larva da mariposa de amoreira. Ela então, ao longo de sete dias, recita um mantra sobre os insetos. O mantra é simples: “Seja como eu! Seja como eu!”. Após sete dias, a larva da mariposa de amoreira se torna uma vespa.

Seres não totalmente sem pensamento se refere àqueles cujos corpos são originalmente matéria destituída de pensamento, mas que vem a existir naquela forma devido ao desejo do pai. Consequentemente esses seres tornam-se possuídos por pensamentos extremamente bizarros.

Sutra Diamante – Capítulo 3 –A Doutrina Ortodoxa do Grande Veículo.

Original

2 Comentários

  1. camargui said,

    25/10/2012 às 11:37

    Ol Marcos, Bom dia, meu irmo! Lendo, atentamente a esse seu magnfico poste, encontrei um “erro” de digitao que julgo importante, que seja corrigido. Veja: Seres que nascem de ovos devido ao pensamento. Um exemplo por analogia a galinha chocando seus ovos de manh noite, pensando: Meus pintinhos devem surgir em breve. Saiam, saiam, pintinhos. Ela assim pensa por um longo tempo at que finalmente ela os encontra para fora do suas cascas. Os ovos quebram-se em pintinhos, oriundos do pensamento. Forte abrao Srgio Date: Thu, 25 Oct 2012 10:49:46 +0000 To: camargui@hotmail.com

    • muccamargo said,

      25/10/2012 às 20:21

      Obrigado Sergio!

      Espero que seja apenas o erro que encontrei: “do suas cascas”.
      Obrigado pela contribuição.

      Na paz do Dharma!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: