Nada Atingido, Nada Pregado

Sutra:

“Subhuti, o que você pensa? O Tathagata atingiu o Anuttara-Samyak-Sambodhi? O Tathagata pregou algum Dharma?”

Subhuti disse: “Como eu compreendo o que o Buda disse, não há um dharma concreto chamado Anuttara-Samyak-Sambodhi, e não há um dharma concreto que o Tathagata tenha pregado. E por quê? Os dharmas pregados pelo Tathagata não podem ser apreendidos e não podem ser falados. Não são dharmas e nem não-dharmas. E por quê? Dharmas não-condicionados distinguem os sábios dignos.”

Comentário:

Tathagata é uma palavra do Sânscrito que se traduz por “Assim Advindo”. É o primeiro dos Dez Títulos (Honoríficos) do Buda. Significa que o Buda percebeu o Caminho (Via) que é “Assim” e ele “Adveio” para realizar a Iluminação Correta.

O Tathagata atingiu o Anuttara-Samyak-Sambodhi? Atingiu se define com relação a (algo) “Perdido”. Quando algo foi perdido, ele pode ser atingido. Na sentença, deve-se substituir a palavra “atingiu” pela palavra “perdeu”: O Tathagatha perdeu o Anuttara-Samyak-Sambodhi? Se ele não o perdeu, então é impossível para ele atingi-lo novamente. Essa explicação deve tornar o significado claro. Ao se olhar ambos os lados da questão, compreende-se verdadeiramente.

Anuttara-Samyak-Sambodhi é “Insuperável, Própria e Plena, Iluminação Correta”.

O Tathagata pregou algum dharma? Pode-se também inverter e perguntar: “O Tathagata não pregou o dharma?” Se diz-se que ele não pregou o dharma, ele o fez. Se diz-se que ele o fez, então por que ele próprio indagou se o tinha feito ou não? O que se deve responder neste caso? O Buda indagou a questão para testar a sabedoria de Subhuti. Se ele tinha a sabedoria do prajna ele deveria compreender o príncípio.

Quanto a saber se o Tathagata havia atingido o Anuttara-Samyak-Sambodhi, Subhuti não respondeu. Ele disse: “Minha compreensão daquilo que o Buda tem dito é que não há algo como o Anuttara-Samyak-Sambodhi”. Não há dharma com esse nome. Nada havendo, o que poderia ser atingido ou perdido? Por que não há tal dharma? Porque não há dharma concreto que o Tathagata pudesse pregar. O que o Tathagata fala é que Anuttara-Samyak-Sambodhi é nada mais que um nome. Na realidade, mesmo o nome é vazio e sem existência independente. Uma vez que ele basicamente não existe, o que poderia ser atingido? O que poderia ser perdido?

O ensino é pregado por que há pessoas. O remédio é prescrito por que há doenças. O dharma que o Tathagata prega não pode ser apreendido. É como varrer o chão quando está empoeirado. Quem prega? Quem varre? O dharma pregado é o dharma-poeira que o Tathagata varre. Ele não pode ser apreendido. Não é dharma e nem não-dharma. Que dharmas há? Não há nenhum. Não há nada afinal.

Sutra Diamante – Capítulo 7 – Nada Atingido, Nada Pregado.

Original

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: