O Sentido de Devotar a Vida

“Rei da Constelação Flor! Se uma pessoa que toma a decisão pela consecução do Anuttara-Samyak-Sambodhi puder queimar um dedo da mão ou do pé como um oferecimento à torre de um Buda, seus oferecimentos superarão os daqueles que usam como oferecimentos países, cidades, esposas e filhos, ou mesmo os três mil grandes sistemas de mil mundos com todas as suas montanhas, florestas, rios, lagos e objetos preciosos”.

“Se, além disso, uma pessoa preencher todos os três mil grandes sistemas de mil mundos com os sete tesouros e oferecê-los ao Buda, aos grandes Bodhisattvas, Pratyekabudas e Arhats; os méritos e virtudes que aquela pessoa obteria não se igualariam ao daquela que recebe e ostenta mesmo que um simples verso de quatro linhas do Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa , pois as bênçãos desta última são longinquamente maiores”.

Excerto do CAP. 23: Os Feitos Passados do Bodhisattva Rei da Medicina, pág. 368.

O Anfitrião Dadivoso

“O Tathagata é um grande Anfitrião Dadivoso para todos os seres viventes. Sendo assim, todos devem estudar adequadamente as Leis do Tathagata e nunca se tornarem mesquinhos.

No futuro, se houver um bom homem ou uma boa mulher que creia na sabedoria do Tathagata, devem expor o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa para aquela pessoa, fazendo a pessoa ouvir, compreender e obter a sabedoria do Buda. Se houver seres viventes que não creiam ou aceitem-na, devem instruí-los com alguma outra das profundas Leis do Tathagata, beneficiando-lhes e fazendo-lhes alegrarem-se. Se puderem fazer isto, já terão retribuído a benevolência dos Budas”.

Excerto do CAP. 22: A Transmissão, pág. 357.

Raros Sinais de Benevolência

“Os Budas, salvadores do mundo,
baseando-se nas grandes penetrações espirituais,
em prol do deleite dos seres viventes,
manifestam ilimitados poderes espirituais.
Suas línguas alcançam os Céus Brahma,
seus corpos emitem incontáveis luzes.
Todos esses raros eventos eles fazem aparecer em prol daqueles que buscam a Via do Buda.
Os sons produzidos quando os Budas tossem,
e os sons produzidos quando eles estalam seus dedos,
são ouvidos através das terras das dez direções,
bem como a terra agita-se de seis formas diferentes.

Uma vez que o Buda tenha passado à extinção,
se houver aquele que ostente este Sutra,
todos os Budas alegrar-se-ão e exibirão ilimitados poderes espirituais.
Em prol da transmissão deste Sutra,
eles elogiarão aquele que recebê-lo e ostentá-lo.
E mesmo que o fizessem durante ilimitados kalpas,
ainda assim eles não poderiam esgotar os elogios aos méritos e virtudes daquela pessoa,
que serão incomensuráveis e infinitos,
como o espaço nas dez direções,
sem qualquer limite”.

Excerto do CAP. 21: Os Poderes Espirituais do Tathagata, pág. 354.

Raros Sinais de Benevolência

Raros Sinais de Benevolência

A Mais Suprema Lei

“Grande Força, saiba que o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa beneficia enormemente todos os Bodhisattvas Mahasattvas, fazendo-lhes alcançar o Anuttara-Samyak-Sambodhi. Portanto, após a passagem do Tathagata à extinção, todos os Bodhisattvas Mahasattvas devem sempre receber, ostentar, ler e recitar este Sutra, explicando-lhe para outros, e copiando-o”.

“A multidão de quinhentos Bodhisattvas nesta assembléia,
e os homens e mulheres de pura fé na assembléia dos quatro tipos de crentes,
que estão agora diante de mim ouvindo o Dharma,
em existências prévias,
eu exortei essas pessoas a ouvir e receber este Sutra,
que é a mais suprema Lei.

Eu os instrui e levei-os a residir no Nirvana,
e vida após vida, a receber e ostentar um Sutra como este.
Somente em milhões e milhões de miríades de kalpas,
inconcebíveis em número,
pode-se vir a ouvir o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa.
E somente em milhões e milhões de miríades de kalpas,
inconcebíveis em número,
os Budas, Honrados pelo Mundo,
fazem acontecer de este Sutra ser pregado.

Portanto, os praticantes após a extinção do Buda,
ao ouvir este Sutra,
não deveriam dar lugar às dúvidas,
mas, com um pensamento único,
deveriam proclamar extensivamente este Sutra,
tal que vida após vida eles possam encontrar-se com Budas e rapidamente realizarem a Via do Buda”.

Excertos do CAP. 20: O Bodhisattva Sem-Desprezo, páginas. 347 e 348.

O Atalho Para o Anuttara-Samyak-Sambodhi

“Grande Força, o Bodhisattva Mahasattva Sem-Desprezo fez oferecimentos a tantos Budas quanto aqueles citados[1]: reverenciando-os, honrando-os e louvando-os; e assim plantando as raízes da benevolência. Mais tarde ele encontrou mil miríades de Budas, e durante a vigência da Lei daqueles Budas, ele pregou este Sutra. Quando seus méritos e virtudes se completaram, ele tornou-se um Buda”.

 “Grande Força, o que você pensa? Poderia o Bodhisattva Sem-Desprezo ser desconhecido para você? Ele não era outro senão eu mesmo! Não tivesse eu nas vidas anteriores recebido, ostentado, lido e recitado este Sutra, e lhe explicado para outros, não seria capaz de atingir o Anuttara-Samyak-Sambodhi tão rapidamente. Em razão de ter recebido, ostentado, lido e recitado este Sutra na presença dos Budas anteriores, e lhe explicado para outros, eu rapidamente alcancei o Anuttara-Samyak-Sambodhi[2]”.


[1] Aqui, “tantos Budas quanto aqueles citados” indica também as pessoas comuns às quais esse Bodhisattva sempre fez reverência. Portanto, servir a um vasto número de Budas, segundo este Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa, significa fazer reverência, honrar e louvar todos os seres. Esta revelação, certamente, constitui um dos mais profundos segredos deste sutra. Encontrar um Buda neste mundo é extremamente raro. Então, como servir a incontáveis Budas para, somente então, atingir a iluminação? Este é um longo caminho que exigiria incontáveis kalpas para se atingir a iluminação. Este Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa, todavia, revela o caminho curto através desta passagem. Servir a incontáveis Budas é uma tarefa que pode ser levada ao cabo numa existência momentânea da vida, bastando para isso “enxergar” o Buda que existe inerentemente em todos os seres, reverenciá-lo e louvá-lo. Isto estará sendo feito ao expor e ensinar este Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa por toda a parte, a todos os seres, revelando-lhes que, infalivelmente, tornar-se-ão Budas. Mesmo seres insensíveis, aos quais não cabe ensinar o sutra, poderão ser beneficiados uma vez o sutra lhes seja exposto.

[2] Tão rapidamente em comparação com a necessidade de incontáveis kalpas para se atingir a iluminação através dos três veículos praticados por aqueles monges de grande arrogância. O Veículo Único é o caminho curto seguido pelo Buda Shakyamuni desde o infinito passado.

Excerto do CAP. 20: O Bodhisattva Sem-Desprezo, pág. 345.

Sobre Atingir a Via do Buda

“Eu, em prol da Via do Buda,
através de ilimitadas terras,
desde o princípio até agora,
tenho amplamente exposto todos os Sutras,
e em meio a todos os outros,
este Sutra é superior.
Se alguém puder ostentá-lo,
aquela pessoa estará ostentando o corpo do Buda.

Bons homens, após a minha extinção,
quem poderá receber, ostentar,
ler e recitar este Sutra?
Agora, na presença dos Budas,
façam seu voto.

Este Sutra é difícil de ostentar,
se alguém ostentá-lo mesmo que por um instante,
eu rejubilarei,
bem como todos os outros Budas.

Uma pessoa assim será elogiada por todos os Budas:
‘Isto é coragem!
Isto é diligência,
isto é o que se chama observar os preceitos e praticar Dhutas’.

Essa pessoa obterá rapidamente a suprema Via do Buda.
Se, no futuro, alguém puder ler e ostentar este Sutra,
essa pessoa será então um verdadeiro discípulo do Buda,
residindo num estado de pureza e benevolência.

E alguém que, após a extinção do Buda,
puder compreender o seu significado,
será como olhos para todos os seres celestiais e humanos no mundo.

Na era do terror,
alguém que possa expô-lo mesmo que por um instante,
será merecedor de oferecimentos de todos os seres celestiais e humanos.”

Excerto do CAP. 11: O Aparecimento da Torre de Tesouro, pág.228.

O Doce Orvalho do Dharma Maravilhoso

Naquela ocasião, o Honrado pelo Mundo, desejando enfatizar o significado de suas palavras, falou em versos, dizendo:

“O Demolidor da existência,
o Rei do Dharma manifesta-se no mundo,
e de acordo com os desejos dos seres viventes,
ele ensina a Lei de variadas formas.

O Tathagata, não necessitando de veneração por esta sabedoria,
profunda e imensurável,
permaneceu por longo tempo em silêncio acerca deste assunto,
não se precipitando ou apressando-se em seguir adiante.

Aqueles com sabedoria, se ouvirem-na,
serão capazes de entendê-la e compreendê-la;
mas aqueles de escassa sabedoria duvidarão e,
desse modo, a perderão por um longo tempo.
Por esta razão, Kashyapa,
ela é pregada de acordo com as suas capacidades,
empregando-se várias causas e condições para conduzi-los a uma visão correta.

Kashyapa, saiba que ela é como uma grande nuvem emergindo sobre o mundo e recobrindo a tudo.
Uma nuvem de sabedoria repleta de umidade,
iluminada com flashes luminosos,
e vibrante como o rugido dos trovões.
Ela traz o deleite para todos,
obscurecendo a luz do sol,
e refrescando a terra.

A nuvem abaixa-se e expande-se como se pudéssemos encontrá-la e tocá-la.
Faz chover com equidade em todos os lugares,
caindo igualmente nas quatro direções,
derramando incomensuráveis benefícios e saturando toda a terra.”

Excerto do CAP. 05: Ervas Medicinais, pág. 126.

Foto de Adjalmo na chácara da Mercês em 19/10/2008

Foto de Adjalmo na chácara da Mercês em 19/10/2008

Nirvana Absoluto, o Vazio do Cristal Perfeito

O Tathagata compreende a Lei de um único aspecto, de um único sabor, o que significa dizer: ‘o verdadeiro aspecto da libertação, o verdadeiro aspecto da emancipação, o verdadeiro aspecto do Nirvana absoluto que é constantemente tranqüilo, inerte e que, ao final, retorna para o vazio’. Embora compreendendo todas essas coisas, o Buda contempla os desejos que vão nos pensamentos dos seres viventes e os protege. Por esta razão ele não prega imediatamente a sabedoria de todos os fenômenos.

Excerto do CAP. 05: Ervas Medicinais, pág. 126.

Interessante ver também Cristal Perfeito.

A Difícil Missão de Shariputra

Shariputra!
Este meu selo da Lei é pregado porque eu desejo beneficiar o mundo.
Onde quer que esteja,
não o propague erroneamente.

Se houver aqueles que o ouçam,
e alegrem-se, recebendo-o em cima de suas cabeças (coroas),
saiba que tais pessoas são Avaivartika[1].

Aqueles que compreendem e aceitam a Lei deste Sutra,
essas pessoas já viram os Budas do passado,
reverentemente fazendo oferecimentos,
bem como ouvindo esta Lei.

Quando a pregares,
aqueles que são capazes de compreender o que dizes,
então eles estarão vendo a mim,
e estarão vendo a ti,
e também a sangha de Monges,
bem como a todos os Bodhisattvas.

Este Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa é pregado por aqueles de profunda sabedoria;
quando aqueles de escassa compreensão ouvirem-no,
ficarão confusos, sentir-se-ão enganados e falharão em compreendê-lo.
Os Ouvintes, cada um, e os Pratyekabudas,
acham os conteúdos deste Sutra além de suas capacidades.

Você, Shariputra,
obteve acesso a este Sutra através da fé.
Quanto mais não é verdadeiro com relação aos outros Ouvintes.
Esses Ouvintes,
somente em razão da sua fé nas palavras do Buda,
concordarão com este Sutra.
Mas, isso está além do alcance das suas próprias sabedorias.

Além disso, Shariputra,
para os arrogantes,
indolentes e aqueles que nutrem visões próprias,
não pregue este Sutra.
Pessoas comuns de escassa compreensão,
profundamente apegadas aos Cinco Desejos,
ouvindo-o, falharão em compreender;
não o pregue para eles, quem quer que sejam.

 

 


[1] Pessoas que atingiram o estágio de não-regressão.

Excerto do CAP. 03: A Parábola, pág. 93.

A Gema Dourada do Mahayana

Este veículo é sutil e maravilhoso,
puro e superior.
Através de todos os mundos ele é supremo.
Os Budas se comprazem nele,
e todos os seres viventes devem igualmente exultá-lo,
fazer-lhe oferecimentos e curvar-se diante dele.

Ilimitados milhares de milhões de poderes, emancipações,
meditações para o Samadhi,
sabedorias e outros atributos dos Budas,
são obtidos a partir de um veículo como este.

Excerto do CAP. 03: A Parábola, pág. 91.

« Older entries

%d blogueiros gostam disto: