As Práticas em Prol da Via do Buda

Se há seres viventes que se encontraram com Budas no passado,
ouviram a Lei, praticaram a doação,
os preceitos, a paciência,
e um forte esforço de meditação para o Samadhi,
para a sabedoria,
e assim por diante cultivando méritos e virtudes,
todas as pessoas tais como essas atingiram a Via do Buda.

Quando aqueles Budas tornaram-se extintos,
se havia aqueles com corações condescendentes,
seres tais como esses atingiram a Via do Buda.

Após a extinção daqueles Budas,
aqueles que fizeram oferecimentos às suas relíquias,
construindo milhões de tipos de torres votivas,
feitas de ouro, prata, ou de cristal,
madrepérola, carnelian,
quartzo rosa, lápis-lazúli e outras gemas,
limpas, puras e magnificamente ornamentais,
trabalhadas para decorar as torres;
ou se caso houve aqueles que construíram templos de pedra,
de madeira de sândalo ou de aloés,
hovênia ou outras madeiras de lei,
tijolos, argila e similares;
ou se houve aqueles que, sobre dejetos estéreis,
amontoaram terra na construção de um relicário para o Buda;
ou mesmo se houve crianças que, a brincar,
amontoaram areia para construir uma torre votiva;
todas essas pessoas atingiram a Via do Buda.

Aqueles que erigiram imagens do Buda,
esculpindo todas as suas inúmeras marcas distintivas,
atingiram a Via do Buda.
Quer tenham usado as sete gemas preciosas,
bronze ou prata; branco ou vermelho;
cera, chumbo ou lata;
ferro, madeira ou argila;
ou, talvez, tecido laqueado na confecção de imagens do Buda;
tais pessoas atingiram a Via do Buda.

Aqueles que pintaram imagens brilhantes do Buda,
adornadas com as marcas distintivas de suas centenas de bênçãos,
se fizeram eles mesmos ou empregaram outras pessoas,
todos atingiram a Via do Buda.

Mesmo crianças que,
a brincar com palha, varetas, ou canetas,
ou mesmo com as pontas de seus dedos,
desenharam imagens do Buda;
pessoas como essas gradualmente acumularam méritos e virtudes,
encheram seus corações de grande compaixão,
e atingiram a Via do Buda.

Eles, como os Budas,
instruem somente Bodhisattvas,
resgatando e salvando incontáveis multidões.

Caso as pessoas, nas torres votivas ou nos templos,
fizerem oferecimentos com um sentimento reverente para as imagens cravejadas de jóias ou pintadas,
com flores, incenso, estandartes ou dosséis;
ou caso elas contratem outras pessoas para tocar música,
soando tambores, trompas ou conchas,
órgãos, flautas, alaúdes ou harpas,
guitarras, pratos ou gongos,
com muitos sons maravilhosos como esses,
tocados unicamente como oferendas;
ou se, com sentimentos de alegria e felicidade,
com sons e cantos elas louvarem as virtudes do Buda,
mesmo que através de um pequeno som,
essas pessoas atingiram a Via do Buda

Se pessoas com pensamentos dispersos derem mesmo que uma simples flor como oferecimento a uma imagem pintada,
elas gradualmente verão inumeráveis Budas.
Se elas curvarem-se em reverência e adoração,
ou meramente juntarem as palmas das suas mãos,
ou mesmo se levantarem uma simples mão,
ou fizerem um ligeiro assentimento com suas cabeças,
como um oferecimento às imagens,
elas gradualmente verão incontáveis Budas,
tendo elas próprias atingido a Via do Buda.

Se pessoas com pensamentos dispersos adentrarem torres votivas e templos,
e disserem não mais que ‘Namu Buda’;
elas terão entrado na Via do Buda.

Dos Budas do passado,
seja enquanto existentes ou após a sua extinção,
aqueles que ouviram esta Lei,
entraram na Via do Buda.

Excerto do CAP. 02 – Meios Hábeis, pág. 50.

%d blogueiros gostam disto: