A Prajna sem Marcas

As dez direções são leste, sul, oeste, norte, os pontos intermediários, acima e abaixo. Os três períodos de tempo são o passado, o presente e o futuro. Todos os Budas das dez direções e dos três períodos de tempo, e o dharma da Insuperável, Própria e Plena, Iluminação Correta à qual eles se certificaram emanam da prajna da marca real sem marcas.

Se você está apegado ao Buda, então você está apegado à marca da pessoa. Se você está apegado ao dharma, então você está apegado à marca dos dharmas. Se você está apegado ao vazio, você está apegado à marca do vazio. Isto não é o que se chama varrer todos os dharmas e abandonar todas as marcas. Se você abandona todas as marcas, isto é dharma. Se você não pode abandonar as marcas, você tem apegos e sua face originalmente existente, sua inteligência nativa, o tesouro do seu repositório, a prajna da sua própria natureza não pode se revelar. Se ela não pode aparecer, estará perdida? Não, ela não está perdida. Simplesmente você não pode usá-la (colocá-la em prática). Por exemplo, se num sonho você esquece que você é rico, sua riqueza é inútil. Se você desperta do sonho, então até mesmo o grande sistema de mil mundos estará vazio. A que você poderá se apegar?

Alguém poderá dizer: “Uma vez que o Budadharma não é imutável, por que falar das Seis Perfeições e das Dez Mil Práticas? Por que dizer que as pessoas devem observar os preceitos e cultivar bênçãos? Por que há qualquer dessas necessidades?”

Este ponto de vista está baseado em conhecimento distorcido e visões distorcidas. Por quê? Porque pessoas com tais atitudes guardam apegos em seus corações. Antes que apegar-se às marcas, deve-se contar com o dharma no sentido de cultivar; por exemplo, embora os preceitos sejam mantidos em observância, não deve haver qualquer apego à marca de mantê-los em observância. Embora se tenha bênçãos e virtudes, não se deve apegar-se às suas marcas. Se não se tem apegos, os méritos e virtudes daquela pessoa excedem o espaço vazio e permeiam o reino do dharma.

Mas algumas pessoas dizem que não há necessidade de observar os preceitos, e não observarão sequer os cinco preceitos no sentido de refrear a matança, o roubo, a má conduta sexual, a mentira e o uso de substâncias tóxicas. “O Budadharma não tem leis (dharmas) imutáveis”, eles argumentam, “então a minha matança não é matança, meu roubo não é roubo, minha mentira não é mentira”. Alguém que tenha tais ideias e visões altamente distorcidas certamente cairá nos infernos no futuro. Tenha muito cuidado para não cair numa espécie de vazio total que nega a causa e efeito professando que “ofensas são vazio, bênçãos são vazio, todas as coisas são vazio”. Se você não perpetra ações meritórias e virtuosas, você cria ofensas e um mau carma. A prática correta é fazer boas ações e não ser apegado a elas. É essencial realizar ações meritórias e virtuosas, e manter (em observância) os preceitos. Se você não mantém os preceitos você poderá cair nos infernos. Todos devem estar muito cientes sobre isso.

Sutra Diamante – Capítulo 8 – Com Base no Dharma Eles Surgem.

Original

1 Comentário

  1. 30/11/2012 às 11:40

    Marcos,
    A precisão oportuna proposta por esses ensinamentos, caiu como luvas.
    Muito bom!
    Forte abraço


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: