Fase Magna

Gostaria de compartilhar aqui um sentimento que tenho guardado há 40 (quarenta) anos. Em 1972, eu tocava contrabaixo numa banda de música jovem em Osasco, chamada “Território Maldito” – que horror, não? Decidimos participar do Festival de Música Popular Brasileira daquele ano na cidade, com uma composição que saiu no último ensaio antes do vencimento do prazo das inscrições, à qual demos o nome de “Fase Magna”. A música era do Walter, o “Boneca”, e a letra foi escrita por mim, Marcos Ubirajara, o “Marcão”. Dizia:

“Tempos difíceis,

preciso ir daqui, contar minha história.

Minha verdade,

será bem mais que a divina fraude.

Maturidade alcancei,

sou coisa, gente, vi e amei;

todas as formas condenei

no éter da mente.

Pelos meus caminhos,

hei de estar tão só

quanto o fio de barba em meu rosto,

ao partir.

Tempos difíceis!”

Qual o sentimento? A música foi uma das mais cantadas do festival. Mas, deram-nos apenas uma “menção honrosa” pelo arranjo inovador. Nosso sentimento foi de injustiça. Meninos pobres, da periferia do que já era periferia de São Paulo, fomos para casa. Mas hoje, e com a mesma força, gostaria de cantar essa canção para vocês como se a tivesse escrito agora, graças a esse sentimento que guardei, à espera do amadurecimento do tempo.

Continua quando um fato relevante suceder.

A História da Tradução do Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa

por Marcos Ubirajara de Carvalho e Camargo.

Episódios Anteriores:

O Fato Motivador da Tradução do Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa

O Último Dia

O Avatar

Um Novo Original do Sutra de Lótus

O Lótus Azul

A correspondência com a BTTS

A Criação dos Blogs e os Primeiros Volumes do Sutra de Lótus

A Decisão por uma Autopublicação do Sutra de Lótus

A Nitiren Shoshu

Missiva a Mattuzalem Lopes Cançado

Missiva a William Garcia

Um Novo Trabalho

Uma Nova Edição do Sutra de Lótus

A Tempestade

O Apoio Institucional do Budismo Primordial

O Encontro com o Budismo Primordial

Liberdade

3 Comentários

  1. Walter Tavares said,

    05/08/2012 às 12:35

    E ai amigo por uma curiosidade da minha esposa(Marina) descobrimos o seu blog!
    Muito feliz pela lembrança e curioso para saber como você esta
    Bom esta tal de tecnologia depois de um bom tempo voltamos a se comunicar e a se lembrar de fase magna e outras como vareta de magicação sorbracha cade meu sombrero
    Mas como diz Miltom Nascimento sempre temos que renovar a esperança com uma nova aurora a cada dia
    Um forte abraço e vamos intensificar esse nosso contato
    Opa e o boneca valeu!

    Obs: Você tem Facebook?

    • muccamargo said,

      05/08/2012 às 13:28

      Nossa, que alegria te encontrar de novo, cara!

      Estou bem, aqui em Belo Horizonte, já há alguns anos. Como vai você, Marina e Renato? Fiquei emocionado por ter encontrado seu comentário menos de uma hora depois que você postou. Parece que eu sabia…

      Criei uma categoria aqui no blog chamada “Líricas da Juventude”. Ali eu pretendo registrar nossas composições, que eram tão bonitas, para o distante futuro. Tenho saudade e orgulho de tudo que fizemos.

      Meu Facebook é muccamargo. Publico tudo lá também.

      Tenha um ótimo domingo. Mande seu Facebook para mim. Deixe um comentário aqui se apresentando para a galera. Afinal, nossos grandes sucessos, jamais gravados, estão agora indo para o mundo. Kkkkkkkkk.

      Grande abraço!

      Marcos Ubirajara.

  2. Walter Tavares said,

    18/08/2012 às 19:28

    E ai amigo
    Aqui estamos bem, eu,Marina, Renato e Henrique.
    Bom pessoal, eu sou Walter Tavares ( o boneca).
    Hoje estou com 6.0 de idade e não estou aposentado, trabalho como
    motorista particular para uma familia que tem dois filhos com baixa
    visão ( retinose pigmentar ), com eles ja estou há onze anos.
    Continuo gostando de rock e outros tipos de musica que tenham uma
    boa mensagem.
    Uma musica que me vem à mente agora, de nossa autoria ( Marcos e
    eu junto com outros amigos ) é uma que a letra e esta:

    Eu odeio,
    é algo que bloqueia a minha mente,
    coisas se confundem dentro de minha cuca.

    Através do som
    vejo o caminho da liberdade,
    desde quando fui, recolher-me às vestes da verdade.

    Por que um minuto tem um minuto pra passar,
    e o amor tem o tempo de um amor para acabar.
    Por que a felicidade é como a vida,
    que não leva a vida toda pra morrer…

    Coisas se confundem na minha cuca,
    coisas se misturam na minha cabeça!

    Marcos, um forte abraço uma boa semana

    Obs: Meu mande seu telefone!

    ,


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: