A Eterna Presença do Buda

“Desde quando atingi o Estado de Buda, 
os kalpas, que então se passaram,
são em número de ilimitadas centenas
de milhares de miríades de kotis de Asamkhyas. 
Desde então, eu tenho pregado a Lei
para ensinar e converter
incontáveis milhões de seres viventes,
tal que eles possam entrar na Via do Buda. 
Através desses ilimitados kalpas,
no sentido de salvar seres viventes, 
expedientemente manifesto o Nirvana. 
Mas, na verdade, eu nunca passo à extinção. 
Eu permaneço aqui, sempre pregando a Lei.
Eu sempre estou exatamente aqui
e, usando o poder das penetrações espirituais,
faço com que os seres viventes em sua embriaguez, 
embora próximos a mim, não me vejam.

Mais adiante …

Mas, para os seres viventes, 
embriagados como estão, 
eu prego sobre a extinção,
embora de fato aqui permaneça.
De outra forma, se constantemente me vissem,
tornar-se-iam crescentemente arrogantes e preguiçosos.
Teimosos e apegados aos cinco desejos, 
cairiam nos maus caminhos.
Estou sempre ciente do que fazem os seres viventes.
Aqueles que praticam a Via 
e aqueles que não praticam.
Eu prego várias Doutrinas em seu benefício, 
para salvá-los da maneira apropriada.
Medito constantemente:
‘Como posso levar os seres viventes 
a adentrar a Via Insuperável
e, rapidamente, adquirir o corpo de um Buda’? ”

Buda Shakyamuni sobre a eternidade da vida do Buda em versos no Capítulo XVI – A Duração da Vida do Tathagata.

Por muccamargo

Físico, Mestre em Tecnologia Nuclear USP/SP-Brasil, Consultor de Geoprocessamento, Estudioso do Budismo desde 1987.

Deixar um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: