Imperfeição, Ser o que já não se É

Então o sagaz Subhuti disse ao Buda:Honrado pelo Mundo, no futuro haverá seres viventes que acreditarão neste sutra quando eles ouvirem-no em pregação?” Sagaz refere-se ao fato de que Subhuti era um ancião com sabedoria e experiência.

O Buda disse: “Subhuti, eles nem são seres viventes e nem não seres viventes”. Eles certamente não são seres viventes porque já devotaram seus corações à Via do Bodhisattva. Nem não seres viventes. Embora eles tenham produzido os corações de Bodhisattvas, sua cultivação ainda não é perfeita. Uma vez que não é aperfeiçoada, eles não são não seres viventes. Por um lado eles definitivamente não são seres viventes, mas ao mesmo tempo eles ainda existem como seres viventes.

Por quê? Seres viventes, aqueles que têm as condições causais para tornarem-se seres viventes, são pregados pelo Buda como não seres viventes. Eles são seres viventes que devotaram seus corações à Via do Bodhisattva, e assim não são comuns, seres viventes ordinários.

As seguintes palavras não apareciam nas traduções anteriores do sutra, mas foram adicionadas nas edições posteriores:

Então o sagaz Subhuti disse ao Buda: “Honrado pelo Mundo, no futuro haverá seres viventes que acreditarão neste sutra quando eles ouvirem-no em pregação?”

O Buda disse: “Subhuti, eles nem são seres viventes e nem não seres viventes. E por quê? Subhuti, seres viventes são pregados pelo Tathagata como não seres viventes, porquanto são chamados seres viventes.”

No passado houve um Mestre do Dharma que sentiu-se mal, morreu, e foi para diante do Rei Yama, que indagou-lhe: “Após seu nascimento, o que você fez?”

O Mestre do Dharma refletiu e disse: “O que eu mais fiz na minha vida foi recitar o Sutra Diamante”.

O Rei Yama disse: “Isto é bom. Você recitou o Sutra Diamante. Excelente. Sente-se!”. O Rei Yama então solicitou ao Mestre do Dharma recitar o sutra para ele.

Quando o Mestre do Dharma terminou a recitação o Rei Yama disse: “Sua recitação do Sutra Diamante foi encurtada em um parágrafo”. Você encontrará as palavras adicionais esculpidas em uma tabuleta de pedra no Templo Jung Li em Hau Jou. Vá lá e encontre-as, e então informe a todos no mundo sobre elas. Você tem trabalhado duro na sua recitação do sutra, assim, embora haja chegado o tempo de você morrer, eu lhe concederei dez anos mais de vida para que possa retornar ao mundo e encorajar a todos a recitar o Sutra Diamante.

O Mestre do Dharma voltou à vida novamente e solicitou ao imperador enviar uma mensagem ao Templo Jung Li para encontrar a parte do texto. Lá, gravado numa tabuleta de pedra, estava o Sutra Diamante e ele continha o parágrafo adicional. As traduções anteriores do sutra não continham essas palavras, mas todas as edições posteriores as contêm.

Sutra Diamante – Capítulo 21 – Pregado Embora Não Pregado.

Original

Os Líderes dos Bodhisattvas da Terra

Em meio às multidões de Bodhisattvas Mahasattvas havia quatro líderes. O primeiro era chamado Práticas Superiores, o segundo era chamado Práticas Ilimitadas, o terceiro era chamado Práticas Puras, e o quarto era chamado Práticas Seguras (Firmemente Estabelecidas). Esses quatro Bodhisattvas, em meio à assembléia, eram líderes supremos, porta-vozes e guias. Diante das grandes multidões, eles juntaram as palmas das suas mãos, contemplaram o Buda Shakyamuni, fizeram profunda reverência curvando seus corpos a partir da cintura e disseram: “O Honrado pelo Mundo encontra-se gozando de boa saúde e livre de preocupações? Encontra-se em paz e feliz em sua prática? Aqueles a serem salvos estão receptivos aos ensinamentos? Eles não têm causado algum cansaço ao Honrado pelo Mundo”?

Excerto do CAP. 15: Emergindo da Terra, pág. 273.

O Gestual dos Bodhisattvas da Terra

Tendo emergido da terra, todos os Bodhisattvas vieram à Torre Maravilhosa dos Sete Tipos de Jóias suspensa no espaço, onde o Tathagata Muitos Tesouros e o Buda Shakyamuni se encontravam. Chegando lá, eles circundaram os dois Honrados pelo Mundo e curvaram-se com suas cabeças aos pés daqueles Budas. Então, eles dirigiram-se para onde todos os Budas encontravam-se sentados em tronos de leão sob as árvores de jóias, curvaram-se para eles, circundaram-nos três vezes pelo lado direito, juntaram as palmas das suas mãos respectivamente, e louvaram-nos com vários louvores de Bodhisattva. Então, eles afastaram-se para um lado e contemplaram alegremente os dois Honrados pelo Mundo.

Excerto do CAP. 15: Emergindo da Terra, pág. 273.

Compreendendo o Vazio

O Buda então disse à multidão de Bodhisattvas Mahasattvas: “Basta! Bons homens, vocês não necessitam proteger e manter este Sutra. Por que não? Dentro deste meu mundo Saha há Bodhisattvas Mahasattvas iguais em número às areias de sessenta mil Rios Ganges, tendo cada um deles um séqüito igual em número às areias de sessenta mil Rios Ganges. Após a minha extinção, todos eles protegerão, ostentarão, lerão, recitarão e proclamarão vastamente este Sutra[1]”.

Tão logo o Buda disse isto, nos três mil grandes sistemas de mundos do Mundo Saha a terra tremeu e abriu-se, e do seu interior ilimitadas dezenas de bilhões de Bodhisattvas Mahasattvas emergiram simultaneamente. Todos aqueles Bodhisattvas possuíam os corpos da cor dourada, as trinta e duas marcas distintivas, e inconcebível luz. Eles residiam sob o Mundo Saha, no espaço vazio pertencente a este mundo[2]. Ouvindo o som da voz do Buda Shakyamuni, todos aqueles Bodhisattvas vieram de baixo.


[1] Merece destaque a expressão “Dentro deste meu mundo Saha”. Neste momento, mesmo diante dos insistentes apelos dos Bodhisattvas Mahasattvas vindos das terras das outras direções; e mesmo diante do seu voto de “com um sempre crescente vigor, proteger, manter, ler, recitar, copiar e fazer oferecimentos a este Sutra, e o proclamar longínqua e amplamente através desta terra”, o Buda não lhes dá a incumbência de levar ao cabo esta tarefa, fazendo menção aos numerosos Bodhisattvas Mahasattvas deste seu mundo Saha. Com relação a esses Bodhisattvas da Terra o Buda afirma: “Após a minha extinção, todos eles protegerão, ostentarão, lerão, recitarão e proclamarão vastamente este Sutra”.

[2]espaço vazio pertencente a este mundo”, neste sentido, denota o vácuo imponderável donde emerge a fenomenologia do mundo tríplice. A ciência de hoje, sem poder descrevê-lo ou mensurá-lo, trata essa dimensão simplesmente como “vácuo” ou “campo primordial”.

Excerto do CAP. 15: Emergindo da Terra, pág. 271.

O Segredo do Tathagata

Naquela ocasião, o Buda falou aos Bodhisattvas e a toda grande assembléia, dizendo: “Bons Homens, vocês devem entender e compreender as sinceras e verdadeiras palavras do Tathagata”. Uma vez mais ele disse à grande assembléia: “Vocês devem entender e compreender as sinceras e verdadeiras palavras do Tathagata”. E novamente disse à grande assembléia: “Vocês devem entender e compreender as sinceras e verdadeiras palavras do Tathagata”.

Então todos na grande assembléia de Bodhisattvas, liderados por Maitreya, juntaram as palmas de suas mãos e falaram ao Buda, dizendo: “Honrado pelo Mundo, somente rogamos que fale. Entenderemos e aceitaremos as palavras do Buda”. Eles repetiram isto por três vezes.

Novamente eles disseram: “Somente rogamos que fale. Entenderemos e aceitaremos as palavras do Buda”.

Naquele momento o Honrado pelo Mundo, sabendo que os Bodhisattvas não parariam após o terceiro apelo, falou-lhes, dizendo: “Devem ouvir atentamente. O poder das penetrações espirituais do Tathagata é reconhecido por todos os seres celestiais, humanos e asuras no mundo. Eles dizem que o Buda Shakyamuni, tendo deixado o palácio do Clã dos Shakyas e tendo ido a um lugar não muito distante da cidade de Gaya para sentar no Bodhimanda, atingiu então o Anuttara-Samyak-Sambodhi. Todavia, bons homens, eu de fato atingi o Estado de Buda há ilimitados, incomensuráveis centenas de milhares de miríades de kotis de nayutas de kalpas atrás[1]”.

“Suponha que uma pessoa triturasse as terras de cinco centenas de milhares de miríades de kotis de nayutas de asamkhyas de três mil grandes sistemas de mundos, transformando-as em minúsculas partículas de pó. Então, suponha que ela viajasse para o leste atravessando cinco centenas de milhares de miríades de kotis de nayutas de asamkhyas de terras, e em cada uma delas depositasse uma partícula de pó. Suponha que ela continuasse, dessa forma, viajando para leste, até que todas as partículas de pó terminassem”.

“Bons homens, o que vocês pensam? Poderia o número de mundos pelos quais aquela pessoa passou ser calculado, imaginado ou contado”?

O Bodhisattva Maitreya e todos os outros disseram ao Buda: “Honrado pelo Mundo, aqueles sistemas de mundos seriam ilimitados, incomensuráveis, para além do cálculo e para além do poder da imaginação conhecê-los. Todos os Ouvintes e Pratyekabudas, usando sua sabedoria sem falhas, não poderiam concebê-los ou conhecer o seu limite ou número. Embora estejamos agora no estado de Avaivartika[2], não podemos compreender este assunto, Honrado pelo Mundo, e dessa forma, para nós, tal sistema de mundos seria ilimitado e incomensurável”.

Naquele momento o Buda falou às grandes multidões de Bodhisattvas, dizendo: “Bons homens, explicarei isto claramente para vocês agora. Se todos aqueles sistemas de mundos, quer uma partícula de pó tenha sido depositada neles ou não, fossem reduzidos a partículas novamente, e se cada partícula fosse um kalpa, o tempo que se passou desde que tornei-me um Buda excederia aquele por centenas de milhares de miríades de kotis de nayutas de asamkhyas de kalpas”.

“Desde aquele tempo, tenho permanecido sempre no Mundo Saha, pregando a Lei para ensinar e converter os seres. Também em outros lugares, em centenas de milhares de miríades de kotis de nayutas de asamkhyas de terras, tenho conduzido e beneficiado os seres viventes”.

“Bons homens, durante aquele período que se passou, eu preguei sobre o Buda Tocha Ardente e outros, além disso, preguei sobre como eles entraram no Nirvana; mas aquelas foram distinções feitas apenas como meios hábeis[3]”.


[1] Este é o segredo do Tathagata. Deve-se observar que o Buda refere-se a “seres celestiais, humanos e asuras no mundo”, ou seja, seres das oito direções, de onde surgiu a multidão de Bodhisattvas presentes na assembléia e liderados por Maitreya. O Buda, nesta passagem, não se dirige à multidão de Bodhisattvas que emergiram do espaço vazio sob o mundo Saha, cujo aparecimento suscitou a dúvida da grande assembléia. Aqueles, chamados Bodhisattvas da Terra, conhecem a Verdade que está para ser revelada.

[2] Avaivartika significa estado de não-regressão.

[3] Ou seja, distinções feitas acerca da Verdade Única que está sendo revelada. Todos aqueles Budas eram emanações do Buda Original e as formas como eles entraram no Nirvana foram meios hábeis utilizados pelo Buda quando ainda não era chegado o tempo para a revelação do segredo da eternidade da vida do Tathagata. “Durante aquele período que se passou” refere-se também às pregações anteriores contidas neste próprio Sutra de Lótus.

Extraído do CAP. 16: A Duração da Vida do Tathagata.

Os Bodhisattvas Originais do Grande Veículo

Naquela ocasião, o Honrado pelo Mundo, desejando enfatizar estes princípios, disse versos:

“Sejam todos diligentes e de um único pensamento,

porque desejo explanar sobre este assunto.

Não alimentem dúvidas ou pesares.

A sabedoria dos Budas é inconcebível.

Agora devem, portanto, utilizar o poder da fé,

e perseverar na paciência e benevolência,

para uma Lei que desde o remoto passado nunca foi ouvida,

e que vocês agora estão para ouvir.

Estou encorajando-lhes agora,

assim não tenham dúvidas ou receios.

Os Budas nunca pregam falsidades,

e sua sabedoria não pode ser medida.

Aquela Lei Suprema que eles obtiveram é extremamente profunda, além do discernimento.

Como tal, ela agora será explanada,

devendo todos ouvir em pensamento único”.

O Honrado pelo Mundo, tendo recitado estes versos, então disse ao Bodhisattva Maitreya: “Nesta grande assembléia, farei agora este anúncio para todos vocês: Ajita! Esses incalculáveis asamkhyas de grandes Bodhisattvas Mahasattvas, que emergiram da terra e a quem vocês nunca viram antes, são aqueles a quem ensinei, converti e conduzi neste Mundo Saha após ter atingido o Anuttara-Samyak-Sambodhi. Eu domei e dominei os pensamentos desses Bodhisattvas, fazendo-lhes tomar a decisão pela Via. Todos esses Bodhisattvas vivem no espaço vazio sob o Mundo Saha. Eles leram e recitaram todos os Sutras até penetrarem-lhes completamente. Eles ponderaram seus significados em detalhes e estão devidamente cientes deles”.

 “Ajita! Todos esses bons homens não se deleitam em permanecer com as multidões ou em muita conversa. Eles sempre apreciam viver em lugares quietos onde praticam com diligência e vigor, nunca descansando. Eles não aceitam residir com humanos ou seres celestiais[1]. Eles sempre se deleitam na profunda sabedoria e não têm obstáculos. Eles também sempre se deleitam nas Leis de todos os Budas. Com diligência e pensamento único, eles buscam a suprema sabedoria”.


[1] Então, esses Bodhisattvas Mahasattvas somente aceitam manifestar-se como Bodhisattvas nos mundos das oito direções; ou seja, aqueles Bodhisattvas dos mundos das oito direções, à semelhança dos Budas, são emanações desses Bodhisattvas Originais, são transitórios e impermanentes.

Extraído do CAP. 15: Emergindo da Terra

O Poder do Leão dos Shakyas

Naquele momento todos os Budas que eram emanações do Buda Shakyamuni, que haviam chegado de ilimitados milhares de miríades de kotis de terras das outras direções[1], sentaram na postura de lótus nos tronos de leão sob as árvores de jóias através das oito direções. Os assistentes daqueles Budas, vendo esta grande assembléia de Bodhisattvas de três mil grandes sistemas de mundos emergindo da terra nas quatro direções e estabelecendo-se no espaço, cada um disse ao seu respectivo Buda: “Honrado pelo Mundo, de onde vieram todos esses ilimitados, incomensuráveis asamkhyas de Bodhisattvas nesta grande multidão”?

Cada um daqueles Budas então disse ao seu assistente: “Todos vocês, bons homens, aguardem apenas um momento! Há um Bodhisattva Mahasattva chamado Maitreya, a quem o Buda Shakyamuni concedeu uma profecia de que ele será o próximo Buda. Ele já indagou sobre este assunto, e o Buda está para responder-lhe. Por esta razão, todos vocês devem ouvi-lo a respeito”.

O Buda Shakyamuni então disse ao Bodhisattva Maitreya: “Excelente, excelente, Ajita, que você possa indagar o Buda sobre tão importante assunto. Todos vocês devem em pensamento único vestir a armadura da diligência e tomar uma firme resolução. O Tathagata agora deseja descortinar e proclamar a sabedoria de todos os Budas, o poder da soberania e das penetrações espirituais de todos os Budas, o poder do leão no ataque de todos os Budas, e o poder da extraordinária coragem e poderosa força de todos os Budas”.


[1] Quando no CAP. 11 – Aparecimento da Torre de Tesouro o Buda purifica as terras búdicas, ele o faz nas 8(oito) direções, que vão do estado de inferno ao estado de absorção, nomeadamente: inferno, fome, animalidade, ira, tranqüilidade, alegria, erudição e absorção. Todos esses Budas que são suas emanações, que se originam destas direções, são Budas transitórios de terras impuras. As duas direções remanescentes (Bodhisattva e Buda) apontam para o “espaço vazio” sob o mundo Saha, que tudo detém em sua essência imponderável. Esses Bodhisattvas da Terra, assim chamados, emergem do “mundo” do Buda do remoto passado através dos seus poderes transcendentais. Eles residem no estado de pureza absoluta e não poderiam ser conhecidos ou vistos pelos Budas e Bodhisattvas das 8(oito) direções, onde toda a fenomenologia é transitória e impermanente, a não ser através dos poderes do Buda do tempo sem começo.

Extraído do CAP. 15: Emergindo da Terra

O Real Pico da Águia Sagrada

Alguns daqueles Bodhisattvas conduzem um séqüito de seres tão numeroso quanto os grãos de areia de sessenta mil Rios Ganges.

Tais são as grandes assembléias que formam,

em pensamento único,

buscando a Via do Buda.

Esses Grandes Mestres,

em número como os grãos de areia de sessenta mil Rios Ganges,

vieram todos para fazer oferecimentos ao Buda e para proteger e ostentar este Sutra.

 

Aqueles com séqüitos abrangendo os grãos de areia de cinqüenta mil Rios Ganges são ainda mais numerosos.

 Aqueles com séqüitos em número de quarenta ou trinta mil,

vinte mil, menos de dez mil, um mil, uma centena,

e assim por diante,

até menos que os grãos de areia de um único Rio Ganges;

e aqueles com metade, um terço, ou um quarto disso,

até menos de um décimo milésimo de um milionésimo disso,

ou um milésimo de um décimo milésimo de um nayuta disso,

e aqueles com dezenas de milhares de milhões de discípulos, ou somente metade de um milhão,

são ainda mais numerosos.

 

Há também aqueles com centenas ou dezenas de milhares,

ou dez milhares, milhares, ou centenas, cinqüenta, ou dez,

menos que três, dois, ou um,

e aqueles que chegaram sozinhos sem seguidores,

preferindo o isolamento.

Todos estes vieram para diante do Buda em número ultrapassando os já descritos acima[1].

Tão grande é a assembléia,

que se fossemos contá-la durante kalpas,

mais numerosos que os grãos de areia do Ganges,

ainda assim não poderíamos conhecê-la totalmente.

 


[1] Essa relação pode ser compreendida imaginando-se uma pirâmide, sendo que os mais numerosos e sós são os elementos que se encontram na base da pirâmide, crescendo exponencialmente o séqüito de seguidores na medida em que aqueles em menor número ocupam as posições acima da base. No vértice superior da pirâmide encontra-se o Buda Shakyamuni e no primeiro nível abaixo se encontram 4(quatro) posições ocupadas pelos líderes dos Bodhisattvas da Terra. Imaginem-se quatro esferas justapostas sobre as quais se apóia uma esfera ao centro. Este é o “Real Pico da Águia Sagrada”. Aqueles que o galgam trazem consigo um séqüito de um inconcebível número de seguidores. Essa é a inalienável função do Bodhisattva, numa direção; e é o inconcebível poder do Buda de adentrar este mundo salvando todos os seres.

Extraído do CAP. 15: Emergindo da Terra

Pico da Águia Sagrada
Foto de André Felipe. Local: Sítio da Dôra em 26/04/2007.

O Emergir dos Bodhisattvas da Terra

Tão logo o Buda disse isto, nos três mil grandes sistemas de mundos do Mundo Saha a terra tremeu e abriu-se, e do seu interior ilimitadas dezenas de bilhões de Bodhisattvas Mahasattvas emergiram simultaneamente. Todos aqueles Bodhisattvas possuíam os corpos da cor dourada, as trinta e duas marcas distintivas, e inconcebível luz. Eles residiam sob o Mundo Saha, no espaço vazio pertencente a este mundo[1]. Ouvindo o som da voz do Buda Shakyamuni, todos aqueles Bodhisattvas vieram de baixo.


[1]espaço vazio pertencente a este mundo”, neste sentido, denota o vácuo imponderável donde emerge a fenomenologia do mundo tríplice. A ciência de hoje, sem poder descrevê-lo ou mensurá-lo, trata essa dimensão simplesmente como “vácuo” ou “campo primordial”.

Extraído do CAP. 15: Emergindo da Terra

O Prenúncio dos Bodhisattvas da Terra

O Buda então disse à multidão de Bodhisattvas Mahasattvas: “Basta! Bons homens, vocês não necessitam proteger e manter este Sutra. Por que não? Dentro deste meu mundo Saha há Bodhisattvas Mahasattvas iguais em número às areias de sessenta mil Rios Ganges, tendo cada um deles um séqüito igual em número às areias de sessenta mil Rios Ganges. Após a minha extinção, todos eles protegerão, ostentarão, lerão, recitarão e proclamarão vastamente este Sutra[1]”.


[1] Merece destaque a expressão “Dentro deste meu mundo Saha”. Neste momento, mesmo diante dos insistentes apelos dos Bodhisattvas Mahasattvas vindos das terras das outras direções; e mesmo diante do seu voto de “com um sempre crescente vigor, proteger, manter, ler, recitar, copiar e fazer oferecimentos a este Sutra, e o proclamar longínqua e amplamente através desta terra”, o Buda não lhes dá a incumbência de levar a cabo esta tarefa, fazendo menção aos numerosos Bodhisattvas Mahasattvas deste seu mundo Saha. Com relação a esses Bodhisattvas da Terra o Buda afirma: “Após a minha extinção, todos eles protegerão, ostentarão, lerão, recitarão e proclamarão vastamente este Sutra”.

Extraído do CAP. 15: Emergindo da Terra

« Older entries

%d blogueiros gostam disto: