Doação e Arrecadação

Ninguém tem coragem de tomar um pouco para, em ato contínuo, oferecê-lo em doação aos necessitados; mas tiram-no continuamente de milhões de necessitados para o acúmulo de poucos.

Em 03/07/2014
às 05:30 hs

Acordei de um sonho estranho em que tocava “The House of the Rising Sun”, mas com um verso que dizia “ninguém tem coragem de roubar um vintém para oferecê-lo em doação“, porém em inglês. Traduzi e adaptei.

A música e letra originais estão aqui: A Casa do Sol Nascente.

Boas Ocasiões para os Oferecimentos

Para aqueles que estudam o Budadharma, qualquer data comemorativa do nascimento de Budas ou Bodhisattvas, data de abandono do lar, da iluminação ou nirvana, é uma excelente ocasião para fazer oferecimentos aos Três Tesouros, visto que a consequente virtude meritória aumenta muitos milhares de vezes. No aniversário de nascimento do Buda Amitabha uma cerimônia foi realizada para abrir a luz na imagem do Buda. O gatha composto para a ocasião diz:

Amitabha significa Luz Ilimitada.

Hoje nós abrimos a luz, a luz ilimitada.

Luz ilimitada ilumina ilimitadas terras;

Todos os seres viventes são ilimitadamente iluminados[1].

Quando se faz doação aos Três Tesouros em tais dias especiais, na Terra da Luz Eterna (Eternamente Brilhante), o Buda Amitabha sabe que um bom e fiel discípulo fez oferecimentos, e o doador receberá milhões de vezes os méritos e virtudes normais por tais doações oportunas. Aqueles que possuem dinheiro podem doar dinheiro, aqueles que possuem força podem doar a força. Mas não se deve pensar a respeito (do que foi doado). Isto é genuína doação.

Buda Amitabha

Imagem do Buda Amitabha no distrito de Nantou, Taiwan, obtida via Visoterra. Click na imagem para site de origem.


[1] Esse verso foi composto pelo Venerável Mestre Tripitaka Hsüan Hua. A cerimônia foi realizada a 22 de Dezembro de 1968.

Sutra Diamante – Capítulo 4 –A Conduta Maravilhosa Não Persistente.

Original

A Analogia do Espaço Vazio

O Buda Shakyamuni usou a analogia do “espaço vazio nas dez direções” para representar a extensão dos méritos e virtudes envolvidos no ato de doação que é isento da marca da doação. Ele disse: “Subhuti, um Bodhisattva deve somente persistir no que é ensinado assim”. Um Bodhisattva que já decidiu realizar o Bodhi deve pensar sobre o que assim foi ensinado, e aderir a isto na cultivação.

Se você lembra o que você doou, então eu o esquecerei. Se você pode esquecê-lo, então eu o manterei em meu pensamento. É o mesmo com o Buda que, conhecendo o coração de todos os seres viventes, está ciente de que você não se esqueceu dos méritos e virtudes de suas ações de doação, e então ele acha desnecessário relembrá-lo das mesmas. Quando você esquecê-las, o Buda as relembrará. Você pensa ser melhor você lembrar ou o Buda?

Você pensa: “Tenho receio de que se eu esquecer, o Buda também esqueça, e então simplesmente não terei mérito algum”.

Nunca tema. Se você esquecer tudo sobre suas ações de doação, o Buda as relembrará eternamente. Conforme se diz posteriormente no Vajra Sutra: “Todos os muitos pensamentos que ocorrem a todos os seres viventes são completamente conhecidos pelo Tathagata”. Quando você faz coisas boas, você as lembra; mas quando você faz o mal, você também acalenta as memórias? Não, você tenta esquecer as suas ofensas imediatamente, mas no entanto pondera carinhosamente o bem que tem feito. Você deve esquecer o bem e lembrar o mal. Por que lembrar o mal? Porque assim não o cometerá novamente. Por que esquecer o bem? Porque assim você sentirá necessidade de fazê-lo mais.

Sutra Diamante – Capítulo 4 –A Conduta Maravilhosa Não Persistente.

Original

A Substância das Três Rodas

Comentário:

Não persistir é não apegar-se. Desapego é libertação. Portanto, ao não persistir, uma pessoa torna-se liberta, independente, não bloqueada ou obstruída por nada.

Além disso, um Bodhisattva não deve permanecer em lugar algum quando ele pratica a doação. Em outras palavras, ele não deve ser apegado quando doa. Se ele á capaz de livrar-se do apego, ele compreendeu que a substância das Três Rodas, composta de:

  1. aquele que doa,
  2. aquele que recebe, e
  3. o que é dado, é vazia.

Se a sua ação de doação leva em conta o pensamento: “Eu pratico a doação e assim tenho feito muitas ações meritórias e virtuosas”, ou se você está ciente de receber, ou tem ciência dos bens concedidos, então você não abandonou a marca da doação. Você deve dar e tudo se passar como se você não tivesse dado. Se você se apega às marcas dos seis objetos dos sentidos: a forma, som, odor, sabor, objetos tangíveis, e formações mentais; quando em doação, seu mérito e virtude são limitados. Se você cai vítima do pensamento: “Eu contribuí com um milhão de dólares para um certo templo”, então tudo o que você tem é um milhão de dólares de méritos. Quando o dinheiro acabar, assim será com o seu mérito e virtude.

Se você não está apegado às marcas da doação, você acumula ilimitados méritos e virtudes, mesmo fazendo uma doação tão pequena quanto um único centavo. Se você falha ao praticar o método de doação apropriado, então embora você possa fazer doações ao longo de kalpas tão numerosos quanto as partículas de pó, ainda assim você não terá conseguido nada. Ainda seria como fazer arroz na areia fervente; não importando por quanto tempo se cozinhe, o arroz nunca ficará pronto.

Sutra Diamante – Capítulo 4 –A Conduta Maravilhosa Não Persistente.

Original

Doação

“Nono, se o Bodhisattva vê algum dos seus irmãos, ou qualquer um que esteja defendendo os mesmos preceitos com carência de coisas, ele vai aos outros e implora (mendiga) por um incensório, robes sacerdotais, pelo que se exige na prática da enfermagem (remédios), roupas, comida e bebida, roupas de cama e acomodações.”

Leia Mais no Sutra do Nirvana, Capítulo 38, sobre o Bodhisattva Rugido do Leão 6.

donation.mp3

Como Pensamos Sobre Dana

“Como pensamos sobre o dana [doações caridosas]? O Bodhisattva-Mahasattva medita profundamente sobre esse dana que é causa da Iluminação Insuperável. [Ele pensa]: ‘Todos os Budas e Bodhisattvas realizam o dana. Eu, também, ajudarei e o praticarei’. Se não for realizado, não se pode adornar as quatro classes de pessoas da Sangha. Embora as doações não erradiquem completamente as impurezas, certamente elas extirpam aquelas (impurezas) do presente. Em razão da doação, todos os seres das dez direções, tão numerosos quanto às areias de inumeráveis, ilimitados Rios Ganges, sempre tecem elogios. Quando o Bodhisattva-Mahasattva doa comida aos seres, ele doa vida. Como uma recompensa por esse dana, ele sempre é (abençoado) e não muda quando atinge o Estado de Buda. Como ele dá felicidade, a paz o visita quando ele atinge o Estado de Buda. Quando o Bodhisattva faz doações, ele busca as coisas da maneira correta; ele nunca espolia outros através das suas doações. Em razão disto, quando ele atinge o Estado de Buda, ele é abençoado com a pureza do Nirvana. Quando o Bodhisattva faz doações, ele imagina coisas que os seres (necessitam e) não pedem e que, mesmo assim, lhes são dadas. Como resultado disto, no alvorecer do Estado de Buda, ele atinge a Auto-Soberania [‘aisvarya-atman’ – isto é, o Eu autonomo, livre e sem impedimentos]. Através da doação, ele dá força aos outros. Em razão disto, quando chega o Estado de Buda, ele ganha os dez poderes. Através da doação, ele permite aos outros obterem as palavras [as palavras das escrituras]. Por meio disto, quando o Estado de Buda vem, ele obtém as Quatro Sabedorias sem Obstruções. Todos os Budas e Bodhisattvas praticam essas doações e ganham a causa do Nirvana. (Ele pensa: ) ‘Eu, também, praticarei doações e engendrarei a causa do Nirvana’. Isto é como foi dito no ‘Zäke’ Vaipulya [isto é, possivelmente o ‘Sutra Gandavyuha’].”

Excerto do Sutra do Nirvana, CAP. 23 – Sobre Ações Puras 3.

O Voto do Bodhisattva em Doação de Comidas

“Esse Bodhisattva-Mahasattva sempre faz um voto quando ele, benevolentemente, oferece comida: ‘Eu agora ofereço isto, o compartilho com todos os seres e pretendo que, através das relações causais dessa ação, todos os seres atinjam a comida da Grande Sabedoria e, com esforços, transfiram o mérito disto para o insuperável Mahayana. Rogo para que todos os seres ganhem a comida da Boa Sabedoria e que eles não procurem a comida dos Sravakas e Pratyekabudas. Rogo para que todos os seres obtenham a comida da Alegria do Dharma e não busquem a comida do desejo. Rogo para que todos os seres obtenham a comida do Prajnaparamita [Sabedoria Transcendente] em abundância e que eles tenham a melhor raiz da bondade desobstruída, a qual crescerá enormemente. Rogo para que todos os seres compreendam e atinjam a fase do Vazio, realizem o corpo sem impedimentos e tornem-se como o espaço. Rogo para que todos os seres sempre sejam extremamente piedosos para o benefício daqueles que recebem, e se tornem um campo de bênçãos’. Oh bom homem! O Bodhisattva-Mahasattva, quando praticando o coração do amor-benevolente, deve firmemente orar assim com relação a qualquer comida que ele ofereça.”

Excerto do Sutra do Nirvana, CAP. 21 – Sobre Ações Puras 1.

O Coração do Bodhisattva

“Também, além disso, oh bom homem! Quando o Bodhisattva-Mahasattva pratica a doação, o seu coração gentil vê todos os seres igualmente, como se fossem seus filhos únicos. Ainda quando em doação, seu coração compassivo se agita, como quando um pai e uma mãe olham seu próprio filho que está doente. Quando em doação, seu coração sente alegria, como quando o pai e a mãe veem a doença da sua criança ser curada. Quando a doação é feita, a sua mente está desapegada daquilo que é dado, como quando um pai e uma mãe veem seu filho já crescido e vivendo por si próprio.”

Excerto do Sutra do Nirvana, CAP. 21 – Sobre Ações Puras 1.

%d blogueiros gostam disto: