Doação e Arrecadação

Ninguém tem coragem de tomar um pouco para, em ato contínuo, oferecê-lo em doação aos necessitados; mas tiram-no continuamente de milhões de necessitados para o acúmulo de poucos. Em 03/07/2014 às 05:30 hs Acordei de um sonho estranho em que tocava “The House of the Rising Sun”, mas com um verso que dizia “ninguém tem… Continuar lendo Doação e Arrecadação

Avalie isto:

O Supramundano

Nesse dia 23/12/2011, às 05:00 hs, meu irmão Guarani, falecido em 13/12/2011, conversou longamente comigo. Com uma voz límpida e tranquila, saudou-me dizendo: “Olá, Marcos! Tudo bem”? “Guara!”, disse eu. “Eu mesmo. Você viu aquilo lá?”, disse ele. “Mas, Guara…”, interpelei. “Estou vivo, Marcos. Aquilo lá não era eu”. E prosseguiu perguntando pelas pessoas enquanto… Continuar lendo O Supramundano

Avalie isto:

Uma Metáfora da Torre de Tesouro

Então, dizia: “Estou muito satisfeito por ter iniciado esse trabalho com vocês. Doravante, nos veremos sempre. Estaremos sempre juntos com um único pensamento. O que isso pode significar? É como uma grande edificação. Não sou ‘eu’ a pensar, mas somos todos ‘nós’. Essa grande edificação, pode-se dizer, emerge do Grande Vazio e, no futuro, poderá… Continuar lendo Uma Metáfora da Torre de Tesouro

Avalie isto:

Sonho Bom

Estava na companhia do ‘Seu Paulo’, pessoa amiga que praticava o Budismo comigo em Campinas – São Paulo. Esperávamos um ônibus. De repente, surgiu o ônibus para o exato destino que desejávamos, vazio, com muitos lugares para sentar. Ao entrar no ônibus, percebi que havia esquecido a bagagem, bem como documentos e outros valores. Fiquei… Continuar lendo Sonho Bom

Avalie isto:

A Sangha Sem Fé

Encontrava-me num lugar em companhia de muitas pessoas. Algumas eram conhecidas, outras não. Era uma Sangha, todos estavam trajados com Robes. Em certo momento, me dirigi ao mestre daquele grupo, o qual ocupava uma posição central, referindo-me às coisas que fogem à razão humana, que são inconcebíveis para nós e, em certo momento, falei da… Continuar lendo A Sangha Sem Fé

Avalie isto:

Libertando-se das Amarras

Quem amaria soldados? Com pesados capacetes amarrados sobre as cabeças, Com pesados pentes de balas amarrados sobre o peito, Com pesados fuzis amarrados aos braços, Com pesados cinturões de granadas, punhais e pistolas amarrados sobre a cintura, Com pesados coturnos amarrados aos pés. Quem os amaria? Deve-se começar pela cabeça. Uma mente liberta logo se… Continuar lendo Libertando-se das Amarras

Avalie isto:

O Desabrochar do Lótus

Faça-o como uma doação, Sempre que sentir a perda ou privação de algo[1]. [1]Assim eu ouvi em 29/12/2007, às 23:30 hs. Leia também Os Ensinos do Buda D’água O Samadhi da Não-Distinção

Avalie isto:

A Visão de 29 de Agosto

Eu me encontrava preso num lugar, imóvel, quando o vi se aproximar em imponente montaria, havia outra pessoa. Reconheci-o, dizendo-me: “é Ele”! De dentro para fora, a tudo eu assistia, sua aproximação se fez rodeando-me pelo lado esquerdo, no sentido anti-horário, três vezes. Então, apeando de sua magnífica montaria, introduziu-se no local onde me encontrava… Continuar lendo A Visão de 29 de Agosto

Avalie isto:

Os Auspiciosos Sonhos de Um Bem-Aventurado

Após a minha extinção, aqueles que buscarem a Via do Buda, que desejarem obter paz e tranqüilidade, e proclamar este Sutra, devem ter afinidade com essas quatro leis. Aqueles que lerem este Sutra não terão preocupações ou aflições; serão livres de dores e doenças, com um semblante suave e límpido. Eles não nascerão pobres, subalternos… Continuar lendo Os Auspiciosos Sonhos de Um Bem-Aventurado

Avalie isto:

A Caixa Preta

O Barco é conduzido por alguém de aparência enganosa, e tudo parece transcorrer dentro da normalidade, até que o mesmo adentra uma região escura. Naquela região, pressente-se que o barco está desgovernado, desembestado. Olha-se para dentro: onde está o condutor? Olha-se para fora: escuridão, penhascos, rochas, destroços para todos os lados, incêndios, muitos náufragos, gritos… Continuar lendo A Caixa Preta

Avalie isto: