O Verdadeiro Discípulo

“Quando eu tiver entrado no Nirvana, um Monge que é perfeito na conduta de um Monge, e que mantém em observância o Dharma Maravilhoso, pode topar com um que o transgride. Se este Monge se afasta, repreende, censura, ou corrige tal mal-feitor, ele será abençoado com uma riqueza que não podemos medir ou conceber. Oh bom homem! Para ilustrar: existe um rei tirano que perpetra más ações, e acontece dele vir a sofrer muito seriamente de uma enfermidade. O rei de um país vizinho, ouvindo isto, mobiliza o exército para conquistar o seu país. Neste momento, o rei, não tendo poder para resistir ao ataque, arrepende-se, tenta fazer o bem e, dessa forma, a fortuna do rei daquele país vizinho torna-se incalculável. O mesmo se passa com o Monge observador de preceitos. Se ele se afasta ou repreende aqueles que agem contra o Dharma, e faz com que eles façam o bem, uma riqueza incalculável tornar-se-á sua. Oh bom homem! É como na ilustração: nos campos e ao redor da casa onde mora um homem rico, crescem muitas plantas daninhas e venenosas. Vendo isto, ele as ceifa, não deixando qualquer uma delas. Ou quando cabelos brancos aparecem na cabeça de uma pessoa jovem, ela sente vergonha deles, corta-os e não permite que seus cabelos cresçam muito. O mesmo é o caso com o Monge observador de preceitos. Se ele vê quaisquer pessoas que violam os preceitos e que transgridem o Dharma Maravilhoso, ele se afastará, repreenderá ou censurará tais pessoas. Se um bom Monge, vendo aqueles que transgridem o Dharma, não se afastar, repreender ou censurar tais pessoas, saiba que este Monge é um inimigo dos ensinamentos Budistas. Se ele se afasta, repreende ou censura tais pessoas, ele é meu discípulo, um Verdadeiro Discípulo.”

Excerto do Sutra do Nirvana, CAP. 04: Sobre Longa Vida.

%d blogueiros gostam disto: