Kumarajiva e as Traduções do Sutra Diamante

  1. No período Yau Chin, o Mestre Tripitaka Kumarajiva traduziu o sutra, dando-lhe o título de Sutra Vajra Prajna Paramita. Posteriormente, o sutra veio a ser traduzido por cinco outros Mestres do Dharma.
  2. O Mestre do Dharma Bodhiruci o traduziu no período Ywan Wei e usou o mesmo título de Kumarajiva.
  3. O Mestre do Dharma Paramartha traduziu o sutra na posterior Dinastia Chen também sob o mesmo título.
  4. Na Dinastia Swei, o Mestre do Dharma Upagupta traduziu o sutra sob um título diferente. Ele adicionou a palavra “cortante”, chamando-o de Sutra do Diamante-Cortante ou Cutting-Vajra Prajna Paramita Sutra.
  5. Na Dinastia Tang, durante o décimo-nono ano do período de reinado Jen Gwan, o Mestre do Dharma Hsüan Tsang traduziu o sutra, alterando ligeiramente o título de Upagupta, e chamando-o de Sutra do Diamante que Pode Cortar ou Vajra Which Can Cut Prajna Paramita Sutra. O Mestre do Dharma Hsüan Tsang foi um grande, um virtuoso Monge Superior que caminhou da China à India através da Sibéria com o objetivo de estudar os sutras. Após estudar por quatorze anos, ele retornou à China para traduzir as obras que ele havia coletado.
  6. O Mestre do Dharma Yi Jing também estudou na India, e retornou para a China durante o reinado da Imperatriz We Tse Tyan que deu grande demonstração da sua proteção ao Budismo e comissionou o Mestre do Dharma Yi Jing para traduzir sutras. Sua tradução do sutra manteve o mesmo título do Mestre do Dharma Hsüan Tsang.

Daquelas seis traduções, a do Mestre do Dharma Kumarajiva é considerada a mais aprimorada. Foi o Mestre do Vinaya Dau Sywan quem descobriu a razão das traduções do Mestre Kumarajiva serem aquelas que as pessoas mais gostam de ler e recitar. O Mestre do Vinaya Dau Sywan cultivou especialmente os preceitos e regras monásticas. Nos Quatro Grandes (Modos de) Conduta – caminhar, parar, sentar e reclinar – ele foi extremamente rigoroso. Como é dito no Sutra Surangama, “Ele controlou rigorosamente o seu comportamento pelo severo respeito pelo dharma puro”. Tal comportamento inspira o respeito pelos fantasmas e espíritos, bem como pelos humanos e deuses. O Mestre do Vinaya Dau Sywan foi um exemplo a ser seguido por todos.

Os Quatro Grandes Modos de Conduta referem-se a caminhar, parar, sentar, e reclinar. Caminhar como o vento. Isto não significa como um vendaval que derruba montanhas, arranca árvores, e sopra sobre as casas. Significa como a brisa suave. Parar como um pinheiro. Sentar como um sino. O que não significa como o badalo de um sino – sempre balançando de lá para cá. Sentar como um sino antigo que de tão pesado, nada pode movê-lo. Então se tem um suficiente poder do samadhi. Deitar-se como um arco. Isto é chamado “repouso afortunado”. Coloque sua mão direita sob a face direita, e sua mão esquerda sobre a sua coxa esquerda. O Buda Shakyamuni entrou no Nirvana na postura de “repouso afortunado”.

Em resposta ao soberbo cultivo dos Três Mil Modos de Conduta e das Oitenta Mil Práticas de Excelência do Mestre do Vinaya Dau Sywan, os deuses trouxeram-lhe oferecimentos. Aqueles de vocês que desejam tornar-se mestres superiores devem proteger e manter em observância os preceitos e regras monásticas, e então os espíritos dos protetores do dharma e dos deuses lhe protegerão. Se você viola os preceitos, eles não o farão. O Mestre do Vinaya Dau Sywan era “honrado e puro no Vinaya, um grande exemplo para o mundo tríplice”. Ele era um exemplo para aqueles nos domínios do desejo, da forma, e do espírito; e em resposta os deuses trouxeram-lhe alimento para comer.

Certo dia, quando um deus apareceu com comida, o Mestre do Vinaya Dau Sywan indagou-lhe: “Por que todos gostam das traduções de Kumarajiva?”

O deus, chamado Lu Sywan Chang, respondeu: “Porque Kumarajiva foi o mestre tradutor para os sete Budas pretéritos. Os sutras que ele traduziu são idênticos ao coração do Buda, portanto, todos gostam de ler e recitá-los.”

Além disso, quando Kumarajiva estava para morrer, ele disse: “Eu pessoalmente não sei se há erros nos sutras que traduzi, mas se não houver, quando eu for cremado, minha língua não queimará. Se eu tiver cometido erros, e as traduções não estiverem de acordo com o coração do Buda, então minha língua queimará.” Após Kumarajiva calar-se, seu corpo foi cremado mas sua língua permaneceu intocada pelo fogo, certificando-se totalmente que os sutras que o Mestre do Dharma Kumarajiva traduziu estavam completamente corretos.

A Dinastia Yua Chin (344-413 D.C.) é o nome dado ao período de reinado do Imperador Yau Sying. Não é o mesmo que Ying Chin, período de reinado de Chin Shih Hwang, ou Fu Ching, período de reinado do Imperador Fu Jyan. Quando Fu Jyan foi assassinado por Yau Chang, a dinastia passou a ser chamada Yau Chin em homenagem ao novo imperador. Em sequência, Yau Chang foi sucedido pelo seu sobrinho Yau Sying, e o nome da dinastia Yau Chin foi mantido. Foi durante o reinado de Yau Sying, um forte defensor do Budismo, que Kumarajiva traduziu o sutra.

Original

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: