Taissekiji, Meus Vinte Anos de Tozan

Tozan é como se designa peregrinação em japonês. Realizei essa peregrinação entre 18 e 29 de setembro de 1988, como membro da Nitiren Shoshu do Brasil. Lá, diante do Supremo Santuário, fiz sinceros votos de dedicar-me à propagação do Budismo no Brasil, o que tenho feito dentro das minhas limitações de um estudioso leigo, mas com o máximo de sinceridade e honestidade.

Taissekiji, Meus Vinte Anos de Tozan

Taissekiji, Meus Vinte Anos de Tozan

De retorno ao Brasil, após a peregrinação, um amigo de Campinas-SP, Sr. Koichi Kawakami, recomendou-me não esperar “milagres” em minha vida, ou recompensas de quaisquer espécies, como uma retribuição pelos esforços por mim empreendidos para a realização de tal façanha. Disse-me, naquela época, que os principais benefícios de uma devoção sincera ao Dai Gohonzon do Supremo Santuário seriam imperceptíveis aos olhos humanos, e intangíveis pelos nossos sentidos; mas que, depois de 20(vinte) anos, esses benefícios se traduziriam numa grande mudança em minha vida. É surpreendente como, hoje, posso perceber que meus sinceros votos não foram em vão. Prezado Sr. Kawakami, nunca esqueci as suas palavras de então. Meus sinceros agradecimentos.

O Taissekiji, oficialmente Tahō Fuji Dai-Nichirengezan Taissekiji, foi estabelecido em outubro de 1290 (3º ano da era Shō-o) pelo 2º Sumo Sacerdote, Byakuren Ajari Nikkō Shōnin, que sucedeu o fundador, Nichiren Daishōnin, na propagação da doutrina. Esta denominação, Taissekiji, deriva de Ōishigahara, nome da localidade em que está estabelecido. O proprietário da área era Shichirō Jirō Tokimitsu Nanjo, o senhor da região de Fuji Ueno. É um local sagrado que deu a origem do Templo Principal Taissekiji. Há registro de que esse nome veio da forma da construção que era dividida em 6 cômodos.

O atual Mutsubô foi reconstruído em 1988 (63º ano Shôwa), uma iniciativa do 67º Sumo Prelado Nikken Shonin, em comemoração aos 700 anos da Fundação do Templo Principal Taissekiji.

Informações sobre Templo Taissekiji obtidas do site da Nitiren Shoshu, visite-o para maiores detalhes.

%d blogueiros gostam disto: