O Paladar e a Voz dos Mestres da Lei

“A língua desta pessoa será pura e nunca sentirá sabores desagradáveis.
Todas as comidas que ela coma tornar-se-ão como o doce orvalho.
Usando um som profundo, puro e maravilhoso,
ela pregará o Dharma para a grande assembléia.
Usando causas, relações e analogias para guiar o pensamento dos seres viventes,
estes, ouvindo-a, alegrar-se-ão e farão oferecimentos superiores.
Os seres celestiais, dragões, yakshas e asuras,
assim por diante, todos com pensamentos reverentes,
virão para ouvir a Lei.

Esta pessoa que prega a Lei,
se desejar penetrar os três mil mundos com um som maravilhoso,
como ela desejar, será capaz de fazê-lo.
Os Reis Giradores-de-Roda, maiores e menores,
seus milhares de filhos e seus acompanhantes,
com as palmas das mãos unidas e pensamentos reverentes,
sempre virão para ouvir e receber a Lei.
Os seres celestiais, dragões, yakshas, rakshasas e pishacas;
também, com os corações felizes,
sempre se deleitarão em vir fazer oferecimentos.
O deus Rei Brahma, o Rei Mara,
as divindades da Emancipação e Grande Emancipação,
e todas as multidões de deuses,
sempre virão para onde ela estiver.
Todos os Budas e seus discípulos,
ouvindo o seu som quando ela prega a Lei,
ficarão sempre atentos e cuidadosos,
e às vezes manifestar-se-ão em pessoa”.

Excerto do CAP. 19: Os Méritos e Virtudes do Mestre da Lei, pág. 335.

%d blogueiros gostam disto: