Os Desígnios do Lorde Buda

“Portanto, Rei da Constelação Flor, eu confio a você este capítulo: ‘Os Feitos Passados do Bodhisattva Rei da Medicina’. Após a minha passagem, nos últimos quinhentos anos, propague-o extensivamente no continente Jambudvipa. Não permita que ele se extinga, permitindo desse modo que demônios, entidades demoníacas, todos os dragões celestiais, yakshas, kumbhandas, e assim por diante, ocupem o seu caminho[1]”.

 


[1] Eis uma das mais severas admoestações do Buda no que se refere à propagação do Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa na era posterior. Neste caso, o Buda faz uma alusão específica a este capítulo sobre os feitos passados do Bodhisattva Rei da Medicina em retribuição à gratidão pela obtenção do samadhi em que se podem manifestar todas as formas físicas, que foi inteiramente devida ao fato do Bodhisattva Alegremente Visto Por Todos os Seres (presente Bodhisattva Rei da Medicina) ter ouvido o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa.

Excerto do CAP. 23: Os Feitos Passados do Bodhisattva Rei da Medicina.

Jambudvipa no Budismo

A cosmologia budista divide o bhūmaṇḍala (circunferência da Terra) em três níveis distintos: Kāmadhātu (domínio do desejo), Rūpadhātu (domínio da forma ou da matéria), e Ārūpyadhātu (domínio do espírito). Esses três domínios também são chamados de Mundo Tríplice ou Samsara. No Kāmadhātu está localizado Monte Sumeru que se diz estar circundado por quatro ilhas-continentes (veja a construção de Angkor Wat). “A ilha austral, ou mais ao sul, é chamada Jambudvīpa”. Os outros três continentes, da narrativa Budista em torno do Monte Sumeru, não são acessíveis aos seres humanos a partir de Jambudvīpa. Jambudvīpa possui a forma de um triângulo com um dos seus vértices voltado para o sul. No seu centro encontra-se uma gigantesca árvore Jambu (maçã-rosa), da qual o continente herda seu nome, que significa “Ilha Jambu”.

Jambudvīpa é a região onde vivem os humanos, e é o único lugar onde um ser pode tornar-se iluminado por nascer como um ser humano. É no Jambudvīpa que ele, como ser humano, pode receber o dom do Dharma e de vir a compreender as Quatro Nobres Verdades, o Nobre Caminho Óctuplo e, finalmente, realizar a libertação do ciclo de vida e da morte.

Fonte: Wikipedia, a enciclopédia livre.

Por muccamargo

Físico, Mestre em Tecnologia Nuclear USP/SP-Brasil, Consultor de Geoprocessamento, Estudioso do Budismo desde 1987.

Deixar um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s