Muito Além do Bem e do Mal

Além disso, emancipação é o que está ‘vazio e quieto’. Não pode haver indeterminação. Por indeterminada entende-se a situação de dizer que o icchantika (pessoa descrente) nunca muda e que aqueles que cometeram graves ofensas nunca atingirão o estado de Buda. Nunca se podem aplicar (fazer valer) tais coisas. Por que não? Quando aquela pessoa [icchantika] ganha a fé pura e genuína no Dharma Maravilhoso do Buda, imediatamente a pessoa aniquila o icchantika [dentro de si]. Ao tornar-se um upasaka (um seguidor leigo), o icchantika [naquela pessoa] morre para sempre; a pessoa que cometeu graves ofensas também atinge o estado de Buda quando seus pecados são expiados. Sendo assim, nunca podemos dizer que não haja mudança para todos e que o estado de Buda não pode ser atingido. Com a emancipação, todavia, não pode haver tais casos de aniquilação. Além disso, ‘vacuidade e quietude’ são coisas do mundo do Dharma. A natureza do mundo do Dharma é a verdadeira emancipação. A emancipação é o Tathagata. Também, uma vez que o icchantika tenha morrido, não podemos mais falar de icchantika. O que é um icchantika? Um icchantika corta [dentro de si] todas as raízes da benevolência (boas ações) e o seu pensamento não evoca qualquer associação com o bem. Nem mesmo uma ponta de um bom pensamento surge na sua mente. Nada semelhante a isto ocorre na verdadeira emancipação. Como (na emancipação) nada há desta natureza, dizemos verdadeira emancipação. A verdadeira emancipação é o Tathagata.

Excerto do Sutra do Nirvana, CAP. 07: Sobre os Quatro Aspectos.

%d blogueiros gostam disto: