Explosão estelar é vista em 3D pela primeira vez

… essa “estrela”, como todas as outras “estrelas”, nada mais foi que um fenômeno local …

Um novo instrumento no telescópio permite ampliar o conhecimento sobre fenômenos.

Astrônomos utilizando o Very Large Telescope (VLT), do European South Observatory (ESO), conseguiram reconstruir pela primeira vez em três dimensões (3D) a distribuição de matéria causada por uma explosão estelar. Um novo instrumento no telescópio permite ampliar o conhecimento sobre fenômenos como supernovas.

Segundo os astrônomos do ESO, a visualização em 3D permite analisar melhor o lançamento de material, calcular velocidades e direções do despejo. Na concepção artística divulgada ontem pelo ESO, é possível ver como os resquícios da estrela 1987A, localizada na Grande Nuvem de Magalhães, galáxia-satélite da Via Láctea, se espalharam mais na direção horizontal. O fenômeno aconteceu há 168 mil anos-luz de distância da Terra, na Nebulosa da Tarântula.

Supernova 1987A

Visualização em 3D permite analisar o lançamento do material

Isto sugere a existência de uma Simetria de Campo lá, e que essa “estrela”, como todas as outras “estrelas”, nada mais foi que um fenômeno local, uma distorção, como imperfeições num Campo Cristalino.

Fonte: Diário Catarinense

%d blogueiros gostam disto: