A Jóia Escondida no Âmago de Todos os Seres

Naquela ocasião, os quinhentos Arhats, tendo recebido as profecias do Buda, saltaram de alegria. Eles levantaram-se dos seus assentos e foram para diante do Buda, e curvaram-se com suas cabeças aos seus pés. Arrependendo-se dos seus erros, eles reprovaram-se, dizendo: “Honrado pelo Mundo, sempre pensamos que já tínhamos obtido a extinção final. Agora sabemos que éramos como ignorantes. Por que isto? Porque poderíamos ter obtido a sabedoria do Tathagata, mas ao invés disso contentamo-nos com a pequena sabedoria”.

 “Honrado pelo Mundo, é como uma pessoa que vai à casa de um amigo íntimo, embriaga-se de vinho e adormece. Seu amigo, que precisa ir a um importante encontro de negócios, introduz uma pérola de valor inestimável no forro da sua roupa como um presente, e então sai. Aquela pessoa, no auge da embriagues, nada percebe. Levantando-se, ela prossegue a sua viagem indo a um outro país, onde, na busca de roupa e comida, ela despende muitos esforços, empreende trabalhos pesados, e está satisfeita com o pouco que consegue ganhar”.

 “Mais tarde, seu amigo íntimo encontra-se com ele novamente e diz: ‘Hei amigo! Como você pôde, por roupa e comida, chegar a essa situação? Há tempos atrás, desejando dar-lhe paz, felicidade, e a satisfação dos Cinco Desejos; em tal dia, mês e ano; eu introduzi uma pérola de valor inestimável no forro da sua roupa. Desde aquele tempo até agora, ela está ai, mas você não sabe dela. Por essa razão você tem labutado e sofrido para ganhar sua subsistência. Quão estúpido você foi. Você pode pegar essa jóia agora, trocá-la pelo que você necessita, e terá sempre o que desejar e ficará livre da pobreza’”.

 “O Buda também é como aquele amigo. Quando ele era um Bodhisattva, ele ensinou e converteu-nos, fazendo com que aspirássemos a Grande Sabedoria. Mas, mais tarde esquecemo-nos completamente, tornando-nos ignorantes e inconscientes. Tendo atingido a Via do Arhat, dissemos acerca de nós mesmos que havíamos obtido a extinção. Em meio à dificuldade de manter a nossa subsistência, ficávamos satisfeitos com o pouco que ganhávamos. Todavia, nossos votos para residir na Grande Sabedoria não foram perdidos. Agora, o Honrado pelo Mundo, nos desperta, dizendo: ‘Monges! Aquilo que vocês obtiveram não é a extinção final! Há longo tempo eu os tenho levado a plantar boas raízes para o estado de Buda. Como um meio hábil, eu mostrei-lhes os sinais do Nirvana. Vocês disseram acerca de vocês mesmos, que haviam efetivamente atingido a extinção’”.

 “Honrado pelo Mundo, agora sabemos que pelo menos somos
verdadeiramente Bodhisattvas[1], tendo obtido uma profecia para o Anuttara-Samyak-Sambodhi. Por esta razão alegramo-nos grandemente, tendo ganhado o que nunca tivéramos antes.[2]


[1] Este é o verdadeiro propósito da pregação deste Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa: despertar os seres presentes na assembléia para a Via do Bodhisattva ou Veículo Único. Em várias passagens deste sutra o Buda admoesta: “…um ensino para instruir Bodhisattvas”. No Capítulo 2 – Meios Hábeis, o Buda faz uma rigorosa admoestação: Shariputra, se um discípulo meu autodenomina-se Arhat ou Pratyekabuda, mas nunca ouviu ou soube que de fato todos os Budas, os Tathagatas, somente ensinam e convertem Bodhisattvas, então ele não é um discípulo do Buda, nem é um Arhat, e nem um Pratyekabuda. Outra profunda sabedoria contida no ensino do Veículo Único é a de que a Via do Bodhisattva nunca deixa de conduzir um discípulo à Iluminação do Buda, pois para esse discípulo que a abraça, a consecução do Anuttara-Samyak-Sambodhi foi profetizada pelo Buda no remoto passado.

[2] Somente um Bodhisattva pode receber uma profecia do Anuttara-Samyak-Sambodhi, consagrando o princípio de unicidade entre Pessoa (Bodhisattva) e Lei (Buda), subjacente ao ensino do Veículo Único do Buda, também interpretado aqui como Via Recíproca.

Extraído do CAP. 08: A Concessão de Profecias aos Quinhentos Discípulos

Flor de Lotus
Foto de Marcos Ubirajara. Local: Sítio da Dôra em Maio/2007.

%d blogueiros gostam disto: