O Mensageiro do Tathagata

“Rei da Medicina, saiba que esta pessoa renunciou a retribuição devida à pureza do seu Karma e, após a minha extinção, por piedade aos seres viventes, nascerá num mundo de maldade para vastamente proclamar este Sutra”.

 “Se este bom homem ou boa mulher, após a minha extinção, puder secretamente expor mesmo que seja uma simples sentença do Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa para uma única pessoa, saiba que esta pessoa é um mensageiro do Tathagata, enviado pelo Tathagata para realizar o trabalho do Tathagata[1]”.

 “Quanto mais não é verdadeiro no caso de alguém que possa em meio a uma grande assembléia expor-lhe extensivamente para as pessoas”.

 “Oh! Rei da Medicina, se uma má pessoa de mente doentia aparecesse diante do Buda, caluniando-o e ofendendo-o constantemente pelo tempo de um kalpa, sua ofensa seria relativamente leve se comparada às ofensas de uma pessoa que fale mesmo que uma única má palavra injuriando aquele que lê ou recita o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa. A ofensa desta pessoa seria muito mais grave[2]”.

 “Oh! Rei da Medicina, saiba que aquele que lê e recita o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa recebe os adornos do Buda como se fossem seus próprios adornos. Ele carregará o Tathagata em seus ombros. Onde quer que ele vá, ele será bem-vindo com obediência. Com pensamento único, e com as palmas das mãos unidas, farão reverência, oferecimentos, honras e elogios a ele. Ele receberá os mais finos oferecimentos das pessoas, oferecimentos de flores, incenso, contas, incenso em pó, incenso em pasta, incenso para queimar, pálios de seda, estandartes, vestimentas, comidas finas e música. Jóias celestiais espalhar-se-ão sobre ele, e tesouros das mais finas jóias celestiais lhes serão oferecidos”.

 “Qual é a razão? Quando esta pessoa pregar alegremente a Lei, aqueles que ouvirem-na por não mais que um instante encontrarão diretamente o Anuttara-Samyak-Sambodhi final”.

 


[1] Realizar o trabalho do Tathagata tem o sentido de veicular a entrada do Buda neste mundo. Isto só é possível através do Grande Veículo ou Veículo do Bodhisattva. Mais adiante, o Buda afirma: “Este sutra abre o portal dos meios hábeis da Lei”; ou seja, este Sutra dota o Bodhisattva das habilidades do próprio Buda.

[2] Isto, evidentemente, não exclui o devoto. Portanto, abraçar o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa significa abandonar a idéia de que existam pessoas boas ou más, principalmente entre aqueles que o abraçam ou que com esse venham estabelecer alguma relação através do próprio devoto. Ofender essas pessoas constitui grave ofensa. Este é um dos profundos significados de: “entrar no quarto do Tathagata, vestir os robes do Tathagata, sentar no trono do Tathagata”. O Buda ainda afirma: “o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa é o mais difícil de crer e o mais difícil de compreender”. Em toda a sua extensão está revelada a verdade: em cada capítulo, em cada verso, em cada palavra ou frase, em cada caractere. É sutil e revelador em cada som que produz encantando seres de todas as espécies. Essa grave ofensa significa insultar o Sutra de Lótus na sua íntegra, insultar todos os Budas do Universo e todos os seres viventes de todos os mundos nas 10(dez) direções. Por isso, essa ofensa supera aquela que uma pessoa poderia fazer a 1(um) Buda. A pessoa que, após a extinção do Tathagata, compreender o profundo significado deste capítulo sobre “O Mestre da Lei”, é o próprio Mestre da Lei; e é também o seu repositório, Rei da Medicina.

Extraído do CAP. 10: Os Mestres da Lei.

O Mestre da Lei
Foto de Marcos Ubirajara. Local: Serra da Cantarela – 10/06/2007.

%d blogueiros gostam disto: