A Torre de Tesouro

“Rei da Medicina, saiba que após a minha extinção, aqueles que possam copiar, ostentar, ler, recitar, fazer-lhe oferecimentos e expô-lo para outros, serão cobertos com o manto do Tathagata e também serão protegidos e mantidos em pensamento pelos Budas presentes em outras direções. Essas pessoas possuem os grandes poderes da fé, da coragem, dos votos passados e das boas raízes. Saiba que essas pessoas residirão juntas com o Tathagata e terão suas cabeças afagadas pelas mãos do Tathagata”.

 “Rei da Medicina, em qualquer lugar onde este Sutra seja pregado, lido, recitado, copiado ou guardado, dever-se-ia erigir uma Torre feita das sete jóias, fazendo-a alta, ampla e adornada. Não é necessário depositar Relíquias nela. Por que isto? Porque dentro dela já se encontra o corpo inteiro do Tathagata[1]. Para esta torre, dever-se-iam fazer oferecimentos de todos os tipos de flores, incenso, contas, pálios de seda, estandartes, músicas vocais e instrumentais; honrando-a e reverenciando-a. Se as pessoas ao verem essa torre, curvarem-se diante dela, e fizerem-lhe oferecimentos, saiba que essas pessoas estarão próximas do Anuttara-Samyak-Sambodhi”.

 


[1] Esta passagem indica que onde quer que seja “exposto, lido, recitado, copiado ou guardado” o Sutra da Flor de Lótus da Lei Maravilhosa; aquele lugar torna-se sagrado, torna-se a Terra do Buda. Naquele lugar “já se encontra o corpo inteiro do Tathagata”, quais sejam as 32 características físicas do corpo do Buda, restando dotar-lhe da voz profunda e de longo alcance.

Extraído do CAP. 10: Os Mestres da Lei.

%d blogueiros gostam disto: