A Nobre Verdade da Via

“Dizemos ‘Nobre Verdade da Via’. Isso nada mais é que os tesouros do Buda, do Dharma, da Sangha e a correta emancipação. Todas as pessoas dizem com um pensamento de cabeça-para-baixo: ‘Não existe Buda, Dharma, Sangha, ou emancipação correta. Nascimento e morte são como fantasmas’. Eles mantêm essas visões. Como resultado, eles reciclarão entre nascimento e morte através dos três mundos [do desejo, da matéria e do espírito – Mundo Tríplice], sofrendo grandemente lá por um longo tempo futuro. Se uma pessoa desperta e vem a enxergar que o Tathagata é Eterno, que nenhuma mudança lhe acomete, e que o mesmo se aplica ao Dharma, à Sangha e à emancipação; através desse pensamento a pessoa obterá liberdade irrestrita através das inumeráveis eras que virão e poderá divertir-se como quiser. Por quê? Porque certa vez no passado, devido às quatro inversões, eu tomei o não-Dharma como Dharma e sofri pelas inumeráveis conseqüências cármicas. Quando eu acabei com essas visões, atingi o verdadeiro despertar para o Estado de Buda. Essa é a Nobre Verdade da Via. Qualquer pessoa que diga que os Três Tesouros são não-eternos e mantenha essa visão da vida, então isso é uma falsa via da prática e não é a nobre verdade da Via. Se uma pessoa pratica a Via assim, tendo-a como Eterna, essa pessoa é meu discípulo. Ela reside na verdadeira visão da vida e pratica o ensinamento das Quatro Nobres Verdades”.

O Bodhisattva Kashyapa disse ao Buda: “Oh Honrado pelo Mundo! Agora, pela primeira vez, venho a conhecer e praticar as grandes profundezas das Quatro Nobres Verdades”.

Excerto do Sutra do Nirvana, CAP. 10: Sobre as Quatro Verdades.

%d blogueiros gostam disto: