O Ouro Verdadeiro no Âmago de Nossas Vidas

Kashyapa disse ao Buda: “Oh Honrado pelo Mundo! Existe o Eu nas 25 existências ou não?”

O Buda disse: “Oh bom homem! ‘Eu’ significa ‘Tathagatagarbha’ [Buda-Útero, Buda-Embrião, Buda-Natureza]. Todos os seres possuem a Natureza-de-Buda. Isso é o Eu. Esse Eu tem sido, desde os primórdios, encoberto por inúmeras impurezas. Esse é o porquê os humanos não podem vê-lo. Oh bom homem! [Imagine que] exista uma mulher pobre aqui. Ela tem ouro verdadeiro escondido em sua casa. Mas nenhuma das pessoas em sua casa, sejam elas grandes ou pequenas, sabem dele. Mas existe um estranho que, através de (meio) expediente, diz à mulher pobre: ‘Eu a empregarei. Você deve agora ir e capinar a terra (remover as ervas daninhas)!’. A mulher responde: ‘Não posso fazer isso agora. Se você deixar meu filho ver onde o ouro está escondido, possivelmente trabalharei para você’. O homem diz: ‘Eu sei o caminho. Eu o indicarei para o seu filho’. A mulher ainda disse: ‘Ninguém da minha casa, seja grande ou pequeno, sabe [disto]. Como você pode (saber)’? O homem diz: ‘Eu agora o esclarecerei’. A mulher diz ainda: ‘Eu desejo ver. Rogo que me permita’. O homem desenterra o ouro que estava escondido numa cova. A mulher o vê, fica satisfeita e passa a respeitar aquela pessoa. Oh bom homem! O caso é o mesmo com a Natureza-de-Buda que os humanos possuem. Ninguém pode vê-la. Isto é análogo ao ouro que a mulher pobre possuía e ainda não podia ver. Oh. Bom homem! Eu agora permitirei às pessoas verem a Natureza-de-Buda que elas possuem, e que está encoberta pelas impurezas. Isto é análogo à mulher pobre que não podia ver o ouro, muito embora ela o possuísse. O Tathagata revela agora a todos os seres o Repositório da Iluminação, que é a assim chamada Natureza-de-Buda. Se todos os seres verem isso, eles ficarão satisfeitos e buscarão refúgio no Tathagata. O bom (meio) expediente é o Tathagata, a mulher pobre são todos os inumeráveis seres, e o Baú de Ouro Verdadeiro é a Natureza-de-Buda.”

Excerto do Sutra do Nirvana, CAP. 12: Sobre a Natureza do Tathagata.

Muito interessante ver Para Ser Lótus, escrito meses antes da leitura e tradução deste trecho do Todo-Maravilhoso Sutra Mahayana do Grande Nirvana.

%d blogueiros gostam disto: