O Dharma e a Pessoa

“Dizemos que devemos estar baseados no Dharma, não na pessoa”.

O Buda disse: “Estar baseado no Dharma significa nada mais que basear-se no Mahaparinirvana do Tathagata. Todos os ensinamentos Budistas nada mais são que o ‘Dharmata’ [essência do Dharma, essência da Realidade]. Esse ‘Dharmata’ é o Tathagata. Portanto, o Tathagata é Eterno e Imutável. Qualquer pessoa que diga que o Tathagata é não-Eterno não conhece o ‘Dharmata’. Essa pessoa não é alguém que se baseie nele (no ‘Dharmata’). Todos os quatro (tipos) de pessoas mencionadas acima aparecem no mundo, protegem, agem e se tornam um refúgio [para todos os seres]. Por quê? Porque eles realmente compreendem os pontos mais profundos daquilo que o Tathagata diz e sabem que o Tathagata é Eterno e Imutável. Não é bom dizer que o Tathagata é não-Eterno e que ele muda.

Os quatro (tipos) de pessoas, quando (aparecem) como tais, são o Tathagata. Por quê? Porque esses (tipos de pessoas) compreendem bem e falam acerca das palavras secretas do Tathagata. Alguém que compreenda bem o que está profundamente oculto e sabe que o Tathagata é Eterno e Imutável nunca dirá, por lucro, que o Tathagata é não-Eterno. Essa pessoa é alguém em quem basear-se – por que não nos quatro (tipos) de pessoas?

Excerto do Sutra do Nirvana, CAP. 08: Sobre os Quatro Fidedignos.

%d blogueiros gostam disto: