Como Praticar Preceitos

WLA vanda Ming Bodhisattva cast iron

O Bodhisattva - Image via Wikipedia

O Buda disse: “Oh bom homem! Existe um homem que defende as proibições e preceitos, mas [o faz] pela felicidade que ele pode obter para si próprio, para humanos e deuses, e não para salvar todos os seres, e nem para proteger o insuperável Dharma Maravilhoso, mas pelos ganhos e por medo dos três reinos do infortúnio, pela vida, luxúria, poder, segurança, oratória (eloqüência), por medo das leis do estado, da má fama, por temer o nome sujo, e pelas obras mundanas. Essa defesa e observância dos preceitos não podem ser chamadas de prática dos preceitos. Oh bom homem! O que é a verdadeira observância dos preceitos (shila)? Quando alguém defende shila, o objetivo deve ser atravessar os seres para a outra margem, proteger o Dharma Maravilhoso, salvar os ainda não salvos, iluminar os não iluminados, possibilitar àqueles que ainda não tomaram refúgio tomarem-no, possibilitar àqueles que ainda não atingiram o Nirvana atingirem-no. Praticando assim, uma pessoa não vê preceitos (shila), como eles são realmente acatados, a pessoa que os observa, os resultados a serem atingidos, se a pessoa tem pecado ou não. Oh bom homem! Se alguém age assim, isso é observância dos preceitos (shila).”

Sutra do Nirvana, Capítulo 35, sobre o Bodhisattva Rugido do Leão 3.

how to practice the precepts.mp3

A Prática da Via

“Oh bom homem! Você diz: ‘Uma pessoa morre momento após momento. Como pode haver qualquer crescimento’? Mas, como a mente não é cortada, existe crescimento. Oh bom homem! Um homem recita. As letras [palavras] lidas não podem ocorrer ao mesmo tempo. A que veio primeiro não pode se estender até o meio, e a que foi lida no meio não pode ir até o fim. O homem, as letras e a imagem mental morrem momento após momento, e praticando muito chegamos ao conhecimento.

Portanto, saiba que uma pessoa não pode ser igual às outras. Se fossem iguais, nenhuma diferença surgiria. O mesmo se aplica à prática da Via por um ser. Através de uma ação, uma pessoa pode não atingir o objetivo. Mas, através de longa prática, pode-se acabar com todas as impurezas.”

Sutra do Nirvana, Capítulo 35, sobre o Bodhisattva Rugido do Leão 3.

the practice of the way.mp3

Sutra do Nirvana – Cap. 34 – Bodhisattva Rugido do Leão 2

“No Caminho do Bodhi, não há alguém que retorne. Oh bom homem! Aquele que se arrependeu após ter começado, agora vê os que foram antes e que obtiveram tesouros, os vê voltarem imperturbáveis, e fazerem oferecimentos aos seus pais, darem aos seus parentes, desfrutando de muita paz. Ao ver isto, um fogo queima novamente em sua mente, ele adorna o seu corpo, reinicia no caminho outra vez, não mede esforços, enfrenta todos os tipos de dificuldades, e vai à Montanha dos Sete Tesouros.”

Leia mais no Sutra do Nirvana, Capítulo 34, sobre o Bodhisattva Rugido do Leão 2.

abstract of nirvana sutra chapter 34.mp3

Sutra do Nirvana - CAPITULO 34

Click na imagem para download ou leitura on-line

Destaques deste Capítulo:

A Visão do Tathagata. 3

Os Preceitos do Bodhisattva. 8

Por Que Defender Preceitos. 9

Sobre Ver o Tathagata e a Natureza de Buda. 15

Ver o Que Temos em Comum.. 21

A Causa e a Condição do Insuperável Bodhi 31

Sangha é Harmonia. 32

Treze Fatores Conducentes à Retroação do Bodhisattva. 33

Seis Fatores que Destroem a Mente do Bodhi 33

A Mente Que Não Retroage. 34

Parábola da Fonte Límpida. 38

De Volta à Montanha dos Sete Tesouros. 39

O Avaivartika. 40

Os Pilares do Samsara

Rugido do Leão disse: “Não há espinhos no Vazio. Como podemos falar de extraí-los? Nada prende os skandhas. Como pode haver qualquer prisão?”

O Buda disse: “Oh bom homem! A cadeia das impurezas prende os cinco skandhas. Longe dos cinco skandhas, não há impurezas; longe das impurezas, não há cinco skandhas.

Oh bom homem! Os pilares suportam uma casa. Longe da casa não há pilares, e sem quaisquer pilares, não há casa. É o mesmo com os cinco skandhas dos seres. Quando existe impureza, falamos de dependência (servidão). Quando não há impureza, falamos de Emancipação. Oh bom homem! O punho contém a palma (da mão). Os três fatores da dependência, junção e dispersão, nascimento e morte, não são coisas diferentes. O mesmo é o caso com os cinco skandhas dos seres. Quando existe impureza, temos dependência; quando não se tem impureza, existe Emancipação.”

Sutra do Nirvana, Capítulo 35, sobre o Bodhisattva Rugido do Leão 3.

the pillars of samsara.mp3

A Extinção dos Cinco Skandhas

“Quando alguém se aproxima do Buda, dos discípulos do Buda, e dos Bons Mestres da Via, e quando ouve os 12 tipos de sutras, em razão dessa audição do Dharma, surge um domínio do bem. Quando ele vê o domínio do bem, ele adquire grande Sabedoria. Grande Sabedoria é a visão correta. Quando ele ganha essa visão, se arrepende da vida do nascimento e da morte. Em conseqüência desse arrependimento, nenhuma alegria surge [com relação ao Samsara, nascimento e morte]. Quando ele não sente essa alegria, ele destrói verdadeiramente a mente cobiçosa. Quando ele destrói a mente cobiçosa, ele pratica bem o Nobre Caminho Óctuplo. Quando ele pratica o Nobre Caminho Óctuplo, ele emerge do nascimento e da morte. Quando não há nascimento e morte, ele ganha a Emancipação. Quando o fogo não se junta com o combustível, isso é extinção. Quando não há mais nascimento e morte, dizemos que atravessamos a extinção. Isto é a extinção dos cinco skandhas.”

Sutra do Nirvana, Capítulo 35, sobre o Bodhisattva Rugido do Leão 3.

the extinction of the five skandhas.mp3

Newer entries »

%d blogueiros gostam disto: