A Visão de 29 de Agosto

Eu me encontrava preso num lugar, imóvel, quando o vi se aproximar em imponente montaria, havia outra pessoa.

Reconheci-o, dizendo-me: “é Ele”!

De dentro para fora, a tudo eu assistia, sua aproximação se fez rodeando-me pelo lado esquerdo, no sentido anti-horário, três vezes.

Então, apeando de sua magnífica montaria, introduziu-se no local onde me encontrava preso, como o gênio que sai de uma lâmpada.

Seu rosto suave, a pele dourada, olhos verde-azuis, olhar complacente, expressão terna, beleza indescritível.

Disse-lhe: “Meu adorado Senhor! Como vai? Sabia que viria”.

Despertei às 05:30 hs.

 

Brasília, 29 de agosto de 2007.

 

%d blogueiros gostam disto: